Subscribe Twitter Facebook

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

16ª rodada: Um Derby d'Italia pelo scudetto?

Embalada por Mandzukic e Dybala, Juventus engata sequência de vitórias e chega para brigar pelo título (Getty)
A 16ª deixou claro: a Juventus chegou para brigar pelo scudetto – que, caso conquistado, será o sexto em sequência, um recorde histórico. Ao mesmo tempo, a Inter confirmou que passará o ano novo na liderança da Serie A, já que só teremos mais uma rodada em 2015 e a equipe nerazzurra tem quatro pontos de vantagem sobre Fiorentina e Napoli, vice-líderes. Será que as rivais do Derby d'Italia farão o principal duelo pelo scudetto? Florentinos e napolitanos continuam lutando, é claro, mas talvez corram de fora, diante das protagonistas – a Roma também está ali, à espreita, mas parece sem forças para disputar o título, no momento. Acompanhe o resumo da penúltima rodada antes da pausa para os festejos de fim de ano.

Juventus 3-1 Fiorentina
Cuadrado (Evra), Mandzukic, Dybala | Ilicic (pênalti)

Tops: Dybala e Mandzukic (J) | Flops: Tatarusanu e Astori (F)

No jogo mais aguardado da rodada, a Juventus mostrou mais uma vez que o caminho tortuoso do início da temporada foi apenas um percalço em meio a uma boa campanha. A Velha Senhora chegou a sua sexta vitória consecutiva diante da Fiorentina, vice-líder do campeonato, mas uma verdadeira freguesa em jogos disputados em Turim – a equipe viola só venceu nos domínios da Juve uma vez nos últimos 30 anos, em jogos válidos pela Serie A, e tem a Velha Senhora como sua principal carrasca na história. O resultado alçou os bianconeri para a 4ª posição, dois pontos abaixo da rival do domingo e a seis da Inter, que terminará o ano na liderança do campeonato.

O jogo começou em ritmo altíssimo. Logo aos 2 minutos, Chiellini calçou Bernardeschi na área, e Ilicic converteu seu sexto pênalti em 2015-16. Só que a Juventus empatou poucos minutos depois, com Cuadrado, ex-jogador do time florentino que contou com erro do goleiro Tatarusanu. Durante um bom tempo, a Fiorentina teve superioridade no meio-campo, mas o melhor ataque do campeonato não funcionou: Borja Valero e Ilicic não estavam em dia iluminado e Kalinic recebeu poucas bolas. Quando Pogba apareceu, Dybala brilhou. Após quase marcar no primeiro tempo, o argentino teve outra chance no final do jogo: passe de Pogba, chance para Dybala e Manduzkic, esperto, aproveitou rebote para virar. Pouco depois, Dybala marcou um bonito gol. Seus números são comparáveis aos da primeira temporada de Tévez: oito gols marcados, contra dez do xeneize em 16 rodadas.

Napoli 0-0 Roma

Tops: Koulibaly (N) e Manolas (R) | Flops: Callejón (N) e Salah (R)

O único empate por 0 a 0 da rodada foi uma vitória das defesas. Mais exatamente dos zagueiros centrais sobre os centroavantes. Koulibaly, que evoluiu muito desde a chegada de Sarri ao Napoli, concedeu muito pouco a Dzeko, enquanto Higuaín, artilheiro do campeonato, ficou guardadinho no bolso de Manolas. Jogando em casa, o Napoli tentou impor o seu ritmo, mas com o Pipita bem marcado, faltou poder de finalização. Nas melhores chances criadas, Hamsík desperdiçou e Szczesny fez duas ótimas defesas, já no final. Os giallorossi até marcaram, com De Rossi, mas a arbitragem assinalou (aparentemente, de forma correta, em lance complicado) que o cruzamento de Rüdiger, que chegou até o capitão romano, saiu pela linha de fundo. Pelas circunstâncias, o empate ficou melhor para a Roma de Garcia, agora quinta colocada, com 29 pontos. O Napoli está empatado com a Fiorentina, na vice-liderança, com 32.

Udinese 0-4 Inter
Icardi, Jovetic, Icardi, Brozovic

Tops: Icardi e Handanovic (I) | Flops: Domizzi e Lodi (U)

Diante de uma Udinese imbuída pelo espírito natalino, a Inter confirmou a boa fase e venceu pela segunda vez na temporada por um placar superior a um gol de vantagem. A goleada foi construída graças a três presentes de jogadores do time de Údine e um golaço de Brozovic, mas vale salientar o domínio nerazzurro na partida. Quando Di Natale e companhia jogavam melhor, Handanovic apareceu para fazer boas defesas e o posicionamento da zaga era bom. Porém, a líder do campeonato teve 60 minutos de superioridade e alto aproveitamento das chances que teve. Icardi, por exemplo, chutou só duas bolas no gol e marcou duas vezes, enquanto Jovetic forçou Karnezis a fazer defesaça e, em outra oportunidade, marcou o seu – quebrando jejum de 13 rodadas.

Milan 1-1 Verona
Bacca (Luiz Adriano) | Toni (pênalti)

Tops: Bonaventura (M) e Ton (V) | Flops: Montolivo e De Jong (M)

Acabou a paciência. Depois de mostrar sinais de melhora, com as boas vitórias sobre Lazio e Sampdoria, o Milan caiu de produção de novo e já decepciona. A equipe de Mihajlovic jogou mal, tropeçou contra o lanterna do campeonato e deixou o gramado de San Siro sob uníssona vaia da torcida – o principal alvo, já anteriormente, foi o capitão Montolivo, que errou passes em demasia. O Milan também perdeu algumas grandes chances, especialmente com Bonaventura, que chutou em cima de Gollini. No princípio do segundo tempo, Bacca marcou o tento rossonero, mas quatro minutos depois, De Jong cometeu pênalti (foi expulso) e deu a chance para Toni empatar. Vale salientar que, apesar de ter jogado mal, o Diavolo foi prejudicado pela arbitragem, que anulou gol legítimo e deixou de marcar uma penalidade.

Lazio 1-1 Sampdoria
Matri (Radu) | Zukanovic

Tops: Matri (L) e De Silvestri (S) | Flops: Klose e Berisha (L)

Mais um mau resultado para a Lazio – e um pouco interessante para a Sampdoria, mas aceitável. O primeiro ponto conquistado por Montella à frente do time blucerchiato foi conquistado já nos acréscimos, com um pouco de sorte. Primeiro, o goleiro Berisha (que havia entrado pouco antes, no lugar de Marchetti), cometeu falta após sair mal do gol. Zukanovic cobrou e contou com desvio na barreira para jogar um balde de água fria sobre os laziali, que haviam aberto o placar já no final da partida, com Matri – o substituto de um decepcionante Klose. Já são sete jogos sem vitórias para a equipe romana, enquanto para a Samp o ponto conquistado pode ser útil para levantar o moral da equipe, que continua ameaçada pela proximidade da zona de descenso.

Após goleada e tropeços dos adversários, Inter termina 2015 na liderança da Serie A (Eurosport)
Genoa 0-1 Bologna
Rossettini (Mounier)

Tops: Mirante e Rossettini (B) | Flops: Perotti e Pandev (G)

É um outro Bologna desde a chegada de Donadoni. Uma equipe que nem sempre é a melhor em campo, mas que briga demais para conquistar seus pontos. O primeiro tempo foi todo do Genoa, mas o goleiro Mirante fez uma série de defesas difíceis para manter o zero no placar – a fase é tão boa que já se fala que ele pode voltar a ser convocado para a seleção italiana. No entanto, o domínio dos grifoni foi por terra em meados da segunda etapa, muito por causa da má partida de Perotti, que havia entrado no intervalo. Totalmente disperso, o argentino chegou a ser expulso por agressão (foi seu segundo vermelho em três jogos) e, com a superioridade numérica, o Bologna partiu para cima. Após perder chance claríssima, sem goleiro, Mounier cruzou com perfeição para, nos acréscimos, Rossettini acertar bela cabeçada. Os felsinei já tem quatro vitórias nos últimos oito jogos – três delas nos últimos cinco.

Palermo 4-1 Frosinone
Goldaniga (Hiljemark), Vázquez (Chochev), Trajkovski, Gilardino | Sammarco

Tops: Chochev e Hiljemark (P) | Flops: Leali e Rosi (F)

Um 4 a 1 meio enganador. Apesar do placar elástico, o Palermo não jogou tão bem o suficiente para golear o Frosinone, em uma partida entre duas equipes que se encontram na parte de baixo da tabela. O jogo começou a todo vapor no Renzo Barbera, com três gols em 25 minutos e uma bola na trave – 2 a 1 para os rosanero e chute na trave de Hiljemark. As boas partidas do sueco e do búlgaro Chochev não eram, no entanto, suficientes para coroar a vitória, já que toda a equipe siciliana mostrava imprecisão – especialmente Vázquez, que errou demais, apesar de ter feito um gol. Preciso foi Trajkovski, que marcou um lindíssimo tento de fora da área, encobrindo Leali. O Frosinone continua na zona de rebaixamento, enquanto o Palermo respira.

Empoli 3-0 Carpi
Maccarone (Zielinski), Saponara (Maccarone), Maccarone (Büchel)

Tops: Maccarone e Zielinski (E) | Flops: Romagnoli e Pasciuti (C)

Maccarone de um lado e Lasagna do outro. No clássico alimentício, melhor para o Empoli e seu Big Mac, autor de uma doppietta e de uma assistência. O veterano continua importantíssimo para os azzurri, grande surpresa da temporada. Quem diria que Giampaolo, treinador fora do radar da Serie A há meia década voltaria em grande estilo? Seu Empoli tem sete pontos a mais que o de Sarri, comparando o desempenho após 16 rodadas. Verdade seja dita, muito do futebol jogado pelo time é herança do técnico anterior e se deve também a Saponara – jogador que chegou à Toscana apenas em janeiro do ano passado, não participando, portanto, da primeira fase da campanha azzurra.

Chievo 1-0 Atalanta
Birsa (Meggiorini)

Tops: Birsa (C) e Sportiello (A) | Flops: Cherubin e Kurtic (A)

No jogo menos atraente da rodada, o Chievo emplacou sua segunda vitória consecutiva e freou a Atalanta. O gol da vitória saiu no segundo tempo, depois que Meggiorini (surpreendentemente, o líder de assistências do campeonato, com seis passes para gol) só rolou para Birsa anotar. Antes, Paloschi havia perdido pênalti – Sportiello defendeu três dos quatro cobrados nesta temporada. A Atalanta terá desfalques para o próximo jogo, diante do Napoli, já que Cherubin e Kurtic foram expulsos.

Sassuolo-Torino
Adiado por falta de visibilidade causada pela forte neblina em Reggio Emilia.

*Os nomes entre parênteses nos resultados indicam os responsáveis pelas assistências para os gols

Relembre a 15ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

A Liga Serie A disponibiliza os melhores momentos da rodada em seu canal oficial. Veja os melhores momentos dos jogos abaixo.


Seleção da rodada
Mirante (Bologna); Manolas (Roma), Miranda (Inter), Koulibaly (Napoli); Zielinski (Empoli), Pogba (Juventus), Chochev (Palermo), Birsa (Chievo); Dybala (Juventus), Icardi (Inter), Maccarone (Empoli). Técnico: Roberto Mancini (Inter).

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário