Subscribe Twitter Facebook

terça-feira, 3 de novembro de 2015

11ª rodada: Ultrapassagem em estilos diferentes

Com outro 1 a 0 e excelente atuação de Handanovic, a Inter bateu a Roma e virou líder (beIN SPORTS)
Dois estilos diferentes estão no topo da Serie A. De um lado, a Fiorentina, segundo melhor ataque e terceira melhor defesa da competição; do outro a Inter, melhor defesa e com um ataque digno de equipe rebaixada – a rigor, apenas os sete últimos times do torneio têm um ataque tão ruim quando o da líder azul e preta. Na 11ª rodada, os dois estilos puderam ser vistos em sua ultrapassagem sobre a Roma. Enquanto a viola goleava o minúsculo Frosinone, a Beneamata fazia o confronto direto contra a Loba giallorossa e a vitimava com um solitário gol marcado. Hoje, o saldo de gols da Fiorentina (13) é superior ao número de gols marcados pela Inter (11). Será assim até o final?

A rodada, de pouco gols (apenas 19), ainda teve três empates por 0 a 0 – um número maior do que o total de todo o torneio até então; apenas duas igualdades sem gols. Apesar disso, os jogos foram movimentados, especialmente os jogos entre milaneses e romanos, Inter e Roma e Lazio e Milan, e o dérbi de Turim, disputado por Juventus e Torino. Acompanhe o que de melhor aconteceu neste fim de semana na Itália.

Inter 1-0 Roma
Medel (Jovetic)

Tops: Handanovic (I) e Medel (I) | Flops: Pjanic (R) e Szczesny (R)

Pragmática como sempre, a Inter deu uma grande demonstração de força contra a ex-líder Roma, e assumiu a ponta da tabela ao lado da Fiorentina. Sem Icardi, preterido por questão tática por Mancini, apostou em um time mais trabalhador apoiado por estratégia defensiva, com laterais adaptados ao adversário e bastante apoio dos pontas. Foram estes jogadores os grandes destaques do time, juntamente com a dupla de zaga e as defesas salvadoras de Handanovic, que mantiveram a meta interista intacta. Mesmo sem encantar, a equipe de Mancini superou a de Garcia: o francês até encontrou maneiras para superar a estratégia nerazzurra, mas esbarrou na falta de pontaria dos atacantes no último terço de campo, e mais uma vez, nas defesas do goleiro rival.

Em termos ofensivos, a ideia de Mancini foi simplesmente focar em Jovetic, que até mesmo foi poupado de trabalhos defensivos exaustivos, apoiado pela dinâmica e movimentação dos outros. Assim saíram as poucas oportunidades criadas pelos anfitriões e, inclusive, o gol da vitória. Para surpresa geral da nação, Medel tabelou com o camisa 10 interista e chutou firme de fora da área, contando com a lentidão de Szczesny para fazer o gol do cotejo. Lentidão que não se repetiu no gol do outro lado, em que Handanovic fez nove defesas, com destaque para a sequência de quatro chutes romanos bloqueados pelo esloveno, o grande destaque da noite.

Juventus 2-1 Torino
Pogba (Cuadrado), Cuadrado (Alex Sandro) | Bovo

Tops: Cuadrado (J) e Bovo (T) | Flops: Evra (J) e Baselli (T)

Acréscimos, jogo prestes a acabar e... gol da Juventus. Mesmo roteiro, mesmo "azar" granata (falta de concentração, na verdade) e "sorte" bianconera (força de vontade e qualidade individual). A Juventus de Allegri tem mostrado sinais de reação e sido melhor no jogo coletivo, apesar de apresentar alguns problemas no último terço do campo. O que não significa que o time não esteja a sofrer, pois, mesmo superior ao Torino no clássico, somente aos 92' garantiu a vitória, quando Alex Sandro, ainda pouco utilizado, desceu pela esquerda e cruzou para Cuadrado desviar.

O colombiano foi o destaque da partida, e ainda deu um passe que terminou no golaço de Pogba - este ainda irregular, mas gerando jogadas. Curiosamente, ele começou no banco, mas entrou no lugar do lesionado Khedira ainda aos 11' - o alemão se machucou sem gravidade e deve voltar aos campos ainda esta semana. O Torino, que segue sofrendo mais do que sofria antes na defesa, não teve teve diversidade na criação de jogadas, em dia ruim de Baselli e Quagliarella, e se preocupou mais em defender. O Toro acabou marcando seu gol com Bovo, da forma mais bizarra possível: o zagueiro cobrou falta com força em cima do companheiro e, depois da carimbada, arrematou no rebote com bonito chute de esquerda. Tanto Juve quanto Torino têm 15 pontos e estão na 10ª posição, quatro pontos abaixo da zona de vagas europeias.

Fiorentina 4-1 Frosinone
Rebic, Rodríguez (Mati Fernández), Babacar, Suárez | Frara

Tops: Mati Fernández e Borja Valero (FIO) | Flop: Diakité (FRO)

Com o pensamento na Liga Europa, competição em que busca recuperar-se e deixar a lanterna de seu grupo, a Fiorentina foi de time reserva e, contra o time misto do Frosinone, se saiu melhor do que esperava para voltar a liderar a Serie A. Na verdade, o time teve uma das melhores atuações no campeonato. Mérito para os reservas em busca de espaço e planejamento de Paulo Sousa: sua equipe dominou completamente, com recorde de posse de bola e chutes totais. Todos os gols dos viola saíram no primeiro tempo, com intervalo curto entre os três primeiros. Aos 24', Rebic tabelou com Mati Fernández e acertou chute (com cara de cruzamento) improvável, abrindo o placar. Aos 28', novamente Fernández, dessa vez cobrando falta completada com belo cabeceio de Rodríguez. No lance seguinte, a terceira intervenção de Fernández no placar, sofrendo pênalti, convertido por Babacar. Aos 43', pressing alto da Fiorentina e passe do goleiro Zappino interceptado por Suárez, que fez bela jogada e decretou a vitória. Já aos 86', a defesa viola cochilou e após bate-rebate, Frara descontou.

Lazio 1-3 Milan
Kishna (Cataldi) | Bertolacci, Mexès (Bonaventura), Bacca (Bonaventura)

Tops: Bonaventura e Montolivo (M) | Flops: Cataldi e Marchetti (L)

Mais uma vitória na conta do Milan, a terceira seguida, e que leva a equipe para a quinta posição. O time de Mihaljovic não é um primor de futebol ofensivo, mas é coerente, equilibrado e tem um plano de jogo, que tem conseguido ser executado e vitorioso ultimamente. Como sempre, o lado esquerdo comandado por Bonaventura é o ponto forte. Dali e dos pés do meia-atacante rossonero saíram os três gols: o primeiro aos 24', quando após lateral, o camisa 28 inverteu o jogo, Cerci puxou pra esquerda e chutou de longe, enquanto Bertolacci foi oportunista e aproveitou o rebote de Marchetti. O segundo, já aos 52', veio em cobrança de falta desviada pelo ex-romanista Mexès, que ainda não havia jogado este ano. O terceiro, aos 79', foi mais prazeroso de ser visto por quem gosta de bom futebol: em ataque rápido, Bonaventura acionou o desmarque de Bacca, que ainda driblou o goleiro antes de garantir a vitória do Diavolo na Cidade Eterna. A Lazio, que segue muito esquisita, só descontou aos 85' com o garoto Kishna. Foi a terceira derrota contundente dos biancocelesti nesta temporada, e a primeira em casa.

Genoa 0-0 Napoli

Tops: Perin e Perotti (G) | Flop: Callejón (N)

Depois de sete vitórias consecutivas entre campeonato e Liga Europa, enfim um tropeço para o Napoli de Sarri, que perdeu a chance de tomar a liderança e ficou na quarta posição. Mas nada desesperador, até mesmo porque enfrentou um Genoa chato e difícil de jogar contra no Marassi. Ofensivamente os napolitanos não estiveram bem, errando passes que geralmente não erram, perdendo muitas bolas e mesmo finalizando mal - com méritos também para o goleiro Perin, do Genoa. Os grifoni, que são sempre ameaça pela intensidade com que atacam, tiveram um Perotti inspirado, mas a defesa adversária deu outra demonstração da organização e boa fase. Um 0 a 0 que não foi ruim de ser visto.

Bologna 3-0 Atalanta
Giaccherini, Destro (Masina), Brienza (Taïder)

Tops: Masina e Destro (B) | Flop: Rafael Tolói (A)

Melhor estreia impossível para Donadoni no comando do Bologna, que tem um elenco decente e já deveria ter feito melhores jogos no campeonato. O ex-treinador do Parma, porém, não fez mudanças táticas em relação ao time de Rossi, a quem dedicou a vitória. Os três pontos dão um gás para os emilianos se recuperarem e têm significado ainda maior para Giaccherini e Destro, que voltaram às redes. Vale exatamente o contrário para Rafael Tolói, que entrou no segundo tempo e falhou nos dois primeiros gols. Brienza ainda fez o terceiro, com uma belíssima execução da lei do ex.

Chievo 1-1 Sampdoria
Inglese (Meggiorini) | Éder (Carbonero)

Top: Carbonero (S) | Flop: Paloschi (C)

Depois de três derrotas seguidas, um ponto para o Chievo, ainda em queda na tabela depois de bom começo. Dessa vez, o time de Maran procurou mais o ataque, mas esbarrou nas próprias deficiências técnicas, levando pouco perigo a uma Sampdoria sem muita graça, ativa somente com Carbonero e Éder, autor do gol inaugural, logo aos 7', e artilheiro do campeonato, com nove gols. O empate dos anfitriões também veio no primeiro tempo, aos 34', com Inglese em passe de Meggiorini.

Palermo 0-1 Empoli
Saponara

Top: Saponara (E) | Flop: Gilardino (P)

Sem o fator desequilibrante da temporada passada (Dybala), o fator criativo (Vázquez) não tem sido o bastante para o Palermo nesse início de campeonato. Sem também Belotti, que decidia jogos no segundo tempo, os sicilianos estão sofrendo para pontuar, mesmo em casa. Muito disso também passa pelo pouco brilho de Gilardino, a aposta dos rosanero, que dessa vez apenas acertou a trave. Tudo isso claramente não é o bastante contra um Empoli que voltou a ser organizado e competir decentemente. E também Saponara, que decidiu a partida com gol de falta, surpreendendo Sorrentino.

Udinese 0-0 Sassuolo

Top: Bruno Fernandes (U) | Flop: Di Natale (U)

Não que gerasse muita expectativa, mas a partida no Friuli foi um tanto decepcionante. Pelos talentos individuais e jovens presentes, esperava-se mais futebol, mas o Sassuolo não fez muita questão de atacar, enquanto a Udinese esbarra no mau momento de Di Natale – embora o pequenino Fernandes tenha se destacado. Do outro lado, Berardi também ficou devendo, enquanto Floro Flores acertou a trave contra seu ex-time. Para minimizar o empate, a Udinese teve boa atuação defensiva, mas que não garante tantos pontos para ficar longe da zona de rebaixamento. Hoje a vantagem para o Bologna é de três pontos.

Carpi 0-0 Verona

Top: Gabriel Silva (C) | Flop: Pazzini (V)

Na partida menos esperada da rodada, entre os últimos colocados do campeonato, tudo dentro dos conformes e placar zerado. Não exatamente por falta de oportunidades, porque os anfitriões chegaram ao gol de Rafael seis vezes, que impediu todas e viu seu time ter mais a posse de bola, mas pouco criar com Pazzini no comando do ataque. Sem Toni, o Verona sofre, e o experiente atacante deve retornar aos campos apenas em janeiro.

*Os nomes entre parênteses nos resultados indicam os responsáveis pelas assistências para os gols

Relembre a 10ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

A Liga Serie A disponibiliza os melhores momentos da rodada em seu canal oficial. Veja os melhores momentos dos jogos abaixo.



Seleção da rodada
Handanovic (Inter); Nagatomo (Inter), Rodríguez (Fiorentina), Mexès (Milan), Masina (Bologna); Cuadrado (Juventus), Mati Fernández (Fiorentina), Saponara (Empoli), Borja Valero (Fiorentina), Bonaventura (Milan); Destro (Bologna). Técnico: Sinisa Mihajlovic (Milan).

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário