Subscribe Twitter Facebook

quarta-feira, 22 de junho de 2016

A real Itália

Gol de Brady, com falha da defesa italiana, deu vitória à Irlanda (Getty)
Não é Itália se for com 100%. No último dia da fase de grupos da Euro, o time de Conte chegou como o único com a chance de ganhar as três partidas e já classificado, algo raríssimo para os padrões da seleção do Belpaese. Isto não só não aconteceu, como a Squadra Azzurra perdeu pela primeira vez e também sofreu o primeiro gol. Mas nada desesperador, claro: a primeira posição já estava assegurada e desde o minuto 87 de Croácia 2-1 Espanha se sabia o adversário nas oitavas – a Fúria.

Como não poderia deixar de ser, os italianos ficaram na "chave da morte". Passando pela Espanha, poderão enfrentar a Alemanha (que duela com a Eslováquia) nas quartas e França ou Inglaterra (adversários de Irlanda e Islândia) nas semifinais. A adversária Bélgica no Grupo E, por outro lado, terá a Hungria nas oitavas, País de Gales ou Irlanda do Norte nas quartas e Suíça, Polônia, Croácia ou Portugal nas seminais. Para a Itália, tudo tem que ser do jeito difícil mesmo: se tivesse ficado com a segunda posição no grupo, como se imaginava, a Azzurra teria vida facilitada no mata-mata.

Em Lille, o jogo honrou o péssimo estado do gramado, afetado pelas chuvas e pior que o de San Siro. O time pouco técnico e mais físico de Conte combinou com os irlandeses criados na Inglaterra e o que se viu foram muitas disputas aéreas (38) e faltas (40), poucas jogadas trabalhadas e muitos passes errados.

Nesse cenário, a Irlanda foi superior a uma Itália com oito reservas em campo: criou mais oportunidades, exigiu bastante de um Sirigu fora de forma e conseguiu o gol histórico aos 85' (muito melhor nessa trilha sonora) com seu melhor jogador, Brady - não o Liam, craque em campos italianos nos anos 80, mas Robbie.

Se Conte esperava observar algo do jogo de hoje, não teve muita sorte. Quem ganhou chance no time titular não aproveitou, especialmente Bernardeschi e Immobile, enquanto quem entrou no segundo tempo, Insigne e El Shaarawy, enfrentou um contexto complicado para mostrar algo positivo. O napolitano ainda acertou a trave na melhor chance italiana, logo após entrar em campo, mostrando que merece ser mais utilizado. A Nazionale ainda teve a seu favor um voleio perigoso de Zaza no primeiro tempo, mas em uma das únicas coisas produtivas que fez em campo. Agora é se poupar para o jogo de segunda, contra a Espanha.

Itália 0-1 Irlanda
Brady (Hoolahan)

Itália (3-5-2): Sirigu; Barzagli, Bonucci, Ogbonna; Bernardeschi (Darmian 60'), Sturaro, Thiago Motta, Florenzi, De Sciglio (El Shaarawy 81'); Zaza, Immobile (Insigne 74'). Técnico: Antonio Conte.

Irlanda (4-3-3): Randolph; Coleman, Duffy, Keogh, Ward; Hendrick, McCarthy (Hoolahan 77'), Brady; Long (Quinn 90'), Murphy (McGeady 70'), McClean. Técnico: Martin O'Neill.

Local: Estádio Pierre-Mauroy, em Lille, França
Árbitro: Ovidiu Hategan (Romênia)

5 Comentários:

George Carlos disse...

O resultado foi injusto, pois a Irlanda merecia ter goleado. Uma Itália absolutamente medíocre, com defesa batendo cabeça, com inúmeros passes errados, sem qualquer ligação com o ataque e totalmente sem atacantes.tanto individual como conjuntamente, a Itália estava irreconhecível se compararmos com os dois primeiros jogos. Melhorou muito, passou a criar mais e dominar mais a posse de bola com a entrada de Insigne e Elshaarawi, que são dribladores, possuem a bola por mais tempo e partem para cima. Como demorou para esses dois jogadores entrarem. O que conte viu em zaza, para te-lo convocado para a Euro? Sempre o vi Como jogador de pelada. A como senti falta de candreva, de Rossi, Eder e Pelle. Enfim, a Itália reserva parece que nunca treinou com a titular. Concordaria com conte se ele tivesse poupado somente quem já tinha cartao amarelo. Espero que conte não se iluda mais com alguns jogadores. Bola pra frente. Que venha a Espanha.

George Carlos disse...

Aliás, descordo totalmente do título que deram à matéria: "a Real Itália", pois se essa fosse a real Itália, ela não teria ganho 1 euro, 4 títulos mundiais e vários vice. O poder do futebol italiano é muito maior do que essa decepção que vimos hoje. A história sabe e confirma o que estou dizendo.portanto, mais respeito pela azzurra.

CAMPEONATO ITALIANO disse...

A Itália é a Itália!
E vou seguindo ela SEMPRE Rumo ao BI na EURO e ao Penta no Mundial!

CAMPEONATO ITALIANO disse...

A Itália é a Itália!
E vou seguindo ela SEMPRE Rumo ao BI na EURO e ao Penta no Mundial!

Miguel Angel disse...

O maior erro de Conte foi ter escalado Sirigu. Reserva no PSG a temporada toda sendo que há goleiros em momento muito melhor que o dele que mereciam ter sido chamados (Sportiello e Donnarumma). Ogbonna também é inexplicável na azurra sendo que tinha Acerbi, Astori, Romagnoli, Rugani... Enfim boa sorte para a Itália por que vai precisar.

Postar um comentário