Subscribe Twitter Facebook

segunda-feira, 6 de abril de 2015

29ª rodada: Vitória para tranquilizar

Roma volta a encontrar o caminho das vitórias e dá enorme passo para ficar com vaga na Champions (Ansa)
Como acontece em toda Páscoa, a rodada do fim de semana da Serie A foi disputada inteiramente no Sábado de Aleluia. Nos 10 jogos realizados, destaque para as partidas que movimentaram mais a briga por vagas europeias: a Roma venceu o Napoli, o que a aproximou da vaga direta na Liga dos Campeões, e afastou bastante os comandados de Benítez de chegarem ao feito.

Aliás, os azzurri estão em queda livre: já haviam sido ultrapassados pela Lazio e pela Sampdoria, e desta vez viram a Fiorentina, que venceu a Samp, também saltar à sua frente. A briga está animada, e Torino e Milan estão à espreita, esperando por tropeços. Tropeços, aliás, que fazem a Inter passar ainda mais vexame em 2014-15. Acompanhe o resumo da rodada.

Roma 1-0 Napoli
Pjanic marcou o único gol da importante vitória da Roma sobre o Napoli - que deixa os napolitanos fora da zona de classificação para competições europeias -, mas foi o goleiro De Sanctis quem saiu de campo mais festejado. Com defesas difíceis no início ao fim do jogo, o ex-jogador do Napoli foi o grande responsável pelo resultado positivo dos giallorossi, que não venciam no Olímpico de Roma já há quatro meses. Assim, a Roma praticamente elimina um rival da briga pelo segundo lugar, que dá uma vaga direta à Liga dos Campeões. Hoje, nove pontos separam romanos e napolitanos.

Apesar de se mostrar satisfeito com a vitória, o técnico Rudi Garcia não esconde que há muito o que melhorar, principalmente jogando em Roma. "Ultimamente, tem sido mais fácil para a gente jogar fora de casa do que no Olímpico", disse após a partida. De fato, o Napoli dominou a posse de bola e criou muito mais chances de perigo. Sem eficiência na frente do gol, porém, os napolitanos agora têm que se concentrar para não deixar escapar até uma vaga na Liga Europa. Com 47 pontos, eles estão um atrás da Sampdoria (primeira classificada à LE) e oito atrás da Lazio (primeira classificada à LC). O caminho mais acessível para os azzurri chegarem à maior competição continental talvez seja através da conquista da Europa League, competição em que estão nas quartas de finais. A Roma soma 56 e luta para se manter à frente da rival Lazio. (Rodrigo Antonelli)

Juventus 2-0 Empoli
O resultado indica para mais uma exibição tranquila da Juve, mas não foi bem assim. Jogando bem abaixo da média, o time penou para não tomar gol, mas saiu com a vitória em seu estádio. Sepe apareceu para o jogo em duas oportunidades no início da partida, parando finalizações de Tévez. A próxima oportunidade bianconera saiu apenas no fim do primeiro tempo. O árbitro marcou erroneamente o tiro livre indireto após um suposto recuo de Rugani para o goleiro. Na cobrança, o argentino chutou muito bem, por cima da barreira, para balançar a rede.

No segundo tempo, o time recuou demais e chamou o Empoli ao ataque. Saponara, logo nos primeiros minutos, colocou Buffon para trabalhar. Na sequência, o goleiro fez outra boa defesa em cabeçada de Pucciarelli. O atacante tentou driblar Buffon depois de um erro de Bonucci, contudo, o goleiro conseguiu desarmá-lo e, em seguida, defendeu a finalização de Saponara. O resultado foi definido após um contra-ataque: chute de Tévez, defesa de Sepe e gol, no rebote, de Pereyra. No final das contas, a Juve continua tranquila para alcançar o tetra e o Empoli segue tranquilo na briga contra o rebaixamento. (Murillo Moret)

Cagliari 1-3 Lazio
Mais uma vitória para a Lazio de Pioli, a sétima consecutiva, e a 17ª no campeonato - melhor que esses números, só os da quase campeã Juventus, que tem 21 triunfos. Após dois meses de invencibilidade e um grande salto na tabela, o que antes parecia utopia, hoje é mais do que realidade: salvo algum desastre, os romanos terão seus dois times na próxima Liga dos Campeões. Resta saber, nessas últimas nove rodadas, quem irá para a fase preliminar. A vitória também aumentou a diferença para o Napoli, que mais uma vez tropeçou, e dá um gás para o confronto de quarta-feira pela semifinal da Coppa Italia contra o time napolitano.

Na Sardenha, o time de Pioli não teve muitas dificuldades para atacar o de Zeman, que ainda não venceu desde que voltou à ilha. As maiores emoções ficaram guardadas para o segundo tempo, mas Klose tratou de abrir o placar e marcar seu nono gol ainda na primeira etapa, contando com a assistência de Mauri, outro veterano em boa forma. Na volta do intervalo, o Cagliari empatou logo em seguida com Sau, porém dez minutos depois Crisetig fez falta em Keita dentro da área, e Biglia recolocou os visitantes na frente do placar. O argentino ainda perdeu a chance de ampliar a vantagem depois, porque errou a cobrança de pênalti – novamente sofrido por Keita, e dessa vez cometido pelo ex-laziale Diakité, que foi expulso. Ainda houve tempo para Parolo deixar o terceiro, cobrando falta, e dificultar ainda mais a vida de um Cagliari cada vez mais próximo do rebaixamento. (Arthur Barcelos)

Fiorentina 2-0 Sampdoria
Antes da partida, clima de amizade. Montella e Mihajlovic, amigos de longa data, desde os tempos em que eram colegas de equipe na Sampdoria, conversavam animadamente. O próprio treinador sérvio já havia tido uma experiência como comandante viola, em 2010-11, e voltava ao Artemio Franchi. Quando a bola rolou, porém, cada um foi para seu lado, e o técnico italiano levou a melhor: seu time foi superior, venceu com méritos e ultrapassou o adversário na tabela. Agora, a Fiorentina ocupa a 4ª posição, com 49 pontos; a Samp vem logo atrás, com 48.

A partida, que tecnicamente seria uma das melhores da rodada, acabou atrapalhada pela forte chuva que caiu em Florença. Com um gramado encharcado, a melhor chance da primeira etapa aconteceu logo aos 2 minutos: Eto'o colocava a bola no ângulo, mas Rodríguez cortou com uma cabeçada. Já no segundo tempo, com o gramado menos pesado, a partida melhorou e a Fiorentina saiu na frente: aos 15 minutos, Diamanti bateu cruzado, e contou com a baixa visibilidade de Viviano, atrapalhado por muitos jogadores à sua frente. Dois minutos depois, Gómez (transformado em capitão por Montella), fez o pivô e deu passe para Salah. O egípcio, sensação da temporada, passou por dois adversários em velocidade e chutou forte para dar números finais ao jogo. Contratado em janeiro, ele já faz mais estragos que Cuadrado, seu antecessor na Toscana. (Nelson Oliveira)

Palermo 1-2 Milan
Uma vitória ao estilo do seu treinador. Esse foi o roteiro do sábado do Milan, que venceu o Palermo no Renzo Barbera. Sem ainda jogar um futebol atraente, o time aproveitou as poucas oportunidades que teve – mesmo com os inúmeros impedimentos, característicos de Inzaghi quando jogador – e resolveu a partida com dois gols. Paletta quase comprometeu a partida, mas Ménez decidiu e garantiu a vitória rossonera. O francês chegou a 16 gols, e segue a um a menos que Tévez, artilheiro da Serie A. A apatia do Palermo também facilitou o trabalho do Diavolo. Os sicilianos chegaram a seis jogos sem vitória e praticamente deram adeus a qualquer possibilidade de Liga Europa.

Em campo, foram 20 minutos sem que nada acontecesse, até a primeira oportunidade para o Palermo, desperdiçada por Vázquez. O Milan pouco havia feito e encontrou o gol numa jogada de sorte. Van Ginkel cruzou, Sorrentino vacilou e a bola bateu em Cerci antes de encontrar as redes. O segundo tempo foi mais movimentado. Enquanto o Palermo buscava o empate, o Milan apostava nos contra-ataques, mas abusava dos impedimentos. Num lance de pouco perigo, Belotti invadiu a área e se enroscou com Paletta. Um pênalti que Dybala não desperdiçou, igualando o placar. Parecia ser mais um jogo em que o Milan deixava a vitória escapar por incapacidade própria, até que, em um lapso da defesa adversária, Ménez foi esperto. Mais rápido que três defensores palermitanos, avançou com velocidade até a área para tocar na saída de Sorrentino, sacramentando a vitória milanista. O time pode ainda não empolgar, mas as vitórias começam a aparecer. E é isso que pode segurar Inzaghi no cargo e garantir o retorno às competições europeias. Hoje, a equipe está seis pontos atrás do Napoli, 6º colocado. (Caio Dellagiustina)

Inter 1-1 Parma
Outra vez um tropeço, outra vez muitas vaias de um San Siro praticamente vazio. A Inter segue sua sina de grande decepção da temporada italiana e, neste domingo, deixou sua torcida revoltada. Muito provavelmente, os nerazzurri serão os únicos a não terem vencido os falidos parmenses ao menos uma vez nesta temporada – somente Cagliari e Fiorentina poderão alcançar esse feito inglório. No primeiro turno, ainda comandado por Mazzarri, o time de Milão perdeu por 2 a 0. Ou seja, o time deixou pelo caminho cinco pontos contra o lanterna da competição, o que afasta, quase definitivamente, a esperança de vaga europeia. Tropeços imperdoáveis, o que custou aos jogadores o cancelamento da folga no domingo de Páscoa. Após o tropeço, foi marcado um treino para as 8h30 da manhã.

O diretor esportivo da Inter, Piero Ausilio, foi duro: "já que os jogadores descansaram em campo, treinarão no domingo". Ele não estava exagerando. A postura da Inter foi obscena, e a equipe jogou muito mal, criando pouquíssimo. O gol, marcado por Guarín aos 25 minutos, só surgiu porque o chute de fora da área do colombiano desviou na defesa gialloblù e enganou Mirante. O Parma empatou ainda no primeiro tempo, depois de um erro de posicionamento da defesa interista, aproveitado pelo albanês Lila. No segundo tempo, Mancini colocou Podolski no lugar de Puscas e Kovacic no lugar de Felipe, mas ninguém conseguiu suprir a falta de Icardi, suspenso. Inclusive, as melhores chances até o final foram de um Parma que joga por orgulho próprio e que, mesmo com todas as dificuldades, dá o máximo que pode. A vitória merecia ter ficado com os parmiggianos. (NO)

Atalanta 1-2 Torino
Em meio aos boatos de que pode perder seu treinador para o Milan na próxima temporada, o Torino voltou a sonhar com a Liga Europa. A equipe aproveitou os dois jogos contra times na parte de baixo da tabela para somar seis pontos (venceu o Parma na última rodada) e se consolidar na disputa contra Fiorentina, Sampdoria, Napoli e Milan pela classificação à competição continental. Mesmo jogando em Bérgamo, a equipe bateu com certa facilidade a Atalanta, primeira equipe fora da zona de rebaixamento. O time nerazzurro sofreu a primeira derrota sob o comando de Reja, após três empates consecutivos.

Depois de dominar nos minutos iniciais, o Torino chegou ao gol aos 20. Quagliarella acertou um petardo da intermediária e contou com um vacilo de Sportiello para abrir o placar. O segundo gol veio ainda na primeira etapa, com o zagueiro-artilheiro Glik, que tem 7 gols nessa temporada, maior número para um defensor em toda a Europa. O capitão granata aproveitou a bobeira da defesa local para chutar forte e ampliar. A Atalanta bem que tentou reagir, mas só foi conseguir descontar na segunda etapa, com Pinilla. O chileno, que já havia tentado uma bicicleta que passou rente ao gol, acertou um voleio perfeito. Ainda com 15 minutos para jogar, a equipe bergamasca pouco conseguiu fazer contra a bem postada defesa do Torino e ainda teve Pinilla expulso após confusão com Basha, que também saiu de campo mais cedo. (CD)

Sassuolo 1-0 Chievo
Após 418 minutos sem tomar gols e quatro bons resultados consecutivos, o Chievo voltou a perder na Serie A. O goleiro Bizzarri foi vazado em cobrança de pênalti de Berardi, que fez o único gol da partida e garantiu a vitória do Sassuolo. O atacante chega ao nono gol no campeonato e mostra que pode jogar bem mesmo na ausência de seu companheiro Zaza, que esteve com a seleção italiana nessa semana. Com a vitória, o Sassuolo vai a 35 pontos e sobe duas posições na tabela, ocupando agora a 12ª.

Outro ponto a comemorar pelo técnico Di Francesco é o fato de a equipe neroverde não ter sofrido gol pela primeira vez nas últimas 16 rodadas. Em jogo movimentado, o Sassuolo fez por merecer o resultado, mas viu um Chievo também buscando o gol. A equipe visitante, porém, não aproveitou os 30 minutos em que teve um jogador a mais - Peluso foi expulso aos 15 minutos do segundo tempo - e acabou voltando para casa com uma derrota que o coloca na 16ª posição, com 32 pontos. Na próxima rodada, o Chievo tenta se recuperar contra o Cesena, também fora de casa, e o Sassuolo visita a Atalanta. (RA)

Verona 3-3 Cesena
E quem diria que o jogo mais movimentado da rodada seria entre Verona e Cesena, dois dos times mais improdutivos e sem fonte técnica do campeonato. Enquanto o Hellas trabalha para chegar nos 40 pontos, os visitantes lutam contra o rebaixamento e o empate desse sábado, pela forma como veio, deve dar um gás à equipe contra a Atalanta de Reja, que não vence há dois meses. Em campo, a história do jogo foi condicionada pelo gol prematuro do Verona, com o velho Toni completando cruzamento de Jankovic na pequena área. A partir de então, o Cesena, que já havia acertado a trave com Defrel, pressionou pelo empate, mas foi diminuindo o ritmo após seguidas chances desperdiçadas. O time da casa, que já levara perigo outras duas vezes com Toni, ampliou o marcador aos 30, em golaço de Juanito. Os gialloblù ainda fizeram outro, com Jankovic, mas Orsato assinalou falta contestável de Toni no marcador.

Isso não impediu o time de Mandorlini de fazer o terceiro, aos 62, em contra-ataque novamente protagonizado por Jankovic e Toni, e novamente em gol do veterano atacante, num voleio esquisito e desengonçado, à sua maneira. Com isso, o centroavante alcançou os 15 gols no campeonato – nove nos últimos oito jogos –, que somados aos 19 da última temporada o deixam com 34. Agora, ao lado de Emiliano Mascetti, Toni se tornou o maior goleador da história do Hellas na primeira divisão. Marca que não pode ser muito comemorada, porque como a partida só acaba no apito final do árbitro, o Cesena contou com o cochilo dos donos da casa e arranjou forças para buscar o empate, em 11 minutos. Carbonero, que já havia impulsionado o time a atacar ao entrar em campo ainda antes do terceiro gol, fez o primeiro dos visitantes aos 70. Aos 77, em cobrança de falta espetacular, Brienza fez o segundo. Aos 81, Succi, destaque da campanha do Cesena na Serie B, mas com apenas seis jogos nesta temporada, empatou, após tabela com Brienza, e deu números finais ao jogo. (AB)

Genoa 1-1 Udinese

No divertido jogo disputado no Marassi, Genoa e Udinese ficaram no 1 a 1. Perica, emprestado pelo Chelsea, exigiu a primeira defesa de Lamanna na partida somente porque De Maio errou na defesa. O outro goleiro, Karnezis, foi salvo pelo travessão – em cobrança de falta de Perotti – e fez uma brilhante intervenção em chance de Tino Costa. O meio-campista deu a assistência para De Maio, de frente para o gol adversário, vencer Karnezis, ainda no primeiro tempo.

O arqueiro da Udinese permaneceu com a boa atuação, sobretudo após as defesas em finalizações de Perotti e Burdisso, já na segunda etapa. Pouco tempo depois, os friulanos empataram com Théréau, que aproveitou o cruzamento de Widmer. As duas equipes permanecem no meio da tabela e separadas por três pontos. Por aí devem ficar até o campeonato acabar. (MM)

Relembre a 28ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

Seleção da rodada
De Sanctis (Roma); Manolas (Roma), Glik (Torino), Rodríguez (Fiorentina); Brienza (Cesena), Parolo (Lazio), Missiroli (Sassuolo), Ménez (Milan); Tévez (Juventus), Toni (Verona), Salah (Fiorentina). Técnico: Vincenzo Montella (Fiorentina).

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário