Subscribe Twitter Facebook

sexta-feira, 4 de maio de 2012

36ª rodada: Deu pane na Juve?

Buffon se desculpa após falhar contra o Lecce e dar um susto na torcida juventina. Cabe à Juventus vencer os próximos jogos, para que a falha não comprometa as chances de título (Getty Images)
Enquanto as brigas pela Liga dos Campeões e pelo rebaixamento começam a ter definições um pouco mais concretas - Napoli e Udinese levam vantagem na parte de cima, e Cesena e Novara já caíram -, a luta pelo título, que parecia praticamente terminada, ganhou mais uma nuance: graças a um erro incrível de Buffon, a Juventus tropeçou frente ao Lecce e viu o Milan se aproximar no retrovisor, estando, na cola, apenas um ponto atrás. A equipe de Turim ainda tem uma tabela simples e depende apenas de si para garantir o scudetto, enquanto o Milan tem o dérbi de Milão, com mando da Inter - o que significa cerca de 75% do estádio nerazzurro. A Velha Senhora ainda parece ter a situação sob controle, mas após o improvável tropeço desta quarta, você colocaria a mão no fogo por um dos dois times? Antes de pensar sobre isso, acompanhe nosso resumo da rodada.

Juventus 1-1 Lecce
Quem diria que seria Buffon que recolocaria o Milan na disputa pelo título? Provavelmente ninguém. O goleiro da Juventus faz grande temporada, já efetuou defesas salvadoras e tem o gol menos vazado do campeonato. Porém, a cinco minutos do fim do jogo de ontem, contra o Lecce, foi ele quem falhou: Barzagli recuou bola fácil e o goleirão se atrapalhou com ela, deixando fácil para Bertolacci empatar a partida e devolver a esperança aos jogadores e torcedores do Milan, que agora está apenas um ponto atrás. Mas convenhamos: a culpa pelo empate não é só de Buffon. O ataque da Juve também não conseguiu ser efetivo e desperdiçou muitas chances. A equipe dominou o jogo inteiro, não sofreu perigo nenhum, mas pecou na hora da finalização. Para se ter uma ideia, o time de Conte chutou 17 vezes ao gol, enquanto o Lecce somou apenas três chutes ao longo dos 90 minutos. A boa defesa juventina trouxe o time de forma invicta até aqui, mas a responsabilidade maior agora é do ataque. Afinal, o time vai precisar vencer se quiser ser campeão. Mais um tropeço pode ser fatal. (Rodrigo Antonelli)

Milan 2-0 Atalanta
O Milan venceu a Atalanta com gols de Muntari (muito útil novamente, quem diria) e Robinho, mas o destaque esteve na defesa. A equipe bergamasca jogou bem e, logo após ter sofrido o gol no início, agrediu bastante o time da casa, que soube se defender bem e teve em Nesta o líder da zaga. Um Milan opaco ofensivamente criou pouco e contou com a sorte de o Lecce ter empatado em Turim - o estádio, aliás, vibrou mais com o gol de Bertolacci do que com os gols rossoneri. Ibrahimovic, por sua vez, mostrou que está um pouco cansado - principalmente em termos psicológicos - e perdeu um gol fácil, sozinho frente a Consigli. Agora, com apenas um ponto atrás da Juve, o Milan está mais do que determinado para o dérbi do domingo, frente à Inter, que ainda sonha - e possivelmente apenas sonha - com a Liga dos Campeões.

Napoli 2-0 Palermo
Em um jogo cheio de emoções, os partenopei venceram o Palermo por 2 a 0 e permanecem a passos largos para garantir a vaga no play-off da próxima Liga dos Campeões. Aos 5 minutos, Inler acertou um petardo no travessão; aos 9, De Sanctis faz duas ótimas defesas em arremates de Ilicic e Hernández; e aos 13, Milanovic colocou a mão na bola após tentativa de cruzamento de Pandev. Cavani cobrou bem a penalidade e marcou o primeiro no San Paolo. Ainda no primeiro tempo, houve tempo de Hamsík receber passe de Pandev e decretar o resultado final do confronto. Na etapa final, o Napoli ficou fechado e explorou o contra-ataque. O Palermo nada fez. (Murillo Moret) 

Cesena 0-1 Udinese
Contra o já rebaixado Cesena, a Udinese não fez grande partida, mas conseguiu vitória importante na luta pela vaga que resta na Liga dos Campeões. Agora, Lazio e Inter ficaram atrás na disputa  e o time de Guidolin só está atrás do Napoli pelos critérios de desempate. O único gol do jogo saiu logo no início, depois que Fabbrini aproveitou desvio de Danilo (que estava em posição irregular), para marcar seu primeiro gol na Serie A. Aos 20 minutos da primeira etapa, o Cesena ainda teve a chance de empatar, mas Mutu acertou a cobrança de pênalti - que ele mesmo sofreu - no travessão. No segundo tempo, a partida foi de dar sono. O Cesena não conseguia agredir a Udinese, que, por sua vez, estava mais preocupada em se poupar para o jogo do fim de semana, contra o Genoa. (RA)

Parma 3-1 Inter
A primeira derrota de Stramaccioni na Inter deve custar caro: com as vitórias de Napoli e Udinese, as chances de a equipe de Milão irem à próxima LC são mínimas. No Tardini, valeu o melhor preparo físico do Parma, que abusou da velocidade com Giovinco e Biabiany, que quase sempre levavam vantagem sobre a zaga interista. A Beneamata até saiu na frente, no primeiro tempo, com Sneijder, mas levou a virada no segundo tempo. Os dois primeiros do Parma vieram com dois erros de Lucio. O primeiro, um erro crasso: tentou sair carregando a bola, mas permitiu que Giovinco lhe roubasse a pelota e apenas passasse para Marqués fazer. Depois, marcou mal o Formiga Atômica, que passou por suas costas para receber lançamento. Biabiany ainda decretou a quinta vitória consecutiva do Parma de Donadoni, nos minutos finais. No caso do Parma, o sonho europeu fica mais próximo: com 50 pontos, cinco a menos que a própria Inter, a Liga Europa pode premiar a temporada.

Lazio 1-1 Siena
Contra um mistão do Siena (já cumprindo tabela), a Lazio viu suas chances de classificação à Liga dos Campeões reduzirem-se ainda mais. Os biancocelesti saíram atrás, depois que Destro completou cruzamento de Rossi e, de cabeça, fuzilou Bizzarri. Comandados por Candreva, que fez bela partida, os aquilotti só foram buscar o empate no segundo tempo, depois que o meio-campista foi derrubado na área, na cobrança de pênalti, Ledesma converteu. Candreva continuou muito bem em campo e a Lazio quase virou, mas a cabeçada de Kozák explodiu no travessão. Os celestes perderam Rocchi lesionado, e agora esperam a recuperação do atacante e também de Lulic e Klose para a próxima partida, em Bérgamo, contra a Atalanta. Caso não se recuperem, entre lesionados e suspensos, Reja terá 11 desfalques para gerir.

Chievo 0-0 Roma
Em Verona, a chuva castigou o gramado e o jogo entre Chievo e Roma. O único lance de perigo do primeiro tempo saiu dos pés de Paloschi. A poça de água à frente de Curci, que permanece no gol por conta da lesão de Stekelenburg, salvou os giallorossi. Sem pressão alguma, foi o time da casa quem mais chegou à baliza na etapa final. Apesar das lesões de Théréau, Dramé e Andreolli, Hetemaj, Bradley e o capitão Pellissier fizeram bom jogo e, por pouco, o Chievo não saiu com uma vitória no Marc’Antonio Bentegodi. Do lado da capital, a Roma continua na sua montanha-russa: já são quatro jogos sem vitória; agora com a sétima colocação garantida. Ao fim do confronto, Walter Sabatini, diretor da Roma, ainda falou que Luis Enrique talvez considere um problema no clube. Sua saída ao fim da temporada já é dada como certa nos bastidores do clube de Trigoria. (MM)

Fiorentina 2-2 Novara 
Com a vitória do Genoa, de nada adiantou o empate do Novara - a equipe havia feito 2 a 0 ainda no primeiro tempo - em Florença: os azzurri estão rebaixados à Serie B. A Fiorentina, por sua vez, que reagiu na segunda etapa com dois gols de Montolivo, é em profundo caos: o time ainda não está salvo do rebaixamento e, agora, terá o diretor de futebol Vincenzo Guerini como treinador-tampão por duas partidas. Tudo porque Delio Rossi substituiu Ljajic, ainda no primeiro tempo, quando a equipe jogava muito mal, e reagiu de forma absurda às ironias e gestos ofensivos do sérvio: partiu para a agressão física e teve de ser contido pelos auxiliares - veja vídeo aqui. O inaceitável caso rendeu a demissão ao treinador e o afastamento do jogador até o fim do campeonato. Enquanto Ljajic será multado pela diretoria, Rossi foi suspenso por três meses (justamente o tempo da pré-temporada) pela Federação Italiana. Se a punição deve ser irrelevante, sua perda de respaldo será seu fardo por pelo menos algum tempo, até emplacar um bom trabalho.

Genoa 2-1 Cagliari
Jogando em Brescia e com os portões fechados, o Genoa voltou a vencer após 14 jogos de jejum e conquistou pontos importantes na luta pela salvezza. Agora, o time tem três a mais que o Lecce, primeiro time na zona de rebaixamento, e pode começcar a respirar mais tranquilo. O jogo começou em alto ritmo e dois gols saíram bem no início. Primeiro, Palacio aproveitou cobrança de escanteio do jovem Alhassan - que estreava pelo clube profissionalmente, mas já havia atuado por Gana na Copa Africana de Nações - e abriu o placar para o Genoa. Menos de dois minutos depois, porém, o Cagliari alcançou o empate, com Ariaudo aproveitando rebote em cabeçada de Pinilla. A partir daí, nada de muito emocionante aconteceu até os a metade do segundo tempo. Aos 31 minutos, o sérvio Jankovic acertou cobrança de falta e deu a vitória ao Genoa. Apesar da derrota, o dia não foi de todo ruim para o Cagliari, que, por conta dos outros resultados, está matematicamente livre do rebaixamento. (RA)

Catania 0-1 Bologna
Se o fôlego do Catania parece ter acabado, após a conquista da salvezza e do recorde histórico de pontos da equipe no campeonato, o Bologna continua em crescimento: ameaçado pelo rebaixamento algumas rodadas atrás, o time de Pioli cresceu de produção e,  com 48 pontos, ultrapassou o Catania, que tem 47. A equipe da casa até teve duas chances com Bergessio e Gómez, mas quando o jogo se encaminhava para um 0 a 0 que não deixaria ninguém infeliz, o uruguaio Ramírez acertou uma pancada de fora da área. Mais um gol que o valoriza ainda mais: no mercado de verão, deve ser objetivo de clubes de ponta do futebol europeu e deve encher os cofres do clube emiliano. Por sua vez, Di Vaio deve anunciar nesta sexta que não permanecerá no clube - o que entristece, e muito, a torcida. O atacante recebeu boa proposta do Impact Montreal e deverá jogar a MLS.

Seleção da 36ª rodada
Benassi (Lecce); Maggio (Napoli), Danilo (Udinese), Nesta (Milan), Chiellini (Juventus); Montolivo (Fiorentina), Candreva (Lazio), Valdés (Parma); Biabiany (Parma), Pandev (Napoli), Giovinco (Parma). Técnico: Roberto Donadoni (Parma).

1 Comentário:

NIkos disse...

Muito interessante sua análise do campeonato italiano, com exposições claras sobre as situações dos clubes. Uma sugestão: você poderia detalhar como foram os brasileiros nas rodadas para que possamos ter uma idéia de como estão.
Parabéns!