Subscribe Twitter Facebook

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

14ª rodada: O novo sonho napolitano

Artilheiro do campeonato, com 12 gols, Higuaín faz Napoli sonhar de novo com o scudetto após 25 anos. Média de gols já é a melhor da carreira do argentino, em lua de mel com a torcida (Repubblica)
A espera foi longa, mas agora a torcida do Napoli tem motivos de sobra para comemorar e sonhar. Após 25 anos, o time voltou a ser líder isolado da Serie A, depois de vitória contra a Inter, e não dá sinais de que vai deixar a ponta escapar facilmente. Repetir os feitos históricos de Maradona e Careca não é tarefa fácil, claro, mas a equipe de Maurizio Sarri, comandada por um Higuaín implacável, mostra que pode, sim, voltar a dar o scudetto para a apaixonada torcida azzurra. O futebol apresentado é o melhor da Itália até agora e, com a falta de regularidade de potenciais rivais pelo título, como Fiorentina, Roma e Milan, o sonho é possível. 

Inter, muito consistente sob o comando de Roberto Mancini e brava até o fim na partida mais importante do campeonato até aqui, e Juventus, em uma crescente que assusta os adversários, devem aparecer como principais candidatos a atrapalhar o sonho napolitano. Também foi destaque na rodada o Milan, com um Niang inspiradíssimo, enquanto Fiorentina e Roma voltaram a decepcionar. Na parte de baixo da tabela, o cenário dá uma agitada, com as derrotas de Verona, Bologna e Palermo. Teve até treinador demitido após mais um resultado negativo. Leia o resumo da 14ª rodada:

Napoli 2-1 Inter
Higuaín, Higuaín (Albiol) | Ljajic

Tops: Higuaín, Reina (N) e Ljajic (I) | Flops: Nagatomo e Icardi (I)

O campeonato ainda nem chegou à metade, mas Higuaín, Reina, Hamsík, Insigne e companhia já escreveram seus nomes na história do Napoli e da Serie A. Isso porque, com a vitória sobre a Inter, os azzurri voltam a liderar isoladamente a elite italiana após 25 anos – é o quarto líder isolado diferente na temporada, disputadíssima. A última equipe capaz disso foi aquela campeã de Maradona e Careca, na temporada 1989-90. E a façanha é merecida: sob o comando de Maurizio Sarri, os napolitanos apresentam o melhor futebol da Bota no momento, com sobras, até. O Napoli é o mais equilibrado dos postulantes ao título - já são 13 rodadas de invencibilidade e apenas um gol sofrido nos últimos seis jogos - e também o que mais encanta.

Diante da Inter, no San Paolo, a intensidade típica da equipe apareceu logo no início e Higuaín precisou de apenas 64 segundos para dar seu primeiro chute e abrir o placar, em chute matador, sem chances para Handanovic. O 1 a 0 não fez o time recuar e o Napoli permaneceu melhor durante todo o primeiro tempo, causando, inclusive, a expulsão de Nagatomo, que levou dois amarelos polêmicos e questionados pelo staff interista. O time aproveitou a superioridade numérica e fez 2 a 0, de novo com o artilheiro Higuaín – em uma segunda falha crucial de Murillo, o pior em campo –, mas sofreu gol de Ljajic e deixou o jogo em aberto. Nos 40 segundos finais, Pepe Reina e a trave salvaram o Napoli de sofrer o empate, contra Jovetic e Miranda, mas o resultado acabou coroando a melhor equipe. Agora, o trabalho de Sarri é manter o foco da equipe e continuar em curva ascendente, num campeonato que promete muito para a torcida azzurra, mas ainda tem muitas rodadas pela frente. 

Sassuolo 1-1 Fiorentina
Floccari (Vrsaljko) | Borja Valero

Tops: Floccari (S) e Borja Valero (F) | Flops: Acerbi (S) e Rodríguez (F)

Quem perdeu a chance de encostar na liderança de novo foi a Fiorentina. Após empate por 2 a 2 com o Empoli na última rodada, a viola voltou a ceder para um time pequeno e não conseguiu sair do 1 a 1 com o Sassuolo. O time até começou bem jogando fora de casa e dominou a primeira meia hora, mas não foi capaz de fazer mais do que 1 a 0 - Borja Valero fez o gol e Ilicic perdeu pelo menos dois na cara - e sofreu o empate ainda no fim da primeira etapa. O time da casa sofreu com o gol e teve o domínio do jogo na maior parte do segundo tempo, exigindo boas defesas de Tatarusanu. Assim, a viola perdeu a chance de reassumir a liderança e estacionou nos 29 pontos, na terceira colocação. O Sassuolo cai para a sexta posição, mas mantém a boa campanha, com apenas três derrotas até aqui. Inclusive, outros times grandes caíram no Città del Tricolore: Napoli, Juventus e Lazio.

Palermo 0-3 Juventus
Mandzukic (Dybala), Sturaro (Pogba) e Zaza (Morata)

Tops: Dybala e Mandzukic (J) | Flops: Struna e Brugman (P)

A Juventus espantou a turbulência do início da temporada e agora começa a mostrar a regularidade que a fez campeã nos últimos anos. Pela primeira vez nesse campeonato, o time de Allegri conseguiu engrenar sequência de quatro vitórias seguidas e, mais do que isso, começa a mostrar bom futebol. Escalada no 3-5-2 que deu certo contra o Manchester City no meio da semana, pela Liga dos Campeões, a equipe foi melhor que o Palermo, fora de casa, e mereceu a vitória. Mandzukic vem se mostrando peça importante para essa volta por cima e Allegri deve ganhar os créditos por insistir na formação mesmo sob várias críticas. A defesa está consistente e o ataque começa a produzir mais. Agora, a Velha Senhora está a apenas três pontos da Roma e a quatro da zona de classificação para a Liga dos Campeões. O Palermo, por sua vez, chega à terceira derrota em cinco jogos e agora está apenas dois pontos distante da zona da degola.   

Roma 0-2 Atalanta
Gómez e Denis

Tops: De Sanctis (R), Gómez e Moralez (A) | Flops: Iago Falqué e Maicon (R)

Irregularidade é o que define a Roma nesse campeonato. A equipe de Rudi Garcia não consegue mostrar a consistência que exibem seus adversários que brigam pela ponta da tabela e, pior, não dá sinais de que pode deixar esse estilo montanha-russa para trás. Contra a Atalanta, em casa, o time foi dominado durante todo o jogo e mostrou uma falta de raça capaz de irritar até o mais paciente dos torcedores. Confusa em campo, cedeu muitos espaços para a organizada Atalanta e mereceu a derrota – Reja deu um banho tático em Garcia. A escolha de Garcia por Iago Falqué no ataque não deu certo e a equipe pouco criou. Do lado da Atalanta, Ciagirini e Kurtic foram muito bem e ditaram o ritmo do jogo, enquanto Moralez, Denis e Gómez foram muito eficientes na frente. O resultado mantém os nerazzurri entre os 10 primeiros na classificação, com 21 pontos, e deixa a Roma ainda na quarta colocação, mas com Juve e Milan mais próximos. E nesse momento é mais fácil ver a Juve - e até o Milan - brigando lá em cima. Mau sinal para a Roma.

Milan 4-1 Sampdoria
Bonaventura (Niang), Niang, Niang, Luiz Adriano (Cerci) | Éder

Tops: Niang e Bonaventura (M) | Flops: De Silvestri e Muriel (S)

Méritos para Sinisa Mihajlovic na melhor apresentação do Milan na temporada. O treinador manteve o 4-4-2 que deu errado contra a Juve, mas mudou a disposição das peças e foi feliz contra seu antigo time. Com o jovem Niang no lugar de Luiz Adriano, o time ganhou em qualidade e dominou as ações do jogo, também porque Bonaventura e Cerci fizeram ótima partida nas pontas da linha de quatro. Aplicados na marcação, também foram bem no ataque e deram opções para Niang mostrar seu talento. O francês de 20 anos desequilibrou e decidiu o jogo, com assistência para Bonaventura fazer 1 a 0 e mais dois gols para impor a vitória do 4-4-2 de Mihajlovic sobre o 4-2-3-1 de Montella, que nada conseguiu produzir em dia de nenhuma inspiração de Muriel. Com 23 pontos, o Milan assume a sexta colocação, junto ao Sassuolo, e define uma vaga na Liga dos Campeões como o objetivo da temporada. A Samp, estacionada nos 16 pontos já há três rodadas, fica cada vez mais próxima da zona de rebaixamento. Montella ainda não venceu.

Empoli 1-0 Lazio
Tonelli (Paredes)

Tops: Skorupski, Tonelli (E) e Klose (L) | Flops: Savic (L)

Um ponto conquistado nos últimos 15 em disputa. Seis derrotas nas sete partidas jogadas fora. A crise da Lazio parece mesmo não ter fim. Já são sete resultados negativos no campeonato e um aproveitamento de 45% - e descendo - que já preocupa a torcida. A última vez que o clube perdeu sete dos 14 primeiros jogos do campeonato foi em 1984-85, ano em que foi rebaixado. Os seis pontos de distância para a zona de rebaixamento dão impressão de conforto, mas, com esse pouco futebol, não é inimaginável ver o time da capital lutando lá embaixo. Contra o surpreendente Empoli, o time de Pioli sofreu o gol logo aos cinco minutos e não soube furar o bloqueio do Empoli no restante do tempo. Pouco criativo, o time só melhorou na primeira metade do segundo tempo, quando Felipe Anderson e Klose saíram do banco. O alemão deu novo ânimo ao time e até teve dois gols corretamente anulados. Em outras oportunidades, viu o goleiro Skorupski, em grande noite, evitar o empate. O Empoli já vai a 18 pontos, na 11ª posição. 

Torino 2-0 Bologna
Belotti e Vives

Tops: Belotti (T) | Flops: Maietta (B)

O Bologna tentava manter o bom momento e abrir alguns pontos de distância da zona de rebaixamento, mas não conseguiu segurar a pressão do Torino e viu sua primeira derrota sob o comando de Donadoni, voltando para a zona da degola. Jogando pelo 0 a 0, os visitantes impuseram muita dificuldade aos granata e até os 30 minutos do segundo tempo o placar permanecia empatado. Com mais qualidade, porém, os comandados de Ventura não desistiram e, de tanto tentarem, conseguiram superar o bloqueio rossoblù. Belotti marcou primeiro e Vives, já nos acréscimos, fez belo gol para cravar o 2 a 0. Com 21 pontos, o time sobe à oitava colocação, apenas três pontos atrás da rival Juve, primeira na zona Liga Europa. 

Frosinone 3-2 Verona
Ciofani (pênalti), Ciofani (Crivello) e Dionisi (Sammarco) | Viviani e Moras (Viviani)

Tops: Ciofani e Paganini (F) | Flops: Rafael e Juanito (V)

Mandorlini não resistiu a mais uma derrota do Verona - a décima no campeonato e quarta nos últimos cinco jogos - e acabou demitido pela diretoria nesta segunda-feira, dando lugar a Delneri. Mesmo idolatrado pela torcida e com cinco anos de casa, Mandorlini viu a diretoria optar por trocar o comando, dando trabalho a Delneri, que estava desempregado desde 2013. A equipe agora é lanterna do torneio, por causa da vitória do Carpi, mas já acumulava alguns dos piores números mesmo sem a última posição oficial. O time é o único que ainda não venceu sequer uma vez, por exemplo, e soma somente seis pontos – uma campanha análoga à do Parma em 2014-15. Também é o time que menos gols marcou: apenas 10 em 14 rodadas. A derrota do Verona tirou o Frosinone da zona de rebaixamento. Por quanto tempo?

Chievo 2-3 Udinese
Paloschi e Inglese | Frey (contra), Théréau e Théréau (Di Natale)

Tops: Birsa (C) e Théréau (U) | Flops: Frey (C) 

Poucos apostariam, mas Chievo e Udinese fizeram uma das melhores partidas da rodada e capricharam na emoção: além dos cinco gols, tiveram outros dois anulados, três bolas na trave, jogadas bonitas e gol de ex-ídolo. Théréau, que vestia amarelo e azul até o ano passado, marcou duas vezes contra o ex-time, para virar o jogo – sem contar que participou do primeiro gol friulano. Antes, Paloschi já tinha aberto o placar para os mandantes, Frey tinha marcado contra e empatado em 1 a 1, e Inglese marcado o gol do 2 a 2 para o Chievo. Théréau decidiu aos 36 do segundo tempo, e ainda viu o gol do 3 a 3 do Chievo ser anulado – corretamente. O resultado ruim deixa o técnico Maran ainda mais pressionado, apenas três pontos à frente da zona de rebaixamento. A Udinese sobe para a 12ª posição, com 18 pontos.   

Genoa 1-2 Carpi
Figueiras | Borriello (Di Gaudio) e Zaccardo (Borriello)

Tops: Borriello e Zaccardo (C) | Flops: Pavoletti (G) 

Quem também viu um dia de protagonismo de um ex foram os torcedores do Genoa, no Marassi. Borriello, dispensado pelo clube, saiu do banco de reservas para decidir a partida: entrou aos seis minutos do segundo tempo, marcou o gol de empate do Carpi - que perdia por causa de gol de Figueiras, ainda no início da etapa inicial - e ainda deu passe para Zaccardo fazer o gol da virada. A atuação de gala garantiu ao Carpi a segunda vitória no campeonato e a saída lanterna da competição. A situação ainda é muito ruim - com apenas nove pontos, o time está cinco atrás do primeiro time fora do Z-3 -, mas, com apresentações assim, os torcedores podem sonhar com a salvezza. O Genoa, por sua vez, lamenta a perda de uma invencibilidade que já durava quatro jogos. Seu artilheiro, Pavoletti, foi expulso nos primeiros minutos de jogo, por cotovelada em Gagliolo, e não enfrenta a Inter na próxima rodada.

*Os nomes entre parênteses nos resultados indicam os responsáveis pelas assistências para os gols

Relembre a 13ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

A Liga Serie A disponibiliza os melhores momentos da rodada em seu canal oficial. Veja os melhores momentos dos jogos abaixo.



Seleção da rodada
Reina (Napoli); Barzagli (Juventus), Tonelli (Empoli), Paletta (Atalanta); Bruno Peres (Torino), Bonaventura (Milan), Missiroli (Sassuolo), Gómez (Atalanta); Niang (Milan), Higuaín (Napoli), Théréau (Udinese). Técnico: Edoardo Reja (Atalanta).

1 Comentário:

Fabricio Gonçalves disse...

Expulsão bem injusta do Nagatomo diga-se de passagem, nem falta houve. Mas não pode com nem cinco minutos já deixar o adversário sair na frente, vai custar a vaga na UCL se ocorrer contra Fiorentina, Juventus e Roma fora de casa.

Postar um comentário