Subscribe Twitter Facebook

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

20ª rodada: Extremos encaminhados

Craque da temporada, Pogba decidiu mais um jogo e fez a Juve disparar na Serie A (Reuters)
Ainda estamos falando da 20ª rodada do Campeonato Italiano. No entanto, os vereditos relacionados à primeira e a última posição do certame já parecem encaminhados. Na ponta da tabela, a magnânima Juventus conta com um Pogba estrepitoso e já dispara: são sete pontos sobre a Roma, uma gordura considerável para ser queimada – e que deixa o técnico Max Allegri mais concentrado na preparação para as oitavas da Liga dos Campeões, contra o Borussia Dortmund. Terá forças o time de Rudi Garcia para batalhar contra a Velha Senhora? Ou melhor, a Juve passará a tropeçar nas 18 rodadas restantes e permitirá uma reaproximação?

No fundo do poço, o Parma já vê os seus adversários que estão fora da zona de rebaixamento ainda mais longe. São 10 pontos, o que é bastante. Distância ainda mais considerável quando o time está há sete meses sem salário e quando a sua principal peça, no caso o atacante Cassano, vai embora. Passamos apenas uma rodada da metade exata da Serie A, e ao mesmo tempo estas definições parecem extremamente próximas. Acompanhe o resumo da rodada.
Juventus 2-0 Chievo
Assim como no primeiro turno, o Chievo deu bastante trabalho à Juventus, porém, foi novamente derrotado. O “culpado”, desta vez, foi o francês Pogba. O meio-campista marcou pelo quarto jogo seguido e foi mais uma vez decisivo para o clube bianconero. Antes do primeiro gol, o goleiro Bizzarri fez boas intervenções em finalizações de Chiellini e Vidal. Marchisio e Morata também tiveram suas chances, mas o meio-campista bateu por cima da meta e o atacante falhou no cabeceio.

Aos 60 minutos, Pogba deu um bonito drible em Cofie para abrir espaço e chutar de canhota, de fora da área. Bizzarri bem que tentou defender, mas foi em vão. Minutos mais tarde, Padoin cruzou, Pogba dominou e bateu de voleio, de primeira. O lindo lance, contudo, foi interrompido pela defesa do goleiro do Ceo. Na sobra, Lichtsteiner marcou. Os visitantes tiveram inclusive a chance de empatar, entretanto, Birsa parou em Buffon, Schelotto acertou a trave e Meggiorini desperdiçou um contra-ataque nos minutos finais. Não tinha jeito, o dia era mesmo de Pogba, que também deu dribles desconcertantes e ainda se revelou líder do elenco ao acalmar Vidal em substituição mal recebida pelo chileno. (Murillo Moret)

Fiorentina 1-1 Roma

Batalhando por vagas europeias, nem Fiorentina nem Roma conseguiram uma vitória em Florença. Mesmo testando Tatarusanu de longe com Nainggolan, os romanos viram seu adversário ter um início de jogo melhor. De Sanctis teve que sair nos pés de Gómez para segurar o cruzamento de Cuadrado e De Rossi salvou um gol de Gonzalo em cima da linha. O goleiro nem a zaga puderam lidar com o desvio de Gómez aos 19 minutos. O alemão tocou de leve na bola após chute de Pizarro e enganou De Sanctis.

A Roma chegou ao empate - e ao resultado final da partida - logo no início do segundo tempo. Ljajic aproveitou o passe de Iturbe para tirar de Basanta e chutar no canto oposto de Tatarusanu. Ele não comemorou o gol contra o ex-clube. A Viola teve a chance de vencer, mas Mati Fernández finalizou mal demais depois da assistência de Joaquín, o melhor em campo de longe – Holebas sofreu muito ao marcá-lo. A Roma, mesmo no 4-3-3 nos últimos 20 minutos de jogo, parou na própria ineficiência ofensiva e agora vê a Juve disparar na liderança. (MM)

Napoli 2-1 Genoa
No jogo mais polêmico da rodada, o Napoli foi melhor do que o Genoa, pode marcar alguns gols, mas só balançou mesmo as redes com um gol irregular e outro em um pênalti pra lá de duvidoso. Higuaín, que nada tem a ver com isso, anotou duas vezes e encostou em Tévez na artilharia – são 13 do ex-Boca Juniors contra 12 do ex-River Plate. O resultado mantém o Napoli na terceira posição, com 36 pontos, agora mais perto da Roma, que tem 42. O Genoa, que não vence há seis jogos, segue no meio da tabela, com 28.

Logo aos 7 minutos, Higuaín, impedido, aproveitou rebote de Perin e fez 1 a 0 – mal colocado, o assistente não notou a irregularidade. Depois, o argentino serviu Hamsík, que não aproveitou. Do outro lado, sem um centroavante por causa da lesão de Matri, o Genoa criou pouco. Superior, o Napoli criou inúmeras chances, e desperdiçou duas com De Guzmán: na primeira, a cavadinha cara a cara com Perin foi por cima do gol; na segunda o holandês driblou o goleiro, mas teve o chute bloqueado por Burdisso quase sobre a linha. A punição veio em seguida, quando Iago chutou cruzado e empatou a partida. Ainda melhor, o Napoli tentou vencer a partida, mas esbarrava em Perin, que desviou um chute de Callejón – a bola ainda bateu no travessão. Foi aí que o árbitro Calvarese foi generoso e viu falta de Kucka em Higuaín dentro da área. O Pipita converteu e deixou os azzurri mais próximos da Liga dos Campeões. (Nelson Oliveira)
 
Lazio 3-1 Milan

Depois do último vacilo em casa, a Lazio precisava do resultado jogando novamente diante de seus torcedores. E dessa vez não decepcionou. Na verdade, o time de Pioli fez uma partida espetacular e mostrou muito estudo e entendimento de um Milan sem ideias, plano de jogo e péssima fase de certos jogadores. Um Milan que agora não vence há cinco jogos. As incertezas ficam maiores a cada 90 minutos jogados e Inzaghi corre risco de ser demitido. Para sobreviver no cargo, a mídia italiana garante que ele precisará passar pela mesma Lazio, na Coppa Italia, nesta terça.

A despeito do erro de Basta, desarmado por Ménez, que seguiu em velocidade para o gol e abriu o placar aos 4 minutos, a Lazio jamais perdeu o controle do jogo. Mesmo não tendo grande domínio da posse de bola final, teve o jogo nas suas mãos e o adversário não chegou mais à sua área. A virada foi questão de tempo, mas acabou vindo apenas na segunda etapa. Aos 47, ataque com Klose pela direita e centro perfeito para a inserção ainda melhor de Parolo, que empatou a partida. Pouco depois, sem Bonaventura, lesionado, o Milan entregou o segundo com erro de Montolivo, que, sem opção de passe, decidiu recuar para um desatento Mexès. Klose, sempre atento, roubou a bola e conduziu para a virada. A situação não mudou com o placar e o Milan nem mesmo conseguiu chutar. Para decretar a vitória, aos 80, ataque rápido com Candreva pela direita e mais uma vez posicionamento ridículo milanista. O ponta centrou para Djordjevic, que tropeçou na bola. A redonda sobrou para Parolo fazer sua doppietta. O lance, porém, acabou sendo horrível, já que Djordjevic acabou lesionado e não jogará mais nesta temporada. E como as coisas são ainda piores para o Milan, Mexès, que deveria liderar a equipe, agrediu Mauri e foi expulso, pegando gancho de quatro rodadas. (Arthur Barcelos)

Sampdoria 1-1 Palermo

Jogo bom e equilibrado no Marassi. Se Ferrero chamou a atenção com suas recentes contratações, Muriel e Eto’o, presentes na tribuna, Mihajlovic, Iachini e seus jogadores trataram de proporcionar bons momentos. Contudo, o empate acabou sendo ruim para ambos, já que a Samp ficou atrás do Napoli e voltou a empatar com a Lazio, na quarta posição. O Palermo, apesar do ponto fora de casa, pouco aproveitou os tropeços de Genoa, Inter, Milan e Sassuolo.

Melhor no primeiro tempo, a Sampdoria abriu o placar cedo, aos 6 minutos. Em jogada trabalhada, Bergessio recebeu o tiro de meta de Viviano, tocou para Soriano lançar Éder, que com movimento preciso entre os zagueiros adversários, fez seu sexto gol no campeonato. Mas apesar de seguir criando chances, o segundo gol não veio e isso custou caro para os donos da casa. Aos 48, tabela entre Barreto e Vázquez, movimento de Dybala para puxar a marcação, assistência do paraguaio para o camisa 20 igualar o marcador. Foi, então, a vez dos visitantes atacarem, mas esbarrarem na defesa de Mihajlovic, que ainda teve novos ataques no fim, mas o placar não foi alterado. Na verdade, a arbitragem não viu gol claro de Morganella, em chute de fora da área. O assistente adicional mais uma vez não viu a bola quicar dentro do gol. (AB)

Inter 0-1 Torino
Parecia que, assim como no primeiro turno, Inter e Torino ficariam no empate sem gols. Na verdade, o que aconteceu em Milão foi uma das partidas mais orientadas ao 0 a 0 na história recente do futebol. E assim mesmo a Beneamata conseguiu ser derrotada pelos granata, em um lance fortuito e de desatenção, no último lance do jogo. Melhor para o Toro, que subiu aos 25 pontos, na 13ª posição, e encostou na própria Inter, que tem 26, e está em 10º.

Para a Inter, um jogo para se esquecer. Com e sem Podolski e Shaqiri, o time criou pouquíssimo – Kovacic jogou mal, e o melhor em campo foi Guarín. Os nerazzurri chutaram apenas duas vezes no gol, e Padelli mal teve trabalho. Muito bem postado na defesa, o Torino se fechou bem e impediu que Icardi sonhasse com o gol. Do outro lado, seu desafeto Maxi López foi fundamental, e escorou o cruzamento que originou o gol de Moretti, esquecido por três defensores no centro da pequena área. A matemática diz que Mancini faz menos pontos do que Mazzarri, mas a Inter ainda sonha com um futuro melhor. Para o Torino, a salvação está próxima. (NO)

Empoli 1-2 Udinese
Depois de cinco jogos sem vitórias, a Udinese se reencontrou com os triunfos e deu um pequeno salto na tabela: agora o time divide a 8ª posição com o Palermo, com 27 pontos. Já o Empoli se vê mais perto da zona de rebaixamento, após a vitória do Cagliari. Os times dividem a 16ª colocação, com 19 pontos, um a mais que o Chievo, que seria o primeiro a cair se o campeonato acabasse hoje.

Na segunda de futebol na Toscana, o nome do jogo foi o brasileiro Allan, em mais uma prova de determinação, garra e qualidade no meio-campo bianconero. Foi dele o passe para o nono gol de Di Natale nesta Serie A – a lei do ex nunca falha e Totò marcou pela equipe que o revelou. Após pênalti duvidoso, o estreante Saponara igualou o marcador ainda na primeira etapa. Porém, um cruzamento errado de Widmer encobriu o goleiro Sepe no segundo tempo e deu a vitória aos friulanos. Kone, meia do time de Údine, ainda foi expulso, mas o resultado não se alterou. (NO)




Cagliari 2-1 Sassuolo

Mais uma vitória de Zola no comando do Cagliari. Na abertura da 20ª rodada, a equipe rossoblù foi mais eficiente e derrotou, com propriedade, o Sassuolo, saindo da zona de rebaixamento. Apesar da disparidade técnica, o time sardo foi amplamente superior no confronto. Enquanto o Sassuolo ficava com a bola e não conseguia pressionar, o Cagliari apostava nos contra-ataques para chegar ao ataque. Numa das primeiras oportunidades, Rossettini apareceu sozinho na área para abrir o placar. O padrão de jogo seguia e nos minutos seguintes, o Cagliari teve duas oportunidades para ampliar o marcador.

Na segunda etapa, a equipe da casa voltou mais incisiva, criando boas chances, como a bola na trave de João Pedro. Mas, o castigo veio aos 30 minutos. Num lance despretensioso, Brkic soltou a bola nos pés de Acerbi, que chutou, e viu Rossettini desviar a trajetória da bola para comemorar o empate. Mal deu tempo do Sassuolo pensar numa reação e na sequência, o Cagliari passou a frente mais uma vez. O estreante Cop recebeu belo passe e de primeira, sem deixar a bola cair no chão, tocou no ângulo de Consigli. (Caio Dellagiustina)

Parma 1-2 Cesena

A vida do Parma não está nada fácil. E tudo pareceu ainda pior nesta segunda, após a derrota no confronto direto contra o Cesena. O diretor geral do clube, Pietro Leonardi, foi internado por acúmulo de stress e, poucas horas depois, Cassano, craque do time, rescindiu contrato após sete meses de salários atrasados – ele abriu mão do valor e outros jogadores podem fazer o mesmo. Dentro e fora de campo o clube parece bem próximo de assinar o seu rebaixamento. Bem, no dia anterior, numa oportunidade clara de vencer e buscar a reação, a equipe sucumbiu frente ao Cesena, em pleno Ennio Tardini. Envolta em problemas extracampo, a equipe agora figura na última colocação, a dez pontos do Cagliari, 17º colocadoo.

Com Cassano no banco e as estreias de Varela e Rodriguez, o Parma foi inofensivo na primeira etapa. A situação pirou quando Pulzetti abriu o placar, deixando os donos da casa sem reação. Na segunda etapa, os crociati reagiram graças a um vacilo de Cascione, que tocou contra a própria meta. Minutos depois o mesmo Cascione quase pôs tudo a perder, cometendo pênalti em Rispoli, mas a irregularidade não foi assinalada pelo árbitro Tagliavento. No último minuto, o Cesena conseguiu a vitória. Alejandro Rodríguez aproveitou bate-rebate na área para fazer o gol que deu a vitória aos visitantes. No final do jogo, Cassano ainda conversou com torcedores, o que parece ter adiantado a sua decisão – após cancelar seu contrato, ele reclamou dos novos e antigos donos, e se disse estarrecido pelo fato de todos os funcionários do clube estarem sem salário há tanto tempo. (CD)

Verona 1-0 Atalanta

Em mais um duelo da parte de baixo da tabela, o Verona bateu a Atalanta com um gol de Saviola (o primeiro do argentino na Serie A) e respirou na briga contra o rebaixamento. Após as derrotas humilhantes para a Juventus, a equipe vêneta entrou em campo disposta a reverter o mau momento na competição e criou chances importantes de gol, sempre parando em Sportiello. A equipe ainda reclamou de um pênalti não marcado em Toni.

O segundo tempo começou no mesmo ritmo, com o Verona em busca do gol e a Atalanta querendo aproveitar os contra-ataques. Numa das primeiras chances, Saviola se antecipou a Sportiello e completou o cruzamento de Lazaros para abrir o marcador. O time gialloblù seguiu pressionando, mas esbarrou nas boas defesas do goleiro bergamasco. No final, numa das poucas oportunidades de perigo, Biava quase empatou, mas a cabeçada saiu rente à trave. (CD)

Relembre a 19ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

Seleção da rodada
Sorrentino (Palermo); Moras (Verona), Moretti (Torino), Chiellini (Juventus); Allan (Udinese), Ekdal (Cagliari), Pogba (Juventus), Parolo (Lazio), Joaquín (Fiorentina); Klose (Lazio), Higuaín (Napoli). Técnico: Stefano Pioli (Lazio).

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário