Subscribe Twitter Facebook

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

A difícil rotina romana

Esperançoso no início da campanha, Totti viu a Roma desandar na Liga dos Campeões mais uma vez e amargou nova eliminação na fase de grupos, diante de um remendado Manchester City

A aventura da Roma na Liga dos Campeões 2014-15 parecia que teria final feliz - com 5 x 1 sobre o CSKA na estreia e bom empate com o City na Inglaterra -, mas acabou apenas como mais uma grande decepção para o torcedor giallorosso, algo que se tornou rotineiro nos últimos anos. A equipe italiana entrou no Estádio Olímpico, nesta quarta, classificada para as oitavas de final do continental, mas não conseguiu se impor em casa e viu a vaga escorregar pelas mãos, contra um Manchester City remendado. Kompany, Yaya Touré, Aguero e David Silva desfalcavam o time inglês, mas nem assim os romanos conseguiram segurar o 0 x 0 que lhes carimbaria o passaporte para as oitavas. 

Samir Nasri, pouco aproveitado nessa temporada, ganhou um lugar no time titular e mostrou que mesmo um reserva do City é muito superior a grande maioria dos meias que atuam no futebol italiano. Soberana na Serie A, a defesa da Roma não conseguiu parar o francês e ele abriu caminho para a vitória dos citzens. Melhor em campo no segundo tempo, ele abriu o placar aos 15 minutos da etapa final e criou outras boas oportunidades depois, inclusive a do gol de Zabaleta, que fechou o placar, a cinco minutos do fim. 

E olha que o jogo começou favorável à Roma. A equipe de Rudi Garcia tomou a iniciativa no início e criou as melhores oportunidades da primeira parte do jogo. Holebas teve boa chance de abrir o placar, mas o goleiro Hart conseguiu defesa importante para os visitantes. Após a partida, o técnico romanista se disse muito desiludido com o resultado, mas admitiu a superioridade inglesa. "O City tem um grande elenco, não estamos no nível deles. Se não tem Silva, tem Nasri. Se não tem Aguero, tem Dzeko. É um pecado porque dependíamos só de nós", avaliou.

O deslize giallorosso faz com que um City apenas medíocre avance às oitavas da Liga. Os ingleses ficaram longe de fazer boa campanha na fase de grupos. A primeira vitória do time de Pellegrini veio apenas na penúltima rodada da chave, em grande virada contra o Bayern de Munique. Antes, o time somava apenas dois pontos nos quatro primeiro jogos. Agora, segue mais forte para a fase do mata-mata e deixa a Roma com a Liga Europa, que, porém, não deve ser prioridade do time.

"Agora é focar no scudetto", disse Nainggolan, após a desclassificação, resumindo o que deve ser o pensamento do grupo daqui para o fim da temporada. No italiano, a Roma é a única adversária da Juventus ao título e a reserva de forças para o campeonato nacional pode ajudar a equipe a alcançar o sonho de voltar a conquistar o scudetto após 14 anos. Até porque a Juve continuará dividindo as atenções entre a Serie A e a Champions.

Liga dos Campeões, 6ª rodada, Olímpico de Roma
Roma 0-2 Manchester City

Roma
De Sanctis; Maicon (Florenzi), Manolas, Yanga-Mbiwa, Holebas; Pjanic, Keita, Nainggolan; Ljajic (Iturbe), Totti (Destro), Gervinho
Técnico: Rudi Garcia

Manchester City
Hart; Zabaleta, Demichelis, Mangala, Clichy; Fernando, Fernandinho; Navas (Silva), Nasri (Kolarov), Milner; Dzeko (Jovetic)
Técnico: Manuel Pellegrini

Gols: Nasri, aos 15 minutos do 1º tempo, e Zabaleta, aos 40 minutos do 2º tempo 

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário