Subscribe Twitter Facebook

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

26ª rodada: A calmaria que sucede a tempestade

Salah e Dzeko transformaram a tensão em festa no Olímpico (Getty)
Rodada bastante movimentada na Itália, nos bastidores e dentro de campo. Enquanto a Juventus tropeçou e o Napoli, que empatou com o Milan, não aproveitou a oportunidade para voltar à liderança, o clima esquentou em Roma. Totti disparou contra Spalletti e foi barrado do jogo contra o Palermo, mas a noite foi de festa graças às redenções de Dzeko e Salah. Arquibancadas movimentadas também em Milão, em uma noite de festejos para José Mourinho e reencontro da Inter com as vitórias. Genoa e Verona também voltaram a conquistar três pontos. Confira no resumo da rodada.

Roma 5-0 Palermo
Dzeko (Pjanic), Keita (Dzeko), Salah (Dzeko), Salah e Dzeko (Perotti)

Tops: Salah e Dzeko (Roma) | Flops: Struna e Vázquez (Palermo)

O Rei está de mau humor, mas o time mantém a boa fase. Com Totti em revolta contra Spalletti e um Olímpico inteiro lhe apoiando - e rendendo lágrimas do maior jogador da história do clube -, a Roma não teve piedade na volta de Iachini ao comando do Palermo: goleada implacável, que acabou deixando a impressão de que as rusgas entre técnico e capitão não afetaram o elenco. Depois do jogo, Spalletti disse que Totti voltaria a treinar com o grupo e que a situação já estava superada. O atacante de fato treinou nesta segunda, mas será que colocaram mesmo uma pedra sobre o assunto?

Fato é que, nesta 26ª rodada, a Roma finalmente contou com Salah e Dzeko, as apostas ofensivas do clube na temporada, que estão em má fase, mas responderam bem à necessidade com uma doppietta para cada um. Aos 28', tudo indicava mais uma partida ruim de Dzeko, que perdeu um dos gols mais incríveis deste milênio. Só que o bósnio deu a volta por cima em grande estilo, abrindo o placar dois minutos depois e sendo protagonista nos gols seguintes, de Keita e Salah. O egípcio ainda fez uma pintura pouco depois de ter feito o terceiro. Para fechar a conta, o camisa 9 completou cruzamento perfeito de Perotti com bela cabeçada, e deixou uma noite que começou tensa bastante feliz – sem contar com a volta de Strootman aos campos após um ano afastado. Uma Roma mortal contra um Palermo que não existe se Vázquez estiver em dia impreciso.

Napoli 1-1 Milan
Insigne (Ghoulam) | Bonaventura (Honda)

Tops: Koulibaly (Napoli) e Zapata (Milan) | Flops: Hamsík (Napoli) e Bacca (Milan)

Quanta diferença entre o Milan dos últimos jogos e o de outros momentos do campeonato e de temporadas anteriores. Este é um time muito competitivo, organizado e com apenas duas derrotas nos últimos 19 jogos, de outubro a fevereiro. Os jogadores de Mihajlovic não conseguiram ter o contra-ataque, com Bacca em dia ruim, mas congestionaram sua intermediária e pararam o melhor ataque do campeonato, contando com seu craque para garantir um ponto fora de casa, em rara falha de Koulibaly, um dos melhores zagueiros da Serie A. 

Por sua vez, oportunidade perdida do Napoli de voltar para a liderança. A equipe passou o jogo todo sem imprimir seu ritmo característico no último terço, ficando preso com a bola no meio de campo. Pouco jogo vertical, poucas bolas para Higuaín e, obviamente, muito pouco do time de Sarri, expulso mais uma vez por reclamação. A equipe azzurra segue com cenário complicado na próxima semana: pode ser o momento decisivo do time na temporada, já que está com a desvantagem contra o Villarreal na Liga Europa, apesar de ainda estar a apenas um ponto atrás da Juventus.

Bologna 0-0 Juventus
Tops: Diawara e Donsah (Bologna) | Flops: Zaza (Juventus)

Depois de 15 vitórias consecutivas, a sequência de triunfos da Juventus acabou, naquele que foi o primeiro tropeço do time de Allegri em 2016. Mais méritos de um enorme Bologna, organizado e competitivo desde que Donadoni chegou, acompanhado pelo trio Donsah, Diawara e Giaccherini, que mantêm os emilianos alertas nos jogos. No Renato Dall'Ara, vimos uma Juventus quase completa, poupando apenas Khedira, Cuadrado e Dybala – sendo que os últimos dois ainda entraram no segundo tempo –, mas pobre ofensivamente, liderada por um Pogba de alto ritmo, mas impreciso. Novamente, impressionante mesmo a partida de Diawara, classe 1997, contratado para a Primavera e um ano atrás reserva do San Marino na Lega Pro. A Velha Senhora continua na liderança e o Bologna vai se acomodando no meio da tabela.

Inter 3-1 Sampdoria
D'Ambrosio (Murillo), Miranda (Felipe Melo) e Icardi (Brozovic) | Quagliarella (Muriel)

Tops: Biabiany e D'Ambrosio (Inter) | Flops: Éder (Inter) e Ranocchia (Sampdoria)

De volta à vitória, mas não distante de problemas. Com direito a um ovacionado Mourinho e um insultado Ronaldo na tribuna, além de várias outras figuras históricas do clube, a Inter venceu a Sampdoria, mas sem jamais demonstrar capacidade para fazê-lo. Pelo contrário, o time de Montella e de vários ex-interistas foi superior, especialmente no primeiro tempo, mas também cedeu muito atrás, com erros defensivos que os anfitriões não perdoaram. Outra derrota para os dorianos, a 13ª em 26 partidas: momento delicado, em que mesmo jogando bem, o time se boicota mentalmente. De qualquer forma, são três pontos importantes para o time de Mancini, em rodada em que os adversários pela última vaga na Liga dos Campeões também venceram. No San Siro, a equipe respondeu aos cinco gols sofridos em bola parada nos últimos jogos com dois gols em bola aérea, marcados por D'Ambrosio e Miranda – sem contar o de Icardi, que aconteceu com bola rolando, em erro clamoroso de Fernando e Ranocchia. Parece que a concentração punitiva deu certo para a Beneamata.

Atalanta 2-3 Fiorentina
Conti (Pinilla) e Pinilla (Cigarini) | Matí Fernández (Tello), Tello, Kalinic (Borja Valero)

Tops: Tello e Mati Fernández (Fiorentina) | Flop: Babacar (Fiorentina)

Jogo dramático da Fiorentina, mas só para dar um pouco mais de emoção para os torcedores viola. No fim das contas, vitória fora de casa num campo complicado e Kalinic de volta às redes, além de ótimas partidas de Tello e Mati Fernández. O espanhol e o chileno foram protagonistas com gols e assistências sobre uma Atalanta sempre competitiva contra grandes, mas não o bastante para evitar a derrota. Com o resultado, os florentinos continuam na terceira posição, enquanto a Atalanta continua na metade de baixo da tabela.

Sassuolo 3-2 Empoli
Berardi (Cannavaro), Defrel (Sansone) e Defrel (Berardi) | Zielinski (Saponara) e Maccarone (pênalti)


Tops: Berardi e Defrel (Sassuolo) | Flop: Tonelli (Empoli)

Num dos jogos mais aguardados da rodada, pela proeza e desempenho dos times, os jovens talentos e treinadores - o que rendeu, inclusive, uma visita do diretor esportivo do Barcelona e ex-Milan, Ariedo Braida -, Sassuolo e Empoli fizeram uma partida emocionante, intensa e divertida. Mesmo que a arbitragem destemperada de Paolo Valeri tenha comprometido um pouco, com duas expulsões ainda no primeiro tempo, os times jamais abdicaram do ataque e mostraram bons exemplos de como jogar com um a menos, cada um dentro de estratégia e sistema diferentes. Melhor para os anfitriões, que saíram atrás do placar, mas aproveitaram a expulsão do líder Tonelli e marcaram três gols pouco depois: um no fim do primeiro tempo e dois logo após a volta do intervalo, sempre com o trio Berardi, Defrel e Sansone. Com a bola, os visitantes mantiveram a competitividade e ainda descontaram de pênalti, mas pararam por aí. O Sassuolo é o 7º colocado, com 38 pontos, e o Empoli é o 9º, com 34.

Verona 3-1 Chievo
Toni, Pazzini (Fares) e Ionita (Wszolek) | Pellissier (pênalti)

Tops: Ionita e Fares (Verona) | Flops: Birsa e Spolli (Chievo)

Depois de muita espera, enfim a dupla Toni e Pazzini garante pontos e, principalmente, vitórias para o Verona. Esta foi apenas a segunda vez que o clube veronês conquistou três pontos, mas aponta para uma tendência: a equipe tem a oitava melhor campanha no campeonato nos últimos seis jogos, e mostra poder de reação. Méritos para Delneri, que apesar de todos os problemas, deu um padrão e estratégia à equipe, confiando na dupla de ataque veterana e no bom momento de alguns jovens, como o goleiro Gollini, o lateral Fares, os meias Ionita e Marrone e o ponta Wszolek. E mais do que isso tudo, uma vitória contra o rival Chievo, estagnado no meio da tabela e em péssima fase. Faltando 12 rodadas, o Hellas tem sete pontos de desvantagem para o primeiro acima da zona de rebaixamento. Dá tempo?

Genoa 2-1 Udinese
Cerci (pênalti) e Laxalt | Adnan

Tops: Cerci (Genoa) e Karnezis (Udinese) | Flop: Zapata (Udinese)

Vitória pra dar um pouco de sossego para o time de Gasperini, mas nem tanto. Depois de cinco jogos sem vencer, os grifoni voltaram a conquistar três pontos e agora estão a cinco pontos da zona de rebaixamento. Claramente não deveria ser assim, especialmente depois de bom anos e boas contratações, mas mesmo jogando bem, os resultados não têm sido generosos com o clube genovês. Discurso diferente da Udinese, que jamais teve uma apresentação decente na temporada e vê o dono Pozzo pressionar o treinador Colantuono em pleno canal oficial do clube. A demissão não deve acontecer até maio, mas os friulanos precisam ficar atentos para o momento, que é de oito jogos seguidos sem vencer. Além da falta de organização, se vê um time que não mostra muita competitividade. Para completar o caos, o líder e veteraníssimo Di Natale perdeu pênalti decisivo aos 89 minutos.

Frosinone 0-0 Lazio
Tops: Ajeti (Frosinone) e Biglia (Lazio) | Flop: Mauri (Lazio)

Entre vitórias em casa e tropeços fora, sem qualquer regularidade - a não ser a sua própria instabilidade, que já se tornou comum de tão repetitiva -, a Lazio se vê cada vez mais longe da disputa por vaga europeia e talvez concentre suas forças mesmo para a Liga Europa. Ainda assim, isso não esconde o fracasso de uma temporada horrível depois do surpreendente desempenho em 2014-15. Contra o Frosinone, quase vizinho, os aquilotti novamente tiveram os domínios das ações, mas sem jamais levar real perigo, e também concedendo pouco na defesa. Um empate amargo que representa bem o ano laziale. O Frosinone continua vivo na briga contra o descenso.

Torino 0-0 Carpi
Top: Belec (Carpi) | Flop: Vives (Torino)

O Torino dos jovens talentos não cansa de decepcionar, o que coloca em xeque a permanência de Ventura, que tem feito trabalho extraordinário desde que assumiu o time em 2011 e é o treinador mais longevo da Serie A e da história do clube. Ainda assim, o presente não é bom para os granata, muito instáveis na temporada. A equipe nem sempre tira proveito do talento técnico e ofensivo dos seus jogadores - até por isso, Gasperini é especulado no clube para o próximo ano. Desde que retornou, Immobile tem deixado boa impressão e muitas vezes carrega o time para o ataque com sua liderança, mas nem sempre garante gols e vitórias para o Toro. Contra o catenaccio de Castori, ainda esbarrou em um Belec novamente decisivo, com grandes defesas, incluindo um pênalti cobrado por Maxi López.

*Os nomes entre parênteses nos resultados indicam os responsáveis pelas assistências para os gols

Relembre a 25ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

A Liga Serie A disponibiliza os melhores momentos da rodada em seu canal oficial. Veja os melhores momentos dos jogos abaixo.


Seleção da rodada
Belec (Carpi); D'Ambrosio (Inter), Miranda (Inter), Zapata (Milan), Fares (Verona); Mati Fernández (Fiorentina), Diawara (Bologna), Ionita (Verona); Berardi (Sassuolo), Dzeko (Roma), Salah (Roma). Técnico: Roberto Donadoni (Bologna).

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário