Subscribe Twitter Facebook

sexta-feira, 17 de junho de 2016

10 anos do tetra: Som e fúria

Cotovelada de De Rossi marcou negativamente um jogo em que a Itália foi bem (Getty)
O segundo jogo da Itália na campanha do Mundial de 2006 ficou marcado para sempre como o jogo em que De Rossi deu uma dura cotovelada em McBride e deixou o norte-americano ensanguentado – tal qual Tab Ramos, quando o brasileiro Leonardo fez o mesmo gesto na Copa de 1994, diante da seleção dos Estados Unidos. Galvão Bueno logo vaticinou: o volante da Roma é o jogador mais violento do mundo. Essa foi uma das partes de fúria de um jogo em que Pirlo jogou por música.

No entanto, a partida foi muito mais do que isso. O primeiro tempo foi agitadíssimo: aos 22, Pirlo cobrou falta perfeita, na cabeça de Gilardino, que abriu o placar. Cinco minutos depois, o empate ianque chegou a galope, graças a um lance bizarro. Donovan levantou bola na área e Zaccardo furou de maneira bisonha com a canhota, vendo a pelota bater na direita e ir para as redes. Após a retomada do jogo, um ainda inexperiente de Rossi foi expulso. Com isso, Totti – que voltava após se lesionar no primeiro jogo do Grupo E – deu lugar a Gattuso.

A criação ficou quase toda a cargo de Pirlo, que fez mais uma bela partida – já havia sido eleito o melhor em campo no 2 a 0 contra Gana. Antes do intervalo, o meia do Milan provocou a expulsão do volante Mastroeni, que lhe deu um duríssimo carrinho após quase marcar um golaço em cima de Buffon. Assim que os times voltaram dos vestiários foi a vez de Gilardino cavar nova expulsão, desta vez de Pope – incrivelmente, o árbitro Jorge Larrionda acertou em todos os lances. O apitador uruguaio também anulou corretamente um gol norte-americano: Beasley bateu cruzado, mas a bola tocou em McBride, impedido, e enganou Buffon.

O segundo tempo foi uma verdadeira blitz da Itália, iluminada por Pirlo. O regista cruzou com perigo na área e Bocanegra cabeceou contra o próprio patrimônio, acertando o travessão. Com uma linda cavadinha, o rossonero também acionou Del Piero, que obrigou Keller a se esticar e evitar o segundo gol da Nazionale. Muito bem debaixo das traves, o arqueiro norte-americano (eleito melhor em campo), ainda estava na bola em chute perigoso de Zambrotta e espalmou uma bomba de Delpi para segurar o empate.

Com o resultado, o Grupo E fica embolado: a Itália lidera com 4 pontos, seguida por Gana e República Checa, com 3, e Estados Unidos, com 1. Nos dias que se seguem, a expectativa é grande para a punição a De Rossi: se imagina que o romanista possa ficar de fora do resto do Mundial.


Itália 1-1 Estados Unidos – Grupo E
Itália: Buffon; Zaccardo (Del Piero), Nesta, Cannavaro, Zambrotta; Perrotta, Pirlo, De Rossi; Totti (Gattuso); Toni (Iaquinta), Gilardino. Técnico: Marcello Lippi. 
Estados Unidos: Keller; Cherundolo, Pope, Onyewu, Bocanegra; Dempsey (Beasley), Reyna, Mastroeni, Convey (Conrad); Donovan; McBride. Técnico: Bruce Arena. 
Gols: Zaccardo (contra; 21) e Gilardino (27). 
Melhor em campo Fifa: Keller.
Cartões amarelos: Totti, Zambrotta e Pope.
Cartões vermelhos: De Rossi, Pope e Mastroeni.
Árbitro: Jorge Larrionda (Uruguai).
Local: Fritz Walter Stadion (Kaiserslautern).

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário