Subscribe Twitter Facebook

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Inteligência para findar a série ruim

Morata participou dos dois gols da Juve contra o Dortmund (La Presse)
Texto de Murillo Moret
 
Chiellini viu a bola chegar, levantou uma das pernas e não conseguiu se manter em pé. Em cinco segundos o zagueiro da Juventus estava caído no gramado, de cabeça baixa, e lamentando a perda da posse. Em dez, o alemão Reus saiu para comemorar o gol de empate em Turim. O trecho, acontecido no primeiro tempo, representa o único momento de lapso do bianconero em casa. A Juventus soube jogar de forma bastante inteligente para vencer o Borussia Dortmund por 2 a 1, na primeira perna das oitavas de final da Liga dos Campeões.

Antes de Reus balançar a rede, Tévez deixou sua quarta marca na competição depois de um vacilo de Weidenfeller. Morata puxou o contra-ataque pela esquerda, parou, avançou novamente para dentro da área e chutou cruzado. O goleiro do Borussia soltou a bola no meio da pequena área e Schmelzer não conseguiu bloquear a finalização do argentino. Ainda no primeiro tempo, a mesma dupla juventina, com Pogba como intruso, combinou para o segundo gol. Tévez passou, o francês cruzou e Morata, no meio da área, bateu bonito na bola para tirar Weidenfeller do lance.

A estratégia pensada por Max Allegri para a partida desta terça-feira foi ceder a posse de bola ao adversário e puni-lo no contra-golpe - o primeiro gol foi iniciado dessa forma. “Para quebrar o Borussia, você precisa de técnica, precisão e intensidade”, declarou no pós-jogo. A Juve trancou o meio de campo e criou oportunidades nos espaços deixados pelo rival.

Decerto, o time de Dortmund armou jogadas de ataque que levou certo perigo ao gol de Buffon - uma finalização prematura de Immobile, no primeiro tempo, e Mkhitaryan, na etapa final. Principalmente porque o combate a Gündogan não foi bem realizado. Entretanto, mesmo com toda a posse de bola no tempo complementar, o Borussia foi punido pela velocidade dos meio-campistas juventinos. Essa é a chave para a partida de volta.

O retrospecto recente da Velha Senhora fora de casa na Liga não é bom. São apenas quatro vitórias nos últimos 16 jogos. A Juventus descobriu os métodos para acabar com a série ruim, na Alemanha. Sem Pirlo (machucado na etapa inicial), Marchisio, Pogba e Pereyra deram trabalho para o setor defensivo. Com o auxílio de Tévez e Morata - nenhum atacante se fixou em qualquer posição -, Gündogan, Sahin, Ginter, Hummels, Sokratis, Kirch e Schmelzer tiveram de correr demais (muitas vezes, “de menos”) para interromper a fluidez ofensiva italiana. 

Além de fazer a bola correr entre as linhas do Borussia, a Juve viu que é possível vazar os alemães pelo alto. Algo outrora complicado com Hummels e Subotic, não foi raro o bianconero vencer a disputa depois da cobrança de escanteio. Chiellini, por muito pouco, não balançou a rede para melhorar a situação após uma excelente partida em Turim.

Juventus 2-1 Borussia Dortmund
Gols: Tévez 13’, Reus 18’, Morata 42’.

Juventus: Buffon; Lichtsteiner, Bonucci, Chiellini e Evra; Marchisio, Pirlo (37’ Pereyra) e Pogba; Vidal (86’ Padoin); Morata e Tévez (89’ Coman). T: Max Allegri

Dortmund: Weidenfeller; Piszczek (32’ Kirch), Hummels, Sokratis (46’ Ginter) e Schmelzer; Gündogan e Sahin; Aubameyang, Reus e Mhkitaryan; Immobile (76’ Kuba). T: Jurgen Klopp

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário