Subscribe Twitter Facebook

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Para virar o fio

Morata e Mandzukic deram à Juventus uma estreia dourada na Liga dos Campeões (Reuters)
Mais cedo, aqui no blog, falamos sobre como Massimiliano Allegri tinha dificuldades em sua segunda temporada por grandes clubes. Na Juventus, enfrentando uma reformulação após as saídas de Pirlo, Vidal e Tévez, ele começou a temporada insistindo em improvisar algumas peças no 4-3-1-2 e no 3-5-2. Colecionou três tropeços em quatro jogos oficiais. Pressionado já no início da temporada, Allegri mudou: na estreia na Liga dos Campeões, contra o Manchester City, o adversário mais forte no difícil Grupo D, ele escalou a equipe no 4-1-4-1 – uma variação do 4-3-3 – e colheu os frutos. A Juve venceu bem e pode ter achado o jeito certo para reagir logo em 2015-16.

Nos primeiros minutos, as mudanças fizeram efeito. A Juventus abriu o placar com Pogba, após cruzamento de Cuadrado, mas o gol foi mal anulado por impedimento. A Velha Senhora fez seu melhor primeiro tempo em toda a temporada, mas logo na volta do intervalo sofreu novamente com a arbitragem. Kompany se apoiou nitidamente sobre as costas de Chiellini, que se atrapalhou e acabou cabeceando contra as próprias redes para abrir o placar para os Citizens – a arbitragem deixou passar. 1 a 0 para os donos da casa, que não mereciam a vitória.

Com a vantagem, o Manchester City se empolgou e aí exigiu que Buffon mostrasse porque é um dos maiores de toda a história. Primeiro, uma dupla defesa, em que defendeu chute no contrapé e também mostrou reflexo. Mais tarde, quando a Juve já estava vencendo, voando pra defender chute perigoso de Yaya Touré.

Após o primeiro conjunto de defesas do capitão, a Juventus reagiu e voltou a entrar no jogo. Pogba cruzou na medida para Mandzukic se jogar nas costas da defesa e empatar. Minutos depois, a defesa dos ingleses errou e Morata, que continua mostrando sua estrela nos jogos da competição, virou a partida, de forma merecida, para a Juventus. O espanhol, aliás, vai dando uma de Boniek – estrela da Juventus nos anos 1980, e que, por brilhar nos jogos de competições continentais, era chamado de "Bello di Notte", já que estes jogos aconteciam apenas à noite.

A chave para reagir na temporada deve ser esta: 4-1-4-1 ou 4-3-3 (ou mesmo um 4-2-3-1) como esquema-base, utilização de jogadores em suas posições preferenciais e a mesma vontade de vencer dos anos anteriores. Allegri teve uma demonstração disso de cara, na primeira apresentação do time. Há muito tempo pela frente, e a Juventus tem tudo para virar o fio.

Manchester City 1-2 Juventus
Local: Estádio City of Manchester
Árbitro: Damir Skomina (Eslovênia)

Manchester City (4-2-3-1): Hart; Sagna, Kompany (Otamendi), Mangala, Kolarov; Touré, Fernandinho; Nasri (Agüero), Silva, Sterling (De Bruyne); Bony. Técnico: Manuel Pellegrini.

Juventus (4-1-4-1): Buffon; Lichtsteiner, Bonucci, Chiellini, Evra; Hernanes; Cuadrado, Sturaro, Pogba, Morata (Barzagli); Mandzukic (Dybala).

Gols: Chiellini (contra; 57), Mandzukic (70) e Morata (81).

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário