Subscribe Twitter Facebook

segunda-feira, 16 de maio de 2016

38ª rodada: Saideira

Juventus levantou mais uma taça e fez a festa na última rodada do campeonato (Getty)
Por Caio Dellagiustina

O título já estava definido, mas a última rodada da Serie A reservou muitas emoções. A começar pelas vagas nas competições europeias: o Napoli garantiu acesso direto à fase de grupos após vencer um jogo que entrou para a história. Higuaín que anotou três gols e chegou a 36, tornando-se o maior artilheiro de uma edição do Campeonato Italiano. Marcas expressivas também foram alcançadas por Klose e Di Natale, que se despediram da Serie A com recordes em seus clubes.

Ainda em termos de vagas europeias, Roma (Champions), Inter e Fiorentina (Liga Europa) já haviam determinado seu futuro, enquanto Milan e Sassuolo disputam o último espaço. Os rossoneri tiveram mais uma decepcionante apresentação e os neroverdi secam o Diavolo na Coppa Italia para que alcancem uma competição continental pela primeira vez em sua história.

Na parte de baixo da tabela, tristeza para o Carpi, que mesmo com a vitória fora de casa, acabou rebaixado graças a uma vitória para lá de sofrida do Palermo contra o lanterna Verona. Choro de alegria na Sicília e de tristeza na pequena cidade da região de Módena. Acompanhe o resumo da última rodada da Serie A 2015-16.

Juventus 5-0 Sampdoria
Evra (Dybala), Dybala (pênalti), Dybala, Chiellini e Bonucci (Morata)

Tops: Dybala e Chiellini (J) | Flops: Skriniar e Sala (S)

Jogo de festa em Turim. Com o scudetto em mãos, a Juve poderia até se dar ao luxo de ir a campo com uma escalação alternativa, mas, para se despedir de sua torcida e focar na preparação para a final da Coppa, o time foi para seu último jogo na Serie A com força máxima (Buffon foi a exceção). Coitada da Samp.

O time de Montella, que mostrou fragilidade ao longo de toda a temporada e ainda perdeu Skriniar logo nos primeiros minutos, não foi páreo para o ímpeto juventino que, em 37 minutos definiu a partida, fazendo 3 a 0. Dybala fez a festa, com belas jogadas do meio -ara a frente e um belo gol – assim como o de Chiellini, com um petardo. No segundo tempo, a Juve diminuiu o ritmo e anotou “apenas” dois gols para completar a celebração, seja pelo pentacampeonato seja pelo lançamento do novo uniforme do clube.

Napoli 4-0 Frosinone
Hamsík (Ghoulam), Higuaín (Allan), Higuaín (Hysaj), Higuaín (Mertens)

Tops: Higuaín e Hamsík (N) | Flops: Gori (F) e Dionisi (F)

Vice-liderança, vaga direta na Liga dos Campeões e o artilheiro – o maior da história da Serie A. O Napoli encerrou a temporada com festa. No San Paolo lotado, o time goleou o já rebaixado Frosinone com um show de Higuaín: o argentino fez três e chegou a 36 na competição, se tornando o primeiro a bater a marca de 35 gols do sueco Gunnar Nordahl, quando atuou no Milan, na temporada 1949-50.

Pipita começou seu show logo no primeiro gol, fazendo o corta luz para Hamsík marcar. No segundo e no terceiro, aproveitou os cruzamentos de Allan e Hysaj para estufar as redes do ítalo-brasileiro Zappino. Para fechar com chave de ouro uma temporada fantástica, Higuaín recebeu de Mertens e fez um incrível gol de bicicleta, encobrindo o goleiro do Frosinone. Nada mais apropriado: para uma marca história, um gol antológico.

Milan 1-3 Roma
Bacca | Salah (Strootman), El Shaarawy (Pjanic) e Emerson Palmieri

Tops: Donnarumma (M) e Salah (R) | Flops: Balotelli e Alex (M)

Sonhando em roubar a segunda colocação do Napoli, a Roma foi até Milão para encarar o inconsistente Milan, que ainda sonhava com uma vaga na Liga Europa via Serie A. Sem muitas dificuldades, o time da Cidade Eterna fez o mandante virar uma presa fácil e rapidamente tomou conta do jogo. Para completar, o Diavolo sofreu com péssimas partidas de Alex, Mexes, Honda e Balotelli, sendo praticamente incapaz de reagir.

Salah e El Shaarawy, deram a vantagem para os giallorossi. O brasileiro Emerson Palmieri ampliou, aproveitando sobra de Donnarumma e, já no final, Bacca descontou. Gol esse que não amenizou mais um fracasso dos rossoneri. Os destaques ficaram por conta do lançamento do uniforme do clube para 2016-17, já utilizado no sábado, e para a aposentadoria de Abbiati: a ideia era homenageá-lo entrando em campo, mas a vitoria romanista mudou os planos.

Higuaín e uma histórica bicicleta (Getty)
Sassuolo 3-1 Inter
Politano, Pellegrini (Duncan) e Politano (Gazzola) | Palacio (Brozovic)

Tops: Politano (S) e Consigli (S) | Flops: Alex Telles e Murillo (I)

O Sassuolo está próximo de colocar seu nome entre os times que jogarão na Liga Europa da próxima temporada. Para conquistar a vaga, vencer a Inter (que já tinha sua vaga confirmada) era fundamental para se assegurar na sexta colocação e agora, os neroverdi torcerão para a Juventus vencer o Milan na final da Coppa, para conquistar uma vaga inédita para a Liga Europa. O trabalho de Di Francesco já é ótimo e a vaga seria a cereja do bolo.

Politano, que recebeu a oportunidade na vaga do suspenso Berardi, foi o nome do jogo, com dois gols e um belo passe que acabou resultando no segundo gol da equipe. Aproveitando o desinteresse de uma Inter com muitos reservas, e com um futebol lento e sem inspiração, o Sassuolo rapidamente dominou o meio-campo, com os ótimos jovens Pellegrini e Duncan. A Beneamata criou pouco e, quando chegou, parou nas boas defesas de Consigli, além de um erro da arbitragem, que anulou gol legal de D'Ambrosio.

Palermo 3-2 Verona
Vázquez, Maresca (Rispoli) e Gilardino (Rispoli) | Viviani (Rômulo) e Pisano (Viviani)

Tops: Vázquez (P) e Viviani (V) | Flops: Morganella (P) e Wszolek (V)

O jogo de 15 milhões de euros. Enquanto o Palermo precisava de uma vitória para não depender de ninguém para garantir sua salvação, o Verona vivia um dilema pela frente. Se vencesse, o time não apenas rebaixaria os rosanero, como também deixaria de lucrar quase 60 milhões de reais. Isso porque a Itália repartirá mais de R$ 200 milhões para as equipes que caem à segundona, de acordo com as participações na elite nos últimos anos (similar ao que é feito na Premier League). Mas perder também não era uma missão simples, afinal o presidente do Hellas, Maurizio Setti, é natural de Carpi e uma vitória dos gialloblù poderia manter os biancorossi.

Em campo, o que se viu foi um jogo tenso e que teve como protagonista Franco Vázquez, num de seus últimos atos com a camisa rosanera: o Palermo abriu o placar com o camisa 20. Logo na sequência, uma confusão entre Morganella e Wszolek terminou com os dois jogadores expulsos. Enquanto o Carpi vencia a Udinese, o Palermo levou um duro golpe. Viviani empatou, rebaixando, até então, o time da Sicília. Durou pouco: em seguida, Maresca recolocou o time róseo em vantagem e Gilardino ampliou, praticamente garantindo a salvezza. Pisano ainda anotou o segundo do Verona, mas já não havia mais tempo. Ao fim do jogo, comemoração de título no Renzo Barbera, apesar dos erros do presidente Zamparini, que quase rebaixaram o time. Nada mais irônico que os jogadores mais criticados pelo cartola tenham sido fundamentais para a salvezza.

Udinese 1-2 Carpi
Di Natale (pênalti) | Verdi (pênalti) e Verdi

Tops: Di Natale (U) e Verdi (C) | Flops: Théréau (U) e Porcari (C)

Pizza e cerveja grátis para todos na possível despedida de Totò Di Natale. Festa? Nada disso. Com exceção da aposentadoria de seu ídolo e o novo estádio, os torcedores da Udinese não tinham muitos motivos para comemoração, afinal, a temporada foi aquém do esperado. O Carpi estava pouco se importando para o cenário festivo e entrou em campo desesperado pela vitória, pois queria fugir do rebaixamento.

Verdi, num pênalti controverso e numa bela jogada individual, deu a vantagem ao time biancorosso. O jogador emprestado pelo Milan ainda teve chances para ampliar, mas chutou por cima. Já em desvantagem e com um jogador a menos, Di Natale foi a campo, nitidamente emocionado. E logo após sua entrada, Widmer sofreu pênalti. Totò não desperdiçou e balançou a rede pela última vez, celebrando seu gol de número 209 na Serie A. Ao fim do jogo, choro e aclamação da torcida, que não terá mais seu ídolo. Não? Ao final do jogo ele mesmo abriu essa possibilidade. "Não estou velho. Decidirei meu futuro nos próximos meses". Para o Carpi, de nada adiantou o triunfo, já que com a vitória do Palermo, o time foi rebaixado e voltará à segundona na próxima temporada.

Di Natale se despediu com um gol (Getty)
Lazio 2-4 Fiorentina
Lulic e Klose (pênalti) | Vecino, Bernardeschi (Tello), Tello (Bernardeschi) e Vecino (Mati Fernández)

Tops: Lulic (L) e Vecino (F) | Flops: Candreva (L) e Zárate (F)

O adeus de uma lenda. Sob os gritos de "Miro, Miro, Miro", Klose fez seu último jogo pela Lazio. Como em toda sua passagem de cinco anos, deixou seu gol, se consolidando como o estrangeiro com mais gols pelo clube (64), ao lado de Pandev, além de sétimo maior goleador biancocelesti. Mesmo sem ser o cobrador oficial de penalidades, Klose foi incumbido de cobrar um pênalti e fez o gol que levou o estádio Olímpico a um misto de alegria e tristeza. Curiosamente, foi a primeira vez que o alemão marcou em três jogos seguidos pelo time romano.

O jogo, que tinha tudo para ser uma grande despedida, foi uma festa manchada pela Fiorentina. Mesmo sem muita responsabilidade, a Viola lembrou ao torcedor laziale que suas opções para o centro da zaga são muito ruins e aplicou uma goleada, com grandes atuações de Vecino, Bernardeschi e Tello. Para a Viola, porém, ainda há decisão na temporada: torcer ou não para a Juve? Se os bianconeri vencerem o Milan na final da Coppa Italia, o time da Toscana tem a vaga direta na Liga Europa. Caso contrário, terá de disputar as fases eliminatórias.

Empoli 2-1 Torino
Maccarone (Saponara) e Zielinski | Obi (Zappacosta)

Tops: Zielinski (E) e Zappacosta (T) | Flops: Zambelli (E) e Belotti (T)

O Empoli terminou a Serie A na melhor colocação desde a temporada 2006-07: ficou na 10ª colocação. O time toscano bateu o Torino com um jogo melhor e mais bem ajustado, mas contando com a sorte: duas bolas explodiram na trave quando a partida ainda estava com a vantagem mínima, após o gol de Maccarone. Zielinski, o melhor em campo e um dos melhores ao longo da temporada, marcou o segundo e Obi descontou, na sequência. A partida não valia nada em termos de tabela, mas teve história: o goleiro Maurizio Pugliesi, do Empoli, se tornou o jogador mais velho a estrear na Serie A, com 39 anos e 6 meses – superou o brasileiro Amílcar Barbuy, ex-Palmeiras e Corinthians, que jogou pela Lazio aos 38 anos, em 1932. A temporada acaba com méritos para o técnico do Empoli, Giampaolo, que é especulado no Milan e no próprio Torino, já que Ventura parece de saída.

Genoa 1-2 Atalanta
Pavoletti (Tachtsidis) | D’Alessandro (Gómez) e Kurtic (Gómez)

Tops: Pavoletti (G) e Gómez (A) | Flops: Múñoz (G) e Conti (A)

Após vencer o dérbi contra a Samp, o Genoa estragou a festa de sua torcida. No Marassi, o time foi derrotado pela Atalanta num jogo franco, em que técnica e tática foram deixadas de lado. A equipe rossoblù começou melhor, com uma série de chances criadas e Pavoletti marcando duas vezes, mas ambas em impedimento bem assinalados pela arbitragem. O centroavante balançou as redes pela terceira vez, agora para valer, chegando ao 14º gol na temporada e enviando uma mensagem a Antonio Conte. O gol de Pavoletti igualou o placar, que havia sido aberto por D'Alessandro, em jogada de Papu Gómez, mas no final do jogo, Kurtic escorou o cruzamento de Gómez e colocou os bergamascos na frente. No último lance, Pandev teve a chance de igualar, mas Radunovic garantiu a vitória. Mesmo com a derrota, a torcida genovesa homenageou o técnico Gasperini, que pode estar deixando a equipe.

Chievo 0-0 Bologna

Tops: Giaccherini (B) e Floccari (B) | Flops: Pellissier (C) e Floro Flores (C)

Com o objetivo cumprido, o de se livrar do rebaixamento sem sofrimento, Chievo e Bologna fizeram um jogo quase sem emoções. A forte chuva que caiu em Verona atrapalhou o futebol apresentado pelas duas equipes, que somente atuavam por obrigação. O Bologna, que se recuperou ao longo da temporada com Roberto Donadoni, teve ótima notícia ao final do jogo, com o treinador garantindo sua permanência para o próximo ano.

*Os nomes entre parênteses nos resultados indicam os responsáveis pelas assistências para os gols

Relembre a 37ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

Seleção da rodada
Consigli (Sassuolo); Hysaj (Napoli), Rüdiger (Roma), Chiellini (Juventus), Rispoli (Palermo); Vecino (Fiorentina), Duncan (Sassuolo); Bernardeschi (Fiorentina), Politano (Sassuolo), Dybala (Juventus); Higuaín (Napoli). Técnico: Eusebio Di Francesco (Sassuolo).

A Liga Serie A disponibiliza os melhores momentos da rodada em seu canal oficial. Veja os melhores momentos dos jogos abaixo.


Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário