Subscribe Twitter Facebook

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Rodada agridoce

Futebol da Inter tem sumido dia a dia (Ansa)
Após rodadas de ótimos resultados na Liga Europa, os times italianos tiveram uma rodada abaixo do esperado. Inter e Napoli, com os elencos mais fortes, voltaram a patinar na temporada e mostraram que o ano será longo para seus torcedores. Fiorentina e Torino, por sua vez, venceram novamente e encaminharam classificação para a fase de mata-mata da competição. Acompanhe o resumo da rodada.

Inter 0-0 Saint-Étienne
Tudo o que a Inter precisava era de uma vitória. E foi tudo o que a Inter não fez. Não adianta, qualquer seja o contexto, o time de Mazzarri não engrena. Deixa boas impressões, quando apresenta um futebol minimamente aceitável, apresentando alguma organização ofensiva, mas ainda dependendo de talentos individuais, e uma marcação mais agressiva, não dependendo tanto de goleiros e defensores para ter segurança. Mas parecem ser apenas espasmos. Na realidade, a Inter é um "time" - nem sempre o é na concepção da palavra - que não tem um jogo definido. Com um ano e meio, Mazzarri não é capaz de adequar os jogadores à sua ideia de jogo, mesmo com um mercado, o deste verão, focando em suas necessidades.

Assim, com um futebol chato e estéril, novamente tropeçou, dessa vez pela Liga Europa, onde vinha de quatro vitórias, 100% de aproveitamento na fase de grupos e liderança isolada. A liderança ainda existe, e dificilmente será perdida, mas a garantia de estar na próxima fase foi adiada, o que dá ainda mais dor de cabeça para o próximo mês, com mais uma data Fifa e o departamento médico lotado - dessa vez, M'Vila foi o "premiado" e deve ficar fora por um mês. Sobre o que aconteceu em San Siro, pouco a se destacar.

No 3-4-2-1 interista, o capitão Guarín foi a única peça capaz de produzir algo, com três chances criadas, mas nenhuma aproveitada por Icardi, Kuzmanovic e por ele próprio. O Saint-Étienne espelhou o time de Mazzarri, num 3-5-1-1, e basicamente se preparou para anular Kovacic, que aceitou a marcação adversária e pouco fez além de alguns dribles. Os alas Théophile e Tabanou superaram Mbaye e Dodô, enquanto Hamouma criou alguns espaços entre linhas, mas o time francês também pouco fez, bloqueado por boa atuação do trio Andreolli, Vidic e Juan Jesus, levando perigo apenas na cobrança de falta de Tabanou defendida por Carrizo. (Arthur Barcelos)

Young Boys 2-0 Napoli
Rafa Benítez decidiu fazer rodízio na equipe napolitana e pagou caro por isso em plena Suíça. Contra o Young Boys, em Berna, os azzurri jogaram sua pior partida na temporada, e viram a equipe aurinegra dominar as ações do jogo do início ao fim. O resultado, além de ruim, fez com que os ultrà napolitanos atacassem o ônibus do time ao final da partida, causando momentos de terror à delegação. Sorte de Higuaín e Albiol, que tiveram de ficar no estádio realizando exame antidoping e não passaram por isso.

Dentro de campo, a opção do técnico espanhol por Zapata e Michu no comando de ataque não deu certo, e apenas Mertens levou perigo ao gol adversário. Por outro lado, a defesa azzurra sofreu com Hoarau, constantemente procurado pelos armadores. No segundo tempo, o francês aproveitou liberdade demasiada concedida pela defesa italiana e abriu o placar. Com o 1 a 0, Benítez inseriu Hamsík, Callejón e Higuaín, mas a fase do primeiro e do último são péssimas e o Napoli só chegou ao gol (bem anulado) via Callejón. Já no final do jogo, em um contra-ataque, Bertone definiu a vitória dos donos da casa. Agora, as equipes dividem a liderança do grupo, com 6 pontos. (Nelson Oliveira)

PAOK 0-1 Fiorentina
Contra o adversário mais complicado do grupo, o PAOK, a Fiorentina mostrou mais uma vez que está “sobrando” na Liga Europa. Enquanto patina na Serie A, a Viola conseguiu sua terceira vitória na fase de grupos da competição europeia e encaminhou a vaga à fase final, que pode vir já na próxima rodada, quando enfrenta o mesmo time grego, dessa vez, no Artemio Franchi. Em Tessalônica, sem muito esforço, um gol de Vargas ainda na primeira etapa, definiu a vitória italiana.

O duelo teve amplo domínio da Fiorentina que logo aos seis minutos teve a chance de abrir o placar, mas Bernardeschi perdeu, sozinho na entrada da pequena área. Aos 38, Ilicic cruzou para Vargas, que precisou chutar duas vezes para vazar o goleiro Glykos. As chances se multiplicavam, mas a Viola não aproveitava. No final do jogo, levou certo sufoco, mas sem nem incomodar o goleiro Tatarusanu. (Caio Dellagiustina)
Torino 2-0 HJK Helsinki
Contra o adversário mais fácil da chave, o Torino não encontro dificuldades. Os finlandeses não foram páreo para a equipe italiana, que assumiu a liderança do grupo, com 7 pontos – Brugge e Kobenhavn tem 4, e o HJK, nenhum.

No primeiro tempo, só deu Torino. Molinaro, Vives e Amauri tiveram chances; Martínez sofreu pênalti não marcado e Amauri, novamente, teve gol regular invalidado. Porém, com um belo voleio, foi Molinaro que abriu o placar, já quando o jogo se encaminhava para o intervalo. Na volta para o segundo tempo, Amauri finalmente marcou um gol com a camisa granata, depois de um chute rasteiro indefensável. A se destacar, ainda, a boa atuação do goleiro Padelli, que estava afastado por questões técnicas. (NO)

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário