Subscribe Twitter Facebook

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

11ª rodada: O grande ex

Higuaín marcou contra o Napoli, seu antigo time, e ampliou liderança da Juve (Getty)
A 11ª rodada tinha como grande acontecimento o jogo entre Juventus e Napoli, que sempre envolve muita rivalidade e tem ficado ainda mais apimentado por conta da luta dos dois times pelas posições mais altas na tabela. Dessa vez, o confronto tinha um ingrediente a mais: seria o primeiro jogo de Higuaín contra sua antiga equipe. Claro, a lei do ex foi colocada à prova e o Pipita marcou o gol que decidiu a partida a favor da Velha Senhora e contra os comandados do "paizão" Sarri – a quem abraçou calorosamente antes do jogo. Além disso, a rodada teve vitórias de Milan, Lazio e Fiorentina, além de tropeços de Roma e Inter.

Juventus 2-1 Napoli
Bonucci e Higuaín | Callejón (Insigne)

Tops: Bonucci e Higuaín (Juventus) | Flops: Pjanic (Juventus) e Ghoulam (Napoli)

O Napoli foi agressivo, incomodou e atacou, mas a Juventus venceu. Praticamente invencível contra os azzurri em Turim – perdeu somente sete vezes –, a Velha Senhora novamente não esteve na melhor forma, porém conquistou o resultado e abriu cinco pontos na liderança. Se o time de Allegri já nada de braçada, a equipe de Sarri está no pelotão abaixo, na 5ª posição. Menos mal para os sulistas que a atuação foi interessante, com uma boa mostra de defesa adiantada e marcação pressão – o treinador, porém, errou ao tirar Insigne e Hamsík de campo quando precisava marcar gols.

O primeiro tempo transcorreu sem gols, mas em menos de cinco minutos os times balançaram as redes duas vezes na segunda etapa. Depois de Ghoulam afastar mal a bola após escanteio, Bonucci aproveitou a sobra para encher o pé e abrir o placar, com um golaço. E da mesma forma, a defesa anfitriã teve momento de desatenção e Insigne lançou Callejón dentro da área, para o espanhol empatar a partida sem deixar a pelota cair. Coube, então, à lei do ex determinar o placar: Higuaín aproveitou sobra de bola para bater de canhota, marcar contra seu antigo clube (não comemorou) e garantir mais uma vitória.

Empoli 0-0 Roma
Tops: Paredes (Roma) e Skorupski (Empoli) | Flops: Salah (Roma) e Saponara (Empoli)

Tem ex que marca gol contra, mas também tem o que impede gols. Skorupski foi a grande estrela da tarde na Toscana para evitar outra derrota do Empoli. Os anfitriões foram massacrados e embora também tenham assustado outro goleiro polonês (Szczesny), é difícil acreditar como mantiveram o zero no placar. Dzeko novamente esteve dominante, mas perdeu as várias oportunidades criadas por Paredes – Nainggolan, El Shaarawy e Salah, o último em dia especialmente ruim, certamente sentido a falta de Florenzi, também não conseguiram marcar. Aliás, curioso como Spalletti substituiu o versátil jogador italiano: no 4-2-3-1 que se torna 3-4-1-2, o canhoto Emerson atuou pela direita e o recuperado Rüdiger ficou na esquerda, na mesma função de Juan Jesus. Ainda que o brasileiro tenha tido bom desempenho, na prática não houve grande resultado. Afinal, a Roma apenas empatou e viu a Juventus aumentar a vantagem.

Milan 1-0 Pescara
Bonaventura

Tops: Bonaventura e Donnarumma (Milan) | Flops: Sosa e Bacca (Milan)

No ritmo de Bonaventura, o Milan chegou à surpreendente marca de sete vitórias em onze rodadas, nem de longe um projeção realista no início da temporada. O time de Montella, na verdade, não tem jogado muito bem e nem mesmo parece ter um planejamento montado pelo ex-treinador da Fiorentina, mas se mantém competitivo e conta com o camisa 5 para ganhar jogos. Se Bacca está fora de forma e Niang é muito impreciso, o versátil meia-atacante cria e finaliza com muita competência, como no único chute que passou por Bizzarri – uma cobrança de falta por baixo da barreira, no melhor estilo Pirlo e Ronaldinho. Do outro lado, Donnarumma novamente foi decisivo para suportar a pressão do ótimo Pescara de Oddo, que continua sem vencer e está cada vez mais próximo na zona de rebaixamento.

Sampdoria 1-0 Inter
Quagliarella (Linetty)

Tops: Quagliarella e Torreira (Sampdoria) | Flops: Icardi e João Mário (Inter)

Um time sem comando é q melhor descrição da Inter. Depois de apresentar melhora e em seguida sofrer sequência de derrotas, De Boer não conta mais com o apoio dos jogadores, que não seguem suas instruções e parecem um bando em campo, atacando sem coerência e defendendo sem organização. Cenário perfeito para a Sampdoria, que embalou depois da vitória no dérbi contra o Genoa e preferiu poupar jogadores contra a Juventus justamente para tê-los em forma diante da Inter. Os dorianos dominaram o meio-campo, com o jovem Torreira, e  destruíram a defesa interista através de contra-ataques, com Bruno Fernandes, Muriel e Quagliarella – não fossem Handanovic e Miranda, as coisas poderiam ter sido piores ainda para a Beneamata no Marassi. Em 14 partidas, o holandês acumula sete derrotas e sua saída é apenas questão de tempo: De Boer se tornará mais uma bode expiatório da confusão gestão no futebol da Inter, que melhora financeiramente, mas se perde na gestão do futebol, caminhando para o novo treinador em seis anos.

Lazio 2-1 Sassuolo
Lulic (Keita) e Immobile (Radu) | Defrel (Politano)

Tops: Felipe Anderson e Lulic (Lazio) | Flops: Terranova e Dell'Orco (Sassuolo)
De forma similar ao Milan, a Lazio não empolga, mas vence. Inzaghi conseguiu controlar os ânimos e egos em meio à confusa gestão do clube e tem explorado bem as características do quarteto que tem gerado tantas vitórias e a ótima quarta colocação, com 21 pontos para os laziale. Felipe Anderson, Immobile, Lulic e Keita: todas as seis vitórias na temporada vieram com participação desse grupo de jogadores, que impõem grande ritmo quando atacam e conseguem gols. Contra o desfalcado Sassuolo de Di Francesco, modificado em um 5-3-2 que não trouxe necessariamente solidez defensiva e tirou força no ataque, Lulic abriu o placar após jogada de Keita, e Immobile ampliou logo em seguida, após desvio de Radu em escanteio batido por Felipe Anderson. Os visitantes responderam rápido com jogadas de Matri e Politano e um gol Defrel, mas ficaram nisso e seguiram a sina de não vencer fora de casa.

Atalanta 3-0 Genoa
Kurtic (Gagliardini), Kurtic (Petagna) e Gómez (Petagna)

Tops: Kurtic e Petagna (Atalanta) | Flops: Ntcham e Burdisso (Genoa)

No confronto entre mestre e aprendiz, melhor para o experiente Gasperini contra o novato Juric: eles eram adversários pela primeira vez depois de mais de oito anos trabalhando juntos por Crotone, Genoa, Inter e Palermo. A Atalanta prevaleceu a partir da sua força, tanto por jogar em casa, como pelo físico de seus jogadores. O reflexo disso pode ser verificado nos dois primeiros gols, no final do primeiro tempo: a partir das recuperações de Gagliardini, substituto de Kessié, Kurtic contou com os apoios de Petagna para mostrar a ótima fase que vive. O esloveno tem funcionado como uma espécie de Kucka 2.0, imitando o comportamento do eslovaco do Milan quando este jogava sob as ordens de Gasp no Genoa – mas Kurtic é ainda mais completo, uma vez que é mais dinâmico e técnico que o milanista, mais físico. Papu Gómez, com belo chute de fora da área, decretou a vitória que exalta o extraordinário mês da equipe de Bérgamo, que não perde há seis partidas e tem cinco vitórias nesse período. Argentino de nascimento, Gómez está no radar de Ventura para a seleção italiana – o treinador inclusive assistiu ao jogo in loco.

Bologna 0-1 Fiorentina
Kalinic (pênalti)

Tops: Ilicic e Rodríguez (Fiorentina) | Flops: Gastaldello e Mbaye (Bologna)

Ainda instável, aos poucos o time de Paulo Sousa vai voltando a vencer. O futebol segue muito horizontal, mas a vitória que coloca a equipe na sétima posição teve contribuição importante de dois jogadores que vinham em má fase: se a Fiorentina joga mal é porque Ilicic e Kalinic não estão bem. No Derby dell'Appennino, os dois foram protagonistas nas ações de perigo dos visitantes – o esloveno acertou a trave duas vezes e o croata marcou o gol da vitória. Seguindo sua habitual irregularidade, o time de Donadoni mais uma vez esteve mal e não contou com Verdi e Krejci em bom dia, mas especialmente perdeu o comando com nova expulsão de Gastaldello – a segunda no mês –, por pênalti convertido por Kalinic, no primeiro tempo.

Crotone 2-0 Chievo
Trotta (pênalti) e Falcinelli (Sampirisi)

Tops: Cordaz e Ferrari (Crotone) | Flops: Hetemaj e Inglese (Chievo)

Enfim a primeira vitória na Serie A para o novato Crotone – e quem diria, contra o sólido Chievo, que não teve bom desempenhou em outubro. Neste dia histórico para os rossoblù, Trotta e Falcinelli marcaram os gols do time de Nicola nos extremos dos dois tempos, já nos acréscimos, graças a falhas de Hetemaj: o finlandês foi protagonista no pênalti do primeiro gol e no erro que levou ao segundo. Apesar dos gols, foi a defesa do time da Calábria que chamou atenção. Contra o físico time de Maran, muito bom nas bolas paradas, o veterano Cordaz foi fundamental para cortar cruzamentos, enquanto a dupla Ceccherini e Ferrari dominou os atacantes adversários. No final, os três pontos não bastaram para tirar o time calabrês da lanterna, mas dão gás para Nicola, já ameaçado no cargo.

Udinese 2-2 Torino
Théréau (Widmer), Zapata | Benassi (Belotti), Ljajic (De Silvestri)

Tops: Zapata (Udinese) e Ljajic (Torino) | Flops: Kums (Udinese) e Rossettini (Torino)

A Udinese buscava sua terceira vitória consecutiva e o Torino seu segundo sucesso fora de seus domínios. Os dois times ficaram perto disso, mas o jogo acabou empatado na Dacia Arena – ou estádio Friuli, para os puristas. Melhor no primeiro tempo, o Toro chegou ao gol depois que Belotti fez o pivô e acionou a infiltração de Benassi com uma bela assistência. Depois de boas defesas de Karnezis, a equipe de Údine reagiu após o intervalo, quando Théréau se antecipou a Rossettini e desviou cruzamento para as redes e chegou à virada 10 minutos depois, depois que Zapata aproveitou rebote. No entanto, Ljajic deu números finais ao placar e coroou seu ótimo mês de outubro.

Cagliari 2-1 Palermo
Dessena (Di Gennaro), Dessena (Sau) | Nestorovski (Rispoli)

Tops: Dessena (Cagliari) e Rispoli (Palermo) | Flops: Aleesami e Hiljemark (Palermo)

No jogo que fechou a rodada, show de Dessena. Na volta ao time titular do Cagliari após 11 meses no estaleiro por uma fratura na tíbia, o capitão foi o dono do jogo e, com dois belos gols oriundos de cruzamentos, levou sua equipe ao meio da tabela, com 16 pontos. Os sardos poderiam ter feito mais gols, mas levaram azar em chances claras criadas por Padoin, Bruno Alves e Sau. O macedônio Nestorovski continua sendo a única nota positiva do fraco Palermo, penúltimo colocado com 6 pontos.

*Os nomes entre parênteses nos resultados indicam os responsáveis pelas assistências para os gols

Relembre a 10ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

Seleção da rodada
Skorupski (Empoli); Dessena (Cagliari), Bonucci (Juventus), Ferrari (Crotone), Lulic (Lazio); Felipe Anderson (Lazio), Kurtic (Atalanta), Torreira (Sampdoria), Bonaventura (Milan); Quagliarella (Sampdoria), Petagna (Atalanta). Técnico: Gian Piero Gasperini (Atalanta).

A Liga Serie A disponibiliza os melhores momentos da rodada em seu canal oficial. Veja os melhores momentos dos jogos abaixo.

1 Comentário:

George Carlos disse...

A 11° rodada entrou para a história desse campeonato 2016-2017. Em primeiro lugar porque foi a rodada em que o lanterna crotone vence seu primeiro confronto, batendo o Chievo por 2x0. Ainda continua na lanterna, mas só a 1 ponto do palermo. Ou seja, por incrível que pareça, dependendo dos resultados dos jogos do pescara, do empoli e do palermo, caso o crotone vença seu próximo jogo ja pode ate mesmo deixar a zona de rebaixamento. Só coisas da série A TIM. Enquanto isso e por conta do heroico empate do empoli e derrotas de pescara e Palermo, é que este está cada vez mais próximo da lanterna e o pescara muito mais próximo de entrar na zona da degola, inclusive com os mesmos 7 pontos do empoli. Enfim,está muito emocionante a briga dos 4 últimos colocados. Outro fato histórico para essa temporada foi o primeiro gol de higuain contra seu ex time, o Napoli, e de maneira fatal, ou seja, que resultou na derrota do napoli. Infelizmente caiu na bobagem de nao comemorar o gol. Sim, bobagem porque o Napoli ja é passado e quem paga seus milhões é a Juventus. Pois bem. O que eu disse contra a Fiorentina na 10°rodada,quando empatou com o crotone no artemio franchi, eu digo agora da roma: nao poderia empatar com o empoli, nesta 11° rodada, pois descolou da líder juve e quando se briga pelo título com a juve, nao se pode perder pontos assim de maneira tao infantil. Logo, com derrotas de napoli e empate da roma, a Juventus está, no momento, sem quem lhe ameace a liderança. Tão bem que mesmo que venha a perder na próxima giornata e a roma vença, ainda continuará líder isolada. Quanto a inter nao precisa nem falar do tamanho do desastre, pois o maximo que a inter pode fazer atualmente é tentar se manter no meio da tabela, alem de ter perdido para um time que simplesmente luta para fugir da zona Vermelha, a sampdoria. Como eu ja tenho falado ha várias rodadas atrás, a Atalanta é a surpresa positiva desse campeonato...agora colou de vez na zona da Europa league. A depender dos resultados pode subir de 6° para 4° posição ja na próxima rodada. O time que mais caiu nas últimas rodadas foi o Bologna, tanto que hoje é apenas o 15° colocado, terceiro acima da zona Vermelha. É isso aí, vamos pra frente que virá muita emoção nesta serie a tim, principalmente entre os 4 últimos do campeonato. Arrivederci amici.

Postar um comentário