Subscribe Twitter Facebook

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

1ª rodada: Tudo será como antes?

A eficiência de Higuaín deu a primeira vitória da temporada à pentacampeã Juventus (Getty)
Enfim, ela voltou! Após longos meses de férias e pré-temporada, a Serie A começou em ritmo de amistosos e com muitos gols: foram 32 em 10 partidas, nenhum 0 a 0 e somente um empate. Juventus e Roma mostraram que continuam com a mesma fome da última temporada, ao passo que Napoli e Inter, esta última com um choque de realidade, já somaram o seu primeiro tropeço. Estreias acima da média também para Milan, Lazio, Sassuolo e Pescara. Confira no nosso primeiro resumo de 2016-17.

Juventus 2-1 Fiorentina
Khedira (Chiellini), Higuaín | Kalinic (Ilicic)
Tops: Khedira e Asamoah (Juventus) | Flops: Alex Sandro (Juventus) e Tatarusanu (Fiorentina)

No fim acabou sendo mais sofrido do que deveria, mas a Juventus começou o campeonato muito bem, segura de não ter que repetir mais um início lento, como na última temporada. Embora sem ritmo, intensidade ideias, o time de Allegri controlou à sua maneira a Fiorentina de Sousa. Entre defesa posicional, muito compacta e organizada, guardando sua área com maestria, e forte marcação pressão, sufocando a boa troca de passes do adversário e criando chances a partir daí, a Velha Senhora poderia ter goleado facilmente.

Enquanto Dani Alves e Dybala já mostraram bom entrosamento pela direita, com os ótimos apoios de Khedira, o gol surgiu em uma jogada de equipe típica, com Alex Sandro abrindo a defesa e Asamoah e Dybala arrastando defensores. Assim, Chiellini subiu para apoiar e cruzar na medida para o desmarque de Khedira, livre na pequena área viola. Os rivais de Florença chegaram a melhorar no segundo tempo e empataram com Kalinic, mas Higuaín deu a primeira amostra do porquê o clube pagou tanto por seus gols, garantindo a primeira vitória na temporada já na estreia, em seu primeiro toque na bola.

Roma 4-0 Udinese
Perotti (pênalti), Perotti (pênalti), Dzeko (Nainggolan), Salah
Tops: Perotti e Dzeko (Roma) | Flops: Karnezis e Danilo (Udinese)

O efeito Perotti. Até o intervalo, a Roma era dominante, mas pouco efetiva no ataque contra uma Udinese sem muito o que destacar. Quando o argentino entrou no lugar de El Shaarawy, tudo mudou: o time entrou nos eixos de verdade e as coisas fluíram naturalmente, enquanto a defesa adversária passava por apuros e cedia a goleada. Duas vezes de pênalti, Perotti abriu o marcador para também dar tranquilidade ao time, que manteve a mesma pegada de quando terminou a última temporada, com um belo futebol, sabendo como controlar o jogo com e sem a posse de bola.

No meio-campo, Nainggolan manteve o nível de sempre, Paredes e Strootman surgiram bem para suprir a ausência do regista da orquestra de Spalletti, Pjanic. Outra boa participação foi a do estreante Bruno Peres, que deu a mesma intensidade de Florenzi na lateral – aliás, quase inteiramente nova, a defesa esteve segura contra uma Udinese muito pobre. O time friulano reúne jovens talentos no banco, mas com Iachini joga com brucutus pouco produtivos. Deve continuar sofrendo nas próximas rodadas.

Milan 3-2 Torino
Bacca (Abate), Bacca (Niang), Bacca (pênalti) | Belotti (Molinaro), Baselli (De Silvestri)
Tops: Bacca e Donnarumma (Milan) | Flops: Paletta (Milan) e Padelli (Torino)

Muito bem no primeiro tempo, conseguindo reunir posse de bola e produtividade ofensiva, o Milan de Montella começou vitorioso e com dois ótimos indicativos: Donnarumma salvando e Bacca marcando. O colombiano forçou saída, mas acabou permanecendo e na primeira rodada marcou sua primeira tripletta em Milão, dando importante passo para seguir como o artilheiro que a equipe rossonera tanto precisa em uma época de transição. Embora tenha perdido Ljajic lesionado logo no começo, o Torino de Mihajlovic mostrou força e qualidade para se recuperar: no segundo tempo, equilibrou o jogo, buscou o empate com o bomber Belotti, mas voltou a sofrer com Bacca, duas vezes. A equipe grená contou com um empolgante Baselli e por muito pouco não levou o empate – por muito pouco, diga-se, através das mãos de Donnarumma. O jovem gigante salvou a cobrança de pênalti cometida por Paletta (expulso) no último lance do jogo e garantiu a primeira vitória do time de Milão.

Pescara 2-2 Napoli
Benali (Verre), Caprari (Zampano) | Mertens (Valdifiori), Mertens (Hysaj)
Tops: Benali (Pescara) e Mertens (Napoli) | Flops: Coda (Pescara) e Albiol (Napoli)

O Pescara naturalmente é um candidato ao rebaixamento, mas na primeira rodada a equipe do técnico Oddo deu um indicativo importante que pode transformar o estádio Adriatico em um inferno para os visitantes. A defesa preocupa, mas o jovem meio-campo e ataque mostram entrosamento e diversão, com toques rápidos, boa movimentação e agressividade. A pouco veloz e desatenta defesa napolitana não conseguiu acompanhar os biancazzurri, assim como parecia não esperar a forte marcação adversária no seu campo – em especial, Albiol foi um desastre. A recuperação da equipe de Sarri só veio quando Mertens, o melhor 12º jogador do campeonato, entrou no lugar de um apático Insigne. Em três minutos, o belga empatou a partida com uma doppietta e liderou a reação do time, que quase conseguiu a virada, mas também comemorou o empate após início tão lento.

Chievo 2-0 Inter
Birsa (Cacciatore), Birsa
Tops: Birsa e Cacciatore (Chievo) | Flops: Ranocchia e Icardi (Inter)

De Boer tinha destacado a má forma física da equipe, mas só quando a bola rolou para valer é que deu para perceber o atraso interista na preparação: a equipe perdeu dois meses fazendo turnê e só decidiu mudar algo duas semanas antes de o campeonato começar. E quando iniciou, o choque de realidade mostrou que o novo treinador não precisa apenas consertar pequenos erros, mas sim criar algo novo, porque quase nada foi feito na pré-temporada. Os nerazzurri encontraram no Chievo do técnico Maran uma equipe organizada, compacta e agressiva, tudo que eles não tem sido nos últimos anos. Os anfitriões controlaram o jogo sem a bola e marcaram quando a defesa adversária (leia-se Ranocchia) deu oportunidade, ambas as vezes em bonitos gols de Birsa. Ainda há muito para se trabalhar na Pinetina: De Boer disse que a verdadeira Inter só poderá ser vista em quatro meses.

Atalanta 3-4 Lazio
Kessié (Conti), Kessié, Petagna (Conti) | Immobile (Milinkovic-Savic), Hoedt (Biglia), Lombardi, Cataldi (Basta)
Tops: Kessié (Atalanta) e Immobile (Lazio) | Flops: Sportiello (Atalanta) e Marchetti (Lazio)

O caos total tomou o gramado do estádio Atleti Azzurri d'Italia, em Bérgamo. Com 33 minutos, a Lazio vencia por 3 a 0 e, por mais incrível que seja, não jogava bem – muito pelo contrário. A cada ataque surgiam os gols contra a desatenta defesa anfitriã (um aspecto clássico dos times do técnico Gasperini), mas o jogo ainda não estava ganho. O time da casa cresceu aos poucos e encostou no placar graças ao garoto Kessié, que marcou duas vezes em quatro minutos, aproveitando, dessa vez, a desorganização defensiva visitante. Dramático, o final do jogo ainda teve o quarto gol laziale com Cataldi, enquanto Petagna voltou a dar esperanças aos torcedores da Atalanta nos acréscimos. No fim, 3 a 4 e o primeiro jogo louco nesta Serie A.

Palermo 0-1 Sassuolo
Berardi (pênalti)
Tops: Posavec (Palermo) e Berardi (Sassuolo) | Flops: Rajkovic (Palermo) e Defrel (Sassuolo)

Cinco gols em quatro partidas. Começo pra lá de animador para Berardi, que deve mesmo assumir o protagonismo e ser a chave do sucesso do Sassuolo na temporada. O atacante tem correspondido, assim como outros jovens destaques na partida e no começo de temporada, os italianos Antei, Sensi e Politano. No Renzo Barbera, o time de Di Francesco controlou e dominou o jogo com a posse de bola, atropelando o Palermo de Ballardini, nervoso e desorganizado. O placar só não foi maior graças ao goleiro Posavec, autor de sete defesas.

Genoa 3-1 Cagliari
Ntcham (Rincón), Laxalt (Veloso), Rigoni (Lazovic) | Borriello (Sau)
Tops: Laxalt e Rincón (Genoa) | Flops: Capuano (Cagliari)

Um bom começo para Juric na Serie A: substituindo seu mestre, Gasperini, o croata entregou um time mais técnico que o do antecessor, mas menos agressivo. O time da casa, no entanto, precisou levar o gol de Borriello para transformar o domínio em vitória. Após sair atrás no placar com o gol do seu ex-jogador, o Genoa melhorou a pontaria e contou com os jovens Ntcham e Laxalt para a rápida virada em dois minutos, através do experiente e bom meio-campo formado por Rincón e Veloso. O bomber Pavoletti nem precisou decidir, embora tenha contribuído com bons apoios, assim como Ocampos foi bastante participativo. Decepcionante mesmo foi o Cagliari de Rastelli, completamente entregue à pressão adversária e sem criatividade para responder, ainda que tenha aberto o marcador. A dupla Sau-Borriello terá bastante peso e muita responsabilidade para que os sardos conquistem pontos.

Empoli 0-1 Sampdoria
Muriel (Álvarez)
Tops: Muriel e Torreira (Sampdoria) | Flops: Saponara e Maccarone (Empoli)

Visitando sua ex-equipe, o técnico Giampaolo conquistou importante vitória na estreia pela Sampdoria. Em meio ao caos da direção do clube, o treinador tem uma equipe técnica em mãos, boa o bastante para seguir seu trabalho na Toscana e montar um time interessante. Mas o mais importante foram as respostas de Muriel e Álvarez: os mais talentosos também são jogadores que pecam pela falta de atitude em muitos momentos, e devem superar isso para sair da mediocridade e corresponder ao talento que têm. O gol da vitória chegou com a participação dos dois e com belíssima finalização do colombiano. A Samp encontrou um Empoli muito modificado em relação à última temporada, e que, para piorar, não teve Saponara e Maccarone em um bom dia – o carequinha chegou até a ser expulso. Ainda mais enfraquecido, o time toscano deve brigar contra o rebaixamento.

Bologna 1-0 Crotone
Destro (Dzemaili)

Tops: Destro (Bologna) e Cordaz (Crotone) | Flops: Verdi (Bologna) e Simy (Crotone)

Simples e eficiente – talvez nem tanto na última parte. O Bologna poderia ter vencido com muito mais tranquilidade, mas esbarrou em boa atuação do veterano Cordaz e na sua própria falta de pontaria ao desperdiçar várias chances e acertar a trave duas vezes. Decisivo o gol marcado aos 86 minutos através de Destro, que começa a temporada fazendo o que dele se espera: descomplicar partidas. O time de Donadoni teve bom rendimento e foi muito seguro e consistente atrás, superando com tranquilidade a presença física do grandalhão Simy, de quase 2 metros de altura, enquanto a juventude do meio-campo e ataque deu uma nova dinâmica à equipe. Com tempo e entrosamento, mantendo essa organização, os felsinei devem pensar em ir além de uma salvezza tranquila. Já o Crotone...

*Os nomes entre parênteses nos resultados indicam os responsáveis pelas assistências para os gols

Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.
Seleção da rodada
Donnarumma (Milan); Cacciatore (Chievo), Acerbi (Sassuolo), Chiellini (Juventus), Laxalt (Genoa); Khedira (Juventus), Kessié (Atalanta); Perotti (Roma), Birsa (Chievo), Mertens (Napoli); Bacca (Milan). Treinador: Rolando Maran (Chievo).

A Liga Serie A disponibiliza os melhores momentos da rodada em seu canal oficial. Veja os melhores momentos dos jogos abaixo.

2 Comentários:

Fabricio Gonçalves disse...

Vi três jogos da primeira rodada (Roma e Juventus no sabado, Inter domingo). Faltou um destaque na "ajudinha" que os Romanos tiveram do soprador de apito nos dois penaltis, foi nada em nenhum dos dois. Jogo da Juventus achei que seria o de sempre, fazem 1-0 e sentam na vantagem sem o adversário esboçar reação, a Fiorentina achou o gol de empate mas levaram logo em seguida. Sobre a Inter, nada de muito novo, time ofensivamente pobre e o tecnico novo não conhece as peças do elenco (se conhecesse, não usava Ranocchia e mais alguns bagres) e o Chievo foi solido demais.

George Carlos disse...

Fabricio, o futebol atual está tão equilibrado que 1x0 ja é goleada. Basta ver os resultados da última Euro, a final do futebol olímpico masculino e dos jogos dos maiores times desta primeira rodada do calcio. E é assim que a vecchia signora vai colocar mais uma estrela no peito daqui a mais alguns anos. Mas concordo contigo no que diz respeito a inter: talvez nao se classifique nem para a liga Europa.

Postar um comentário