Subscribe Twitter Facebook

segunda-feira, 15 de junho de 2015

As seleções dos extremos da Serie A 2014-15

Se a cada ano os jovens têm conquistado cada vez mais espaço no futebol italiano, como já falamos aqui inúmeras vezes, ainda há oportunidades para a experiência na Serie A. Cada vez mais, os "novinhos" não se destacam apenas nos clubes provincianos, mas também nos principais, e como protagonistas. Do outro lado, os "coroas" são importantes para fazer essa transição, auxiliando e liderando os garotos.  os veteranos tiveram um destaque especial em 2014/15.

E por falar em jovens e veteranos, impossível deixar passar em branco a disputada artilharia do campeonato: Carlitos Tévez liderou por boa parte da temporada, mas o título acabou dividido entre dois legítimos bombers, Luc Toni e Mauro Icardi, cada um com 22 gols. Toni, 38 anos, profissional desde 1994 e na Serie A desde 2000; Icardi, 22 anos, profissional desde 2012 e no seu terceiro ano de Serie A. Enquanto Toni dava seus primeiros passos como profissional pelo Modena, Icardi acabava de deixar de engatinhar em Rosário.

O blog preparou duas seleções, de jovens e de veteranos, e mais uma lista com menções honrosas. Na seleção dos jovens, foram considerados os jogadores sub-23. Na dos veteranos, apenas jogadores acima de 32 anos. E o que se nota, logo de cara, é o grande número de jovens sub-23 destaques no campeonato, nas mais variadas posições.

Os masters também aparecem em todas as posições, mas mais específicos: os vários goleiros, decisivos com defesas de reflexo, bom posicionamento e organização da defesa; os zagueiros, mais imponentes, líderes de suas defesas e presentes na bola aérea; os meio-campistas, alguns mais técnicos e/ou defensivos, que cadenciam e organizam o jogo e/ou mantém o equilíbrio no meio de campo, outros mais “elétricos”, ainda com muito fôlego e disposição, participando com dribles e desmarques; e os atacantes, dos mais “pesadões”, dominando a pequena área e usando todo seu oportunismo e força física, aos mais “leves”, muito participativos na construção do jogo, habilidosos e ainda ágeis. Confira.

Qual time ganharia? Faça suas apostas! (Share my Tatics)
Serie A dos jovens

Mattia Perin
Idade: 22 anos (10 de novembro de 1992)
Posição: goleiro
Clube: Genoa

Impossível falar de goleiro jovem na Serie A e não lembrar de Perin. Aos 22 anos, é uma realidade pelo Genoa e um dos melhores na posição da Serie A há três temporadas. Observado por grande clubes, de contrato renovado até 2019 e já avaliado em 15 milhões de euros, o camisa 1 grifone fez 109 defesas em 32 partidas, atrás apenas de Sportiello, outro grande destaque sub-23, e Karnezis. Ele levou 38 gols e ficou sete partidas sem sofrer nenhum, tendo ainda a melhor avaliação de um goleiro com mais de 30 partidas. Herdeiro legítimo de Buffon.

Nikola Maksimovic
Idade: 23 anos (25 de novembro de 1991)
Posição: defensor
Clube: Torino

Quando contratado na temporada passada, Maksimovic já gerava certa expectativa, e aos poucos respondeu com boas atuações, mostrando ser um defensor completo, concentrado, de bom posicionamento, preciso em desarmes e interceptações e técnico. Também mostrou versatilidade, jogando inúmeras vezes como ala, e bem. Em 14/15, com seu lugar garantido numa das melhores defesas do campeonato, evoluiu e sempre foi uma constante em segurança e técnica na defesa granata, inclusive sendo o segundo zagueiro com melhor avaliação no campeonato, atrás de Astori e empatado com Gonzalo Rodríguez.

Stefan de Vrij
Idade: 23 anos (5 de fevereiro de 1992)
Posição: defensor
Clube: Lazio

Destaque absoluto na Copa do Mundo na Holanda de Van Gaal, De Vrij foi contratado por cerca de 8,5 milhões de euros pela Lazio, após muita disputa no mercado. E não decepcionou, se tornando um zagueiro mais completo e dando consistência num setor delicado para o time da capital nos últimos anos. Como Maksimovic, teve avaliação bastante considerável, próxima dos três citados e de Chiellini. Ágil e com boa leitura de jogo, ajudou a dar equilíbrio ao time de Pioli e na saída de bola, sempre com muita energia, demonstrada nos desarmes.

Daniele Rugani
Idade: 20 anos (29 de julho de 1994)
Posição: defensor
Clube: Empoli

Quem o viu em campo e não o conhecia talvez tenha pensado que tivesse seus 30 e poucos anos. Mas não, tem apenas 20 anos mesmo. Um jovem veterano, fazendo sua estreia na Serie A, apenas no seu segundo ano como profissional e por um clube provinciano e sem grandes expectativas no campeonato. Nada disso importou a Rugani, o zagueiro mais calmo e preciso dos últimos anos. Ele não precisa fazer faltas ou entrar mais duro para desarmar seu oponente ou parar um ataque. Jogou absolutamente todos os minutos do campeonato e não levou um cartão sequer - um recorde, aliás. Tudo isso também com ótimo desempenho na bola aérea e participação ofensiva. A Juventus, que não é boba, já garantiu sua contratação desde 2013.

Alessio Romagnoli
Idade: 20 anos (12 de janeiro de 1995)
Posição: defensor
Clube: Sampdoria

O caçula da seleção é tão jovem quanto Rugani, mas um tanto diferente do seu parceiro de seleção sub-21. De sua forma, é um projeto de grande zagueiro: agressivo e ágil, talvez até mesmo pelo jeito que jogam os times de Mihajlovic, Romagnoli preserva as características de um clássico zagueiro italiano. É concentrado e preciso nos desarmes, mas também técnico e hábil com a bola, o que já lhe rendera partidas como lateral no ano passado pela Roma. Seu lugar é mesmo no centro, onde fez valer a titularidade na Sampdoria.

Os anos passam e a pergunta fica: quem segura Pogba?
Felipe Anderson
Idade: 22 anos (15 de abril de 1993)
Posição: meio-campista
Clube: Lazio

Felipe Anderson foi precocemente criticado e chamado de flop na primeira temporada, considerado o alto custo e baixo impacto. Porém, com Pioli encontrou a oportunidade de ganhar seu espaço e mostrar suas qualidades, o que começou a surgir com maior frequência em dezembro. A partir de então, o brasileiro foi ganhando confiança e importância no jogo laziale, com dribles, passes decisivos e muitos chutes. Foram números impressionantes e fundamentais na ótima campanha da Lazio (10 gols e 8 assistências), mas que também renderam excessiva badalação e natural valorização. O meia-atacante renovou contrato por cinco anos e aumentou substancialmente seu salário e valor de mercado.

Pedro Obiang
Idade: 23 anos (27 de março de 1992)
Posição: meio-campista
Clube: Sampdoria

Um dos tantos espanhóis que foram para a Itália ainda com menos de 18 anos, Obiang não é nenhuma novidade na Itália, titular há quatro anos na Sampdoria. Em 14/15, teve seu grande momento na Serie A, se destacando por seu futebol completo, com destaque para sua energia - muito bem aproveitada por Mihajlovic, o que fez o volante ter o dobro de cartões amarelos. Mas o espanhol também tem muita técnica e inteligência, e foi um dos líderes em desarmes e passes certos no campeonato. Como não poderia deixar de ser, gerou ainda mais interesse de outros clubes e também da seleção italiana, apesar de afirmar que deseja esperar uma chance pela Espanha, mesmo tendo sido pouco aproveitado até mesmo na base. A transferência para outro clube ele já conseguiu: será reforço do West Ham para 2015-16.

Paul Pogba
Idade: 22 anos (15 de março de 1993)
Posição: meio-campista
Clube: Juventus

O que falar de Pogba sem cair na mesmice? Um personagem e tanto por si só, de personalidade forte, o francês evolui a cada ano e tem se tornado um meio-campista ainda mais arrebatador. Com Allegri, seguiu desequilibrando com a bola, mas cresceu a jogar sem, dando maior movimentação e participando mais ativamente das transições, apesar de ainda ser irregular durante os 90 minutos. De contrato novo, é badalado pelos clubes milionários, mas tem se mantido em silêncio quanto ao futuro, respondendo em campo com seus chutes, dribles, passes e jogadas improváveis. Um dos maiores craques do futebol mundial.

Mateo Kovacic
Idade: 21 anos (6 de maio de 1994)
Posição: meio-campista
Clube: Inter

Um dos maiores talentos do campeonato, Kovacic ainda tem tido dificuldade em se consolidar. Contudo, faz valer a camisa 10 e é o principal fator desequilibrante da Inter, e mesmo sem corresponder sempre, se omitindo ou convivendo com o banco, sempre aparece entre os líderes do time em chances criadas e dribles. Um talento bruto, lapidado um pouco por Stramaccioni, Mazzarri e Mancini, mas ainda tendo bastante o que desenvolver - psicologicamente, especialmente - e encontrar seu lugar ideal, apesar de ser um "todocampista" natural. Resta saber se a Inter terá paciência para bancar o crescimento do croata e lhe dar o posto de líder, ou aproveitar tamanho talento para fazer dinheiro e tornar o time competitivo, o que soa estranho e confuso.

Paulo Dybala
Idade: 21 anos (15 de novembro de 1993)
Posição: atacante
Clube: Palermo

Um pouco como Anderson, Dybala não teve vida muito fácil no início de Itália. Contratado por um preço elevado e ainda muito jovem, o habilidoso canhoto precisou de três temporadas para se tornar protagonista, e apesar de sempre ter mostrado seu talento, era alvo de duras críticas. Mas o futebol dá voltas, e muito rápido. Hoje Dybala é um dos melhores atacantes do campeonato após excelente temporada com o Palermo, autor de 13 gols e 10 assistências. Muito completo, não demorou para se tornar o principal alvo dos maiores clubes italianos, e escolheu com bastante confiança seu futuro: a partir de julho fará parte do elenco da gigante Juventus.

Icardi, destaque de uma temporada opaca da Inter
Mauro Icardi
Idade: 22 anos (19 de fevereiro de 1993)
Posição: atacante
Clube: Inter

Ninguém participou diretamente de gols mais do que Icardi nesse campeonato. Artilheiro do campeonato ao lado de Toni, com 22 gols em 36 partidas, e autor de seis assistências, o camisa 9 nerazzurro não demorou para mostrar porque o clube de Milão apostava tanto em seu talento. Já bom e goleador com Mazzarri, teve seu jogo aprimorado com Mancini, que lhe exigiu mais nos treinos. O argentino respondeu bem, com melhora significativa no seu futebol, participando mais e usando melhor seus atributos, não apenas para gols, que aumentaram bastante. Também um personagem único, marrento e simples ao mesmo tempo, parece satisfeito em continuar em Milão, mesmo com o mau momento do clube e recebendo menos do que outros centros lhe oferecem. Talvez, em outro clube, recebesse chances reais no concorrido ataque da Argentina.

Menções honrosas
Goleiros: Sportiello (Atalanta) e Leali (Cesena)
Defensores: Manolas (Roma), Widmer (Udinese), Hysaj (Empoli), Lazaar (Palermo), Zappacosta (Atalanta) e Krajnc (Cesena)
Meio-campistas: Saponara (Milan/Empoli), Soriano (Sampdoria), Vecino (Empoli), Mauri (Parma), Sala (Verona), Cataldi (Lazio), Baselli (Atalanta), van Ginkel (Milan), Crisetig (Cagliari), Benassi (Torino), Donsah (Cagliari) e Duncan (Sampdoria)
Atacantes: Gabbiadini (Sampdoria/Napoli), Berardi (Sassuolo), Salah (Fiorentina), Defrel (Cesena), Zaza (Sassuolo), Pucciarelli (Empoli), Morata (Juventus), Sansone (Sassuolo), M'Poku (Cagliari), Babacar (Fiorentina) e Lestienne (Genoa)

Serie A dos veteranos

Diego López
Idade: 33 anos (3 de novembro de 1981)
Posição: goleiro
Clube: Milan

Você sabia que, entre os goleiros, o espanhol do Milan foi o mais presente nas seleções das rodadas do Quattro Tratti? Pois é, em quatro ocasiões o espanhol foi eleito o melhor da rodada, e com muito merecimento. Destoando positivamente em uma defesa em frangalhos e desequilibrada, o camisa 23 fez de tudo e em várias situações garantiu pontos para o time de Inzaghi com defesas espetaculares, compensando números não tão bons em relação a Buffon e Bizzarri: 28 jogos, 42 gols sofridos e cinco jogos sem levar gols.

Giuseppe Biava
Idade: 38 anos (8 de maio de 1977)
Posição: defensor
Clube: Atalanta

Apesar de ter disputado apenas metade do campeonato, com 18 partidas, Biava também deixou seu nome nas seleções da rodada, com três participações. Numa Atalanta recheada de veteranos, foi um dos poucos que se destacou, sempre bem posicionado e ainda preciso nos desarmes e interceptações. Ainda fez dois gols importantes para a Dea. Na briga por uma vaga com Vidic e Burdisso, pesaram sua boa média e regularidade enquanto esteve em campo.

Dario Dainelli
Idade: 35 anos (9 de junho de 1979)
Posição: defensor
Clube: Chievo

Não é novidade falar de Dainelli como um dos bons veteranos da Serie A. O experiente zagueiro do Chievo se destaca há pelo menos três anos na elite do futebol italiano, sendo o pilar mais forte de um sistema defensivo muito sólido e consistente que é o do time de Verona – neste ano, os clivensi tiveram a quarta defesa menos vazada no campeonato, tendo sofrido 41 gols. Compensando a falta de agilidade, Dainelli está sempre concentrado e bem posicionado, impedindo incursões na sua área e interceptando passes, além de nunca se deixar ser dominando pelo centroavante adversário. Um zagueiro à italiana no melhor sentido.

Emiliano Moretti
Idade: 33 anos (11 de junho de 1981)
Posição: defensor
Clube: Torino

Outro sistema defensivo consistente é o do Torino, o sexto menos vazado do campeonato, e Moretti é um dos responsáveis por isso, desde que o time piemontês retornou à Serie A. Combinando agressividade no combate com bom posicionamento e, ofensivamente, com opção de passe seguro e oportunismo nas bolas paradas, é um dos melhores do campeonato no setor. Isso tem lhe rendido convocações para a seleção italiana, algo que nunca acontecera em sua longa carreira.

Não foi culpa dele: Diego López amenizou temporada ruim do Milan
Joaquín
Idade: 33 anos (21 de julho de 1981)
Posição: meio-campista
Clube: Fiorentina

No auge de seus 33 anos, Joaquín tem mostrado que ainda tem muito o que acrescentar. Na confusa temporada da Fiorentina, se destacou como um dos principais argumentos ofensivos do time de Montella. O espanhol jogou como ala-direito e gerou boas ocasiões para os viola por ali, abrindo campo ou cortando pra dentro com dribles, passes decisivos e domínio no setor. Não teve a cota de gols e assistências de Cuadrado, mas foi produtivo no lado onde o colombiano era o melhor do campeonato.

Giuseppe Vives
Idade: 34 anos (14 de julho de 1980)
Posição: meio-campista
Clube: Torino

Mais um do Torino, mais um homem de confiança de Ventura. Dono do meio-campo granata há quatro anos, Vives combina garra, com agressividade nos combates e desarmes, com certa técnica, dando equilíbrio ao setor, além de bem posicionado para interceptar passes e iniciar contra-ataques. Nesta temporada ainda se destacou com cinco assistências para gols.

Andrea Pirlo
Idade: 36 anos (19 de maio de 1979)
Posição: meio-campista
Clube: Juventus

Menos presente do que em outros campeonatos, Pirlo foi decisivo e importante como sempre para a Juventus. Pentacampeão italiano, de 2011 a 2015, jogou 20 vezes, marcou quatro decisivos gols e deu passes diretos para outros cinco. Tudo isso com a classe e elegância de sempre, mas também com muita entrega, liderança e inteligência, controlando o jogo e os decidindo, mesmo que sofrendo com problemas físicos e sendo poupado para os jogos decisivos da Liga dos Campeões.

Daniele Croce
Idade: 32 anos (9 de setembro de 1982)
Posição: meio-campista
Clube: Empoli

No time de operários da máquina de Sarri, Croce é um dos tantos coadjuvantes importantes nesse sistema. O “motorzinho” de um meio-campo que contou com o brilho de dois que desequilibravam, Valdifiori e Saponara, muitas vezes foi a válvula de escape pela esquerda, combinando e tabelando com o lateral-esquerdo e o atacante que caíam por ali, criando linhas de passes e contribuindo com dribles e marcação.

Miroslav Klose
Idade: 36 anos (9 de junho de 1978)
Posição: atacante
Clube: Lazio

Enfrentando a desconfiança e falta de minutos, começando a temporada como reserva, Klose superou tudo isso e novamente foi um homem importante para a Lazio. Agora de forma especial, sendo artilheiro do elenco que levou o clube romano para a Liga dos Campeões depois de oito anos. Com média de 53 minutos por jogo, ainda assim fez 13 gols e deu 7 assistências, e contribuiu com seu poder de decisão e oportunismo. Além disso, deu muito trabalho sem a bola, auxiliando na marcação e criando espaços para Candreva e Felipe Anderson.

Bang, bang: Toni foi matador outra vez pelo Verona
Luca Toni
Idade: 38 anos (26 de maio de 1977)
Posição: atacante
Clube: Verona

Klose é um senhor centroavante, maior artilheiro da história da Copa do Mundo, mas Toni também impõe respeito. E a reviravolta na sua carreira representa muito disso. Forte, dominador e oportunista, nunca perdeu essas características, apesar dos constantes problemas físicos e poucos minutos quando passou por Roma, Genoa, Juventus, Al Nasr e Fiorentina. Quando seu contrato com os viola terminou, lhe ofereceram um cargo na diretoria, e o grandalhão desengonçado hoje responde com 42 gols em 72 partidas, mais do que qualquer outro nas últimas duas temporadas do campeonato. Só nesta foram 22 e o título de artilheiro com Icardi. O grande fator do Verona se sustentar no meio da tabela.

Antonio Di Natale
Idade: 37 anos (13 de outubro de 1977)
Posição: atacante
Clube: Udinese

207 vezes Di Natale. Um exemplo de profissional e ser humano, Di Natale também é um grande artilheiro, mesmo que o contexto nem sempre tenha sido o mais propício. Em 2014-15 ele marcou 14 gols, e foi o principal nome do decepcionante time de Stramaccioni. Com isso, Totò atingiu a incrível marca de 207 gols na Serie A por Empoli e Udinese, superando Roberto Baggio e alcançando um sonho do seu pai, que infelizmente não pode ver o filho superar um dos maiores jogadores da história do futebol italiano.

Menções honrosas
Goleiros: Buffon (Juventus), Bizzarri (Chievo), De Sanctis (Roma), Rafael (Verona) e Sorrentino (Palermo)
Defensores: Burdisso (Genoa), Vidic (Inter), Evra (Juventus), Stendardo (Atalanta), Barzagli (Juventus) e Gobbi (Parma)
Meio-campistas: Mauri (Lazio), Keita (Roma) e Palombo (Sampdoria)
Atacantes: Palacio (Inter), Maccarone (Empoli), Totti (Roma), Brienza (Cesena) e Denis (Atalanta)

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário