Subscribe Twitter Facebook

domingo, 27 de julho de 2008

...cade la baby-Azzurra

Há 22 anos, a Alemanha Oriental vencia a Itália por 3 a 1 na final do Campeonato Europeu Sub-18. Por ironia do destino, os alemães só voltaram a comemorar o título do torneio (agora sub-19) sobre os italianos, neste sábado, em Jablonec. O técnico Horst Hrubesch mandou a campo praticamente a mesma equipe que havia passado pela República Tcheca nas semifinais - o único desfalque foi Nsereko, suspenso. Em seu lugar, entrou Sukuta-Pasu. Do lado italiano, Francesco Rocca tirou Formiconi para lançar Forestieri desde o início da partida. O lateral-esquerdo Albertazzi também foi sacado do time titular, em favor de Bruscagin.

A Itália começou a final pressionando e quase marcou com o milanista Paloschi encobrindo o goleiro Zieler, após uma indecisão da defesa alemã. Mas quem abriu o placar foi a Alemanha, com um chute indefensável de Lars Bender no canto esquerdo de Fiorillo, que só pôde observar. A expulsão do capitão Jungwirth serviu para segurar o ímpeto alemão e dar um novo fôlego aos azzurrini, mas ainda assim a Alemanha saiu do primeiro tempo com uma merecida vitória parcial.

O time de Hrubesch voltou mais bem disposto em campo, o suficiente para conter a pressão de uma Itália inócua e desorganizada, que tropeçava em si mesma e se abria para os contra-ataques alemães mesmo jogando com um homem a mais. Num destes, Gebhart trabalhou a jogada para Sukuta-Pasu ampliar a vantagem. Ainda mais confusa, a Itália se desmontava a cada golpe alemão: não foi cena rara ver Okaka Chuka voltar até a intermediária para armar o jogo, deixando Paloschi isolado no ataque.

O sonho italiano do título europeu deixou o campo junto do zagueiro Gentili, expulso infantilmente por soma de amarelos. Mesmo desanimados, os azzurrini ainda conseguiram descontar com Raggio Garibaldi, numa apresentação consideravelmente abaixo da média daquelas realizadas durante a competição. O meia genovês marcou após um bom lance de Mazzarani e Forestieri pela direita, mas no minuto seguinte, Gebhart, nome da partida, fez o terceiro gol alemão para matar o jogo e qualquer esperança de revanche italiana.

Leia no Olheiros um review das finalistas do torneio, além do que de melhor aconteceu nas outras seleções.

Itália 1-3 Alemanha
Gols: 24'pt Bender; 16'st Sukuta-Pasu, 32'st R. Garibaldi, 34'st Gebhart
ITÁLIA (4-3-1-2): Fiorillo; Darmian, Gentili, Tagliani, Bruscagin; Mazzarani, Raggio Garibaldi, Poli (1'st Bonaventura); Forestieri (36'st Eusepi); Paloschi (14'st Zamblera), Okaka Chuka. Técnico: Francesco Rocca.
ALEMANHA (4-4-1-1): Zieler; Kopplin, Reinartz, Jungwirth, Diekmeir; Risse (39'pt Latza), Lars Bender (21'st Toprak), Sven Bender, Gebhart; Naki (44'st Oczipka); Sukuta-Pasu. Técnico: Horst Hrubesch.
Árbitro: William Collum (Escócia)
Amarelos: Gentili, Jungwirth, Bonaventura, Gebhart, Tagliani, Kopplin
Expulsões: 36'pt Jungwirth; 24'st Gentili

sábado, 26 de julho de 2008

Pré-temp...zzZzzZZZzZzZ

Retirado do FutebolEuropeu.com.br

---

Sábado, 26/julho


Lazio (ITA) 3x0 Padova (ITA)
Mauri 18', Pandev 47', Makinwa 55'

Steaua Bucareste (ROM) 3x1 Roma (ITA)
Moreno 8', Stancu 75', Neaga 80' / Vucinic 90'

Eintracht Frankfurt (ALE) 1x1 Palermo (ITA)
Fenin 24' / Bresciano 57'

Sampdoria (ITA) 16x0 Monti Pallidi (ITA)
Bonazzoli 11', Fornaroli 29', Delvecchio 39', Marilungo 47', 88', Gastaldello 54', Mustacchio 59', 63', 77', Bonanni 75' (pen), 80', Ferrari 78', 82', 87', 90', 90+1'

Sexta, 25/julho

Udinese (ITA) 0x3 Athletic Bilbao (ESP)
Susaeta 24', Gurpegi 39', Aduriz 45'

Quinta, 24/julho

Internazionale (ITA) 1x0 Al Hilal (SAU)
Burdisso 45'

Quarta, 23/julho

Lazio (ITA) 2x4 Rimini (ITA)
Zárate 55', Makinwa 72' / Vitiello 15', Docente 21', 46', Ricchuti 37'

Cremonese (ITA) 0x0 Milan (ITA)

Segunda, 21/julho

Catania (ITA) 8x1 Angelana (ITA)
Tedesco 10, Antenucci 37', 42', Colucci 40', Llama 55' (pen), Mascara 59', 86', 90' / Mazzoli 71'

---

Sabe o que isso significa? Pois é, acertou.

Todos os amistosos clicando aqui.

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Vola la baby-Azzurra...

A Grécia finalista no último ano, a Inglaterra que talvez fosse a sub-19 mais forte do Europeu, a República Tcheca dona da casa e, agora, a Hungria nas semifinais. O caminho traçado pela Itália até a final, consideravelmente mais complicado que o da Alemanha, outra finalista, credencia o time para o título que veio pela última vez em 2003, com Aquilani, Pazzini e Chiellini.

Nas semifinais, a Itália parou mais em si mesma do que no adversário, com um time irreconhecível, no primeiro tempo. No intervalo, Rocca sacou Formiconi para colocar Forestieri. Com isso, os azzurrini deixaram um inócuo 4-4-2 por um 4-2-3-1 no qual o ítalo-argentino foi para a esquerda, Paloschi caiu pela direita e Poli ficou centralizado na armação de Okaka. Bonaventura e Garibaldi ficaram à frente da defesa.

Com mais atitude e um Forestieri inspirado, não demorou para a Itália dominar a partida e marcar seu gol após uma linda tabela do meia do Siena com Garibaldi, melhor em campo. Okaka também se destacou no comando de ataque. A Hungria ainda teve a chance do empate, no fim do jogo, mas a trave de Fiorillo, melhor goleiro do torneio segundo a Uefa, segurou o resultado favorável à melhor equipe. A decisão entre Itália e Alemanha será na tarde deste sábado. Mais sobre a campanha azzurra, na próxima semana, com um review do torneio em parceria com o Olheiros.

Itália 1-0 Hungria
Gol: 20'st Forestieri
HUNGRIA (4-2-3-1): Gulácsi; Szekeres, Korcsmár, Debreceni, Présinger; Busai (22'st Bajner), Gál; Gosztonyi, Koman, Szabó; Németh. Técnico: Tibor Sisa
ITÁLIA (4-4-2): Fiorillo; Darmian, Gentili, Tagliani, Albertazzi; Formiconi (1'st Forestieri), Raggio Garibaldi, Poli, Bonaventura; Paloschi (40'st Eusepi), Okaka Chuka. Técnico: Francesco Rocca
Árbitro: Svein Oddvar Moen (Noruega)
Amarelos: Albertazzi, Darmian, Korcsmár, Forestieri, Szabó

Le maglie

Inter (clique para ampliar)



Novas camisas: pouca coisa muda, a elegância permanece.

---

Roma (clique para não ampliar)



A Kappa segue firme e forte para cumprir a sua missão de piorar a camisa ano após ano: "na próxima, vai ter uma homenagem pro Matteo Ferrari", afirmou um porta-voz da empresa.

E como qualquer site oficial da Roma é lamentável, não se tem uma foto do segundo uniforme.

---

Juventus (clique para ampliar)



Juve e o amarelo: "nossa inspiração é a Inter na Champions League", comunicou a Nike.

---

Fiorentina (clique para ampliar)



Tirando o aumento do dourado na primeira camisa, pouquíssima coisa mudou. Aliás, surgiu a dúvida: quem foi o primeiro mala que decidiu juntar uniformes de futebol com dourado?

terça-feira, 22 de julho de 2008

Luto

Lidar com a morte é algo complicado. Ainda mais quando se vai uma pessoa que você ainda não havia tido a honra de conhecer pessoalmente.

Entre aqueles que jamais tive oportunidade de trocar palavras ou mesmo um dar abraço de agradecimento pelo perene incentivo, é provável que Luiz Fernando Bindi seja o ser humano que mais admiro. E não é sua perda que o tirará desta condição. Receber elogios dele, algo que foi assustadoramente freqüente nos últimos dois anos, era algo que me deixava bastante encabulado.

Confio no discernimento de seus amigos mais próximos para dizer que Bindi é uma perda irreparável. Geógrafo de formação, perdemos um grande comentarista, escritor, jornalista, debatedor, colecionador de distintivos ou qualquer outra coisa no campo futebolístico. Que a família saiba superar a dor de um momento tão delicado. Descanse em paz, mestre Luiz Fernando Bindi.

Bate-papo

Renan:
você colocou os comentários no blog de novo?
Mateus:
Braitner o fez; por mim, deixaria sem
Renan:
por quê?
Mateus:
por que ele colocou ou por que eu deixaria sem?
Renan:
os dois
Mateus:
0 comentários;
0 comentários;
0 comentários;
0 comentários
Renan:
sei lá... tem que deixar aberto
Renan:
mesmo pra se a gente escrever algo inútil
Renan:
tem que deixar livre

minutos depois:

Mateus:
cara; você já fez o mercado da Samp?
Renan:
não
Mateus:
http://www.gazzetta.it/Calcio/Primo_Piano/2008/07_Luglio/22/fornaroli.shtml
Mateus:
eis a aposta!
Renan:
nossa, a Roma come muita bola - só 3 milhões + 50% da próxima negociação

minutos depois:

Mateus:
"LA FIORENTINA DICE ´SI´ AI 19 MILIONI OFFERTI DALLA ROMA, ORA L´ULTIMA PAROLA SPETTA AL RUMENO"

(A Fiorentina diz "sim" aos 19 milhões oferecidos pela Roma, agora a última palavra é do romeno)

Renan:
MA CHE!
Renan:
essa diretoria da Roma é fantástica!
Mateus:
HAHAHAHAHA
Renan:
vai ter que postar essa conversa no blog;
Mateus:
justo.

minutos depois:

Mateus:
e dá pra trazer o Julio Baptista também; naquele lance da Gazzetta de "3 milhões pelo empréstimo + 10 de compra na temporada que vem + 1 milhão caso se qualifique pra CL"
Mateus:
porque esses 19 milhões no Mutu vão ser em uns 3 ou 4 anos...
Renan:
a Roma é tipo a minha avó nas Casas Bahia...
Renan:
parcela tudo que pode.

segunda-feira, 21 de julho de 2008

"Sou um homem de 4-3-3"

As aspas acima são de José Mourinho, ao dar a primeira entrevista coletiva desde que o elenco nerazzurro se reuniu para o tradicional retiro de pré-temporada em Brunico, no norte da Itália. Em seu típico estilo direto de se comunicar, Mourinho declarou que pretende aplicar o 4-3-3 na Inter, já tão acostumada ao 4-3-1-2, utilizado por Roberto Mancini (Mourinho confessou não gostar da Inter do seu antecessor). A pergunta é: como aplicar esta tática a uma equipe tão cheia de centroavantes de ofício? Pelo menos três deles tem deficiências em utilizar as faixas laterais do campo. Cruz, Adriano e Crespo não são propriamente deuses da movimentação.

"O 4-3-3 é um esquema que me agrada muito, e quando eu falo desse esquema, eu falo de três atacantes de ofício. A posição deles não é importante e pode variar, de partida para partida", disse Mourinho. Será mesmo que uma hipotética Inter com Cruz e Ibrahimovic caindo pelas pontas daria mesmo certo? O mercado dos interistas ainda promete, tanto para saídas quanto para chegadas.

Mourinho: "Me deixa pensar na tática, cazzo!"

Confira a coletiva (em inglês): Parte 1| Parte 2 | Parte 3 | Parte 4 | Parte 5 | Parte 6.

domingo, 20 de julho de 2008

Mercado, Walter (parte 1)

Seleção eliminada da Eurocopa e férias dos jogadores: não tem jeito, o mercado dos clubes é o que movimenta as páginas dos jornais na velha bota (e em todo mundo, tirando em Madagascar, que não possui um futebol muito desenvolvido e é mais conhecido por uma animação de animais falantes). Extremamente atualizado que é (isso segundo nós mesmos), o QuattroTratti traz uma análise objetiva sobre quem realmente tem chances de fazer a diferença, e quais são as principais apostas da série A. Esta é a primeira parte da série com os quatro primeiros colocados. Se o amigo do seu primo foi a contratação bombástica do Salernitana, uma pena, mas nós não ligamos.

Matuzalém, que assinou até 2937 com a Lazio: investimento para o futuro.

Inter

A grande contratação
A equipe com o plantel mais completo do campeonato ainda deve promover outras compras de grande porte. Grande cartada até agora é o ponta Mancini. Adaptado ao Calcio, o jogador poderá atuar pela faixa direita ou esquerda do meio campo interista. A última temporada pela Roma não foi espetacular. Desgastado com o elenco e com o técnico Spalletti, o mineiro não foi decisivo como em anos anteriores e perdeu até a posição de titular absoluto em muitos jogos. Mesmo assim Mancini marcou 13 gols no ano e chega com moral suficiente para ser titular e substituir o português Luís Figo nas jogadas laterais.

A aposta
Já foi imperador e emperrador. Aplaudido e vaiado pela torcida. Com a mudança de treinador, Adriano ganha mais uma (septuagésima quarta, segundo as contas deste blog) chance na Inter. A passagem pelo São Paulo pode ser considerada um sucesso. Adriano deixou a equipe tricolor com 17 gols anotados em 28 partidas, recuperou a forma física e ainda voltou a ser convocado para a seleção. Se irá manter a concentração e a vontade de ser, novamente, um dos maiores atacantes do mundo, é outra história. Mas com Mourinho no comando existem fortes motivos para acreditar.

Roma

A grande contratação
Assim como os nerazzurri, a equipe da capital deverá fazer a maior contratação até o início do campeonato. O jogador de maior expressão por enquanto é o lateral-esquerdo John Riise. Proveniente do Liverpool, o norueguês chega para resolver o problema da lateral romanista. A temporada de Tonetto foi muito ruim, e até Cicinho atuou pelo setor. O português Antunes mostrou-se promissor, mas carece de experiência (ganhará agora, emprestado ao Lecce), e de maior poder de marcação. Riise tem força, velocidade e equilibra marcação, com competência ofensiva. Tudo que é necessário para se dar bem na Itália.

A aposta
Alessio Cerci foi lançado na equipe principal com apenas 16 anos pelo técnico Fábio Capello. A grande promessa italiana não impressionou nas poucas chances que obteve na capital, e nem no empréstimo ao Brescia (quando também foi prejudicado por seguidas lesões). Entretanto, na última temporada, marcou 10 tentos em 26 participações e foi muito elogiado, atuando pelo Pisa - como esterno pela direita -, na Serie B. Com a saída de Mancini e Giuly, Cerci deverá finalmente ser aproveitado na equipe principal da Roma. Numa situação muito mais confortável da qual foi lançado em anos anteriores.

Juventus

A grande contratação
A Juventus afirma que seu mercado está encerrado. E diferente dos últimos anos, quando a equipe vendeu vários jogadores para se adaptar ao rebaixamento, ela foi uma das principais compradoras do período de transferências. A grande contratação foi o atacante ex- Palermo, Amauri. Com Del Piero e Trezeguet sendo artilheiro e vice do último campeonato, respectivamente, deve sobrar para Iaquinta, que provavelmente será negociado. Segundo o técnico Ranieri, “todos os quatro podem jogar juntos em qualquer combinação”. Amauri marcou quinze vezes no último campeonato e pode fazer com que o conservador allenatore escale três atacantes.

A aposta
A torcida da Roma deve se lembrar bem do baixinho e careca que marcou um golaço de falta em Doni no último campeonato. E não foi só isso que Sebastian Giovinco realizou pelo Empoli no último semestre. Com habilidade e ótima visão de jogo, o fantasista marcou seis gols em 35 partidas pela Serie A. Não conseguiu manter a equipe na divisão máxima, mas foi um dos seus destaques e convenceu Ranieri a trazê-lo de volta do empréstimo. Precisa de maior fortalecimento muscular e experiência, mas a passagem pelo Empoli mostrou que, numa equipe forte, conseguirá extrair todo seu potencial.

Fiorentina

A grande contratação
Equipe que melhor se reforçou até agora, a Fiorentina tem motivos para sonhar vôos mais altos na próxima temporada. Além da manutenção dos melhores jogadores (Mutu, Montolivo e Gamberini) a equipe trouxe o atacante Alberto Gilardino. Se a passagem pelo Milan não foi como o esperado, na Fiorentina, Gilardino pode recuperar o começo meteórico do Parma. Com a saída de Toni, sem a afirmação de Pazzini, Gilardino pode ter continuidade para voltar a ser goleador. Outro ponto a favor do atacante é a companhia de Cesare Prandelli, treinador do Parma quando Gila estourou na Serie A e chamou a atenção de grandes clubes.

A aposta
Capitão da sua ex-equipe, eleito melhor jogador do Mundial Sub-17 de clubes de 2006, Stevan Jovetic foi muito assediado para deixar o Partizan Belgrado. O ponta de lança (pode atuar como segundo atacante também) escolheu a equipe viola, onde terá vários concorrentes. Lupoli, Pazzini, Mutu, Osvaldo. Opções para o ataque não faltarão. Mas personalidade e habilidade, Jovetic já mostrou. Resta saber se conseguirá se adaptar rapidamente ao futebol italiano.

Pontapé inicial

Primeiro clube italiano a entrar em campo nesta temporada por algum encontro oficial, o Napoli colocou um pé na Copa da Uefa depois de uma importante vitória em Atenas, na primeira partida da terceira fase da Intertoto. Passando pelos Panionios, os partenopei retornarão à Europa após 14 anos. Para simbolizar a retomada, nada melhor que um gol do uruguaio Bogliacino, que partiu com os azzurri da C1 como titular há três anos.


Com Santacroce, Mannini e Lavezzi indisponíveis, estrearam pelo Napoli o zagueiro Rinaudo, os meias Maggio e Pazienza e o atacante Denis. O último, melhor jogador em campo, teve um gol anulado no fim do segundo tempo e deu a assistência para o gol de Bogliacino, ao dominar um lançamento de Blasi tirando de Maniatis e centralizando para o uruguaio bater com facilidade. Sobre a estréia, o argentino: "Não fui bem somente eu, mas toda a equipe. Fizemos uma partida belíssima e agora podemos voltar para casa com um pouco de tranqüilidade". O Panionios não se entregou: acertou a trave duas vezes e teve dois gols bem anulados pela arbitragem, ambos de Choutos, ex-Inter. No próximo sábado, a decisão da vaga se dará no San Paolo.

Panionios 0-1 Napoli
Gol: 31'pt Bogliacino
PANIONIOS (4-2-3-1): Kresic; Maniatis, Langamp, Majstorovic, Koutsopoulos; Makos, Skoufalis (34'st Delura); Nicolaou (12'st Sialmas), Kumordzi, Kiliaras (28'st Wagner); Choutos. Técnico: Ewald Lienen.
NAPOLI (3-5-1-1): Iezzo; Rinaudo, Cannavaro, Contini; Maggio, Blasi, Gargano, Hamsik (37'st Pazienza), Vitale; Bogliacino (29'st Piá); Denis. Técnico: Edoardo Reja
Árbitro: Pereira Gomes (Portugal)
Amarelos: Skoufalis, Kiliaras, Vitale e Makos
Expulsão: Rinaudo, aos 31'st

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Déjà vu

"Dinho" assina com o Milan:


terça-feira, 15 de julho de 2008

Rapidinhas

"Aff, meu; que droga", foi o que esbravejou Il Bobbo Vieri, hoje mesmo. O atacante, recém-recontratado pela Atalanta, declarou que foi uma besteira ter deixado Inter e Milan, afirmando que poderia ter terminado a carreira em um grande clube. Quanto às ofensas dos torcedores bergamascos, Vieri foi breve e confiante: "vou convencê-los jogando". Aliás, o veterano de 35 anos ainda disse que pretende lançar uma autobiografia.

"Ronaldo, ma che pancia hai?" - A tradução é totalmente desnecessária para a matéria da Gazzetta dello Sport de hoje, na qual Bussunda Ronaldo ainda é chamado de "ex-fenômeno".

Ronaldo pronto para o Churrasco em Família 2008/09. "Quero ser o tiozão", disse ele.

E o Torino deixou seu filho preferido de castigo: após Alessandro Rosina, jovem destaque dos granata, afirmar que faltava um projeto para a equipe ("o presidente prometeu investir em vários jovens - onde eles estão?"); Urbano Cairo - o presidente - decidiu dar uma "punição inevitável" ao trequartista. Não me pergunte qual, mas Cairo também afirmou que Rosina é parte fundamental do elenco e que não está à venda.

Todo mundo já sabia, mas só para constar: o Milan confirmou (portanto, oficialmente) a contratação de Ronaldinho Gaúcho, agora ex-Barcelona. Se os rossoneri não liberaram a ida de Kaká às Olimpíadas, qual será o destino do mais novo brasileiro do clube? Ou então teria Ronaldinho imposto a condição de disputar os jogos olímpicos para assinar com os milanistas?

Pense rápido

Foto roubada daqui

1 - "Olha como o Snoop Dogg emagraceu! Opa, pera lá... não emagreceu não..."

2 - "Quem é o rapper que tá fazendo média com essa camisa do Brasil?"

3 - "Pra quem parecia um alien, lembrar o Predador não é nada."

Monólogo

- O QuattroTratti até é legalzinho, mas falta atualizarem...
- Quem é você?
- Seu alterego.
- Você tem poderes especiais ou pelo menos usa uma cueca por cima da calça?
- Não. E você?
- Também não. Mas gosto do Poulsen.
- Sério?!
- Não.
- Risos. Será que pelo menos assim a Juve desiste do Aquilani?
- Oficialmente, sim. Dificilmente teria as mesmas forças para ir atrás do jogador que, aparentemente, está tentado pela oferta de Turim. Hoje, o presidente da vecchia signora afirmou que o mercado da equipe está fechado.
- Claro! Passar um ano tendo que ser reserva do enceradeira-humana que é o Pizarro... Ou um semi-titular, se é que isso existe.
- O chileno nem é tão fraco. Erra a maioria dos lançamentos, perde milhões de bolas na defesa, adora uma fogueira, não derruba ninguém e ainda parece um barrilzinho. Mas se eu quisesse enganar que conheço algo sobre futebol, diria que ele valoriza a posse de bola. Esse comentário inútil sempre passa.
- Como Aquilani pegava banco pra ele?
- Pergunta pro Spalletti, oras.
- E o Ronaldinho?
- Nunca vi mais gordo. Rá.
- Infame.
- Ok... Posso falar o que todos sabem? "Futebol ele tem, precisa é se concentrar em praticá-lo. Pode jogar em qualquer time do mundo e blá blá blá"...
- Mas de qual Ronaldinho você tá falando?
- Ué; pensei que você tivesse entendido a da gordura.
- Entendi. Mas não responde minha pergunta.
- Que maldade. Aliás, nem é pra tanto.
- Nem é pra tanto o quê?
- Tanto o que o quê?
- ?


- Ronaldinho... então, o que era mesmo?
- Ah, sim; acho que todos já perceberam que as linhas acimas (e essa) são só uma tentativa de aumentar esse monólogo aqui.
- Droga.
- Bem lembrado. E o Drogba?
- Mais um dos atacantes que fazem a Europa sonhar.
- Você não chegou a lugar nenhum.
- É sono. Só copiei da Gazzetta. A matéria é essa aqui. Aliás, não consigo entender os objetivos de mercado do Milan. Aliás, eu não consigo entender o Milan. Aliás...
- Você é muito novo pra isso.
- Bem lembrado.
- E o blog; tá abandonado?
- O grupo tá bem unido, o professor tá nos orientando, agora é erguer a cabeça e pensar no próximo confronto, que é muito complicado. Mas não, não tá.
- Como eu dou um jeito de me despedir?
- Você só sabe perguntar?
- Fim.

terça-feira, 8 de julho de 2008

Separados no (re)nascimento

Nosferatu - 1922


Adriano Galliani - 2008

Discussões de um filho único

- Tive uma idéia pra tirar as moscas do blog, cara.
- Qual?
- Enchê-lo com esses diálogos informais e engraçadinhos. Não tem erro! É prático, rápido, não exige formatação, trucentas revisões e você ainda pode ser mais infame.
- Hum... Tá, e daí?
- E daí que o blog tá mais morto que o Materazzi, poxa.
- Legal. Mas espera... com quem você tá dialogando?
- Na verdade, sozinho. Eu posso copiar o Mauro Beting e inventar um outro alguém aqui, que tal?
- Ok... Posso ser o Ronaldo?
- É uma boa idéia: de férias, se bronzeando, dormindo bem, se alimentando bem, deixando o cabelo crescer... e tudo isso sem data pra acabar. Mas prefiro que você seja meu alter-ego mesmo.
- Tá. Aí você vai precisar sair da sua zona de conforto, deixando exposta a sua jugular.
- Eu falei alter-ego, e não Milly Lacombe!
- Não resisti: é a hora de fazer piadinhas.
- Justo. Só não apele pros trocadilhos com o nome do Zambrotta. Nem com o do Grosso.
- Ah, é, tem o Zambrotta; que esperar dele no Milan?
- Talvez seja uma cilada. Se for aquele da Euro, era melhor ter até o jurássico Cafu por ali.
- Pois é. Não foi nem sombra do terzino campeão mundial. Na verdade, não foi sombra de nada. Nunca vi pior...
- Falando em Milan e jurássico (se não são - ou representam -, a mesma coisa), Maldini renovou, né?
- Pelo bem do futebol. Ele pode.
- E eu? Posso contar uma piada?
- Pode.
- Huntelaar na Roma, hahaha! Tem gente realmente achando que vão conseguir contratá-lo?
- Romanista é algo complicado; adora se iludir. Já botou fé até em Dellas e Abel Xavier - e pior - juntos!
- E quanto ao mercado?
- Ah, deixa pro Renan. Ele já se comprometeu a escrever sobre isso e aproveito pra pressioná-lo neste exato momento.
- E quanto às Olimpíadas?
- Veja bem...
- Lippi? Mourinho?
- Olha...
- Amistosos?
- Mas é que...
- E os uniformes novos? e a Intertoto?
- Não enche. Mas prometo inventar uma premiação pra Serie A 2007/08, copiando descaradamente o "Capotón de Cuero", do fantástico Buela de Capotón, de Juan Polanco.
- Como a gente se despede? Ou eu, ou você; ainda não entendi.
- Faz que nem no Show de Truman: "e caso eu não os veja mais; um bom dia, boa tarde e boa noite". Era assim?
- Ah, espertinho. Só porque não vai aparecer mais, né?
- ¿Por qué no te callas?

- Boa noite.