Subscribe Twitter Facebook

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

16ª rodada: A caça e a caçadora

No clássico de Turim, Juve de Higuaín levou a melhor sobre o Torino de Belotti (Ansa)
Fim de semana de clássicos e grandes jogos no futebol italiano. No único dérbi local, a Juventus mostrou poder de decisão e aproveitou as falhas de um Torino que joga bem, mas ainda não é capaz de empurrar a rival às cordas. Logo atrás da líder, a Roma também superou um grande adversário, o Milan, e ratificou o status de principal perseguidora da Velha Senhora. A rodada ainda teve vitórias maiúsculas de Napoli e Lazio, além de um suspiro de alívio para Fiorentina e Inter. Acompanhe o resumo.

Torino 1-3 Juventus
Belotti (Baselli) | Higuaín (Mandzukic), Higuaín (Chiellini), Pjanic

Tops: Belotti (Torino) e Higuaín (Juventus) | Flops: Leandro Castán (Torino) e Lichtsteiner (Juventus)

Um Derby della Mole para fazer jus ao grande histórico do confronto. Se o clássico de Turim passou alguns anos desprestigiado, pela soberania absoluta da Juventus sobre o Torino, hoje temos novamente muito equilíbrio. Em uma partida de muita intensidade e emoção desde os primeiros minutos, não bastou a bela exibição do Toro, que saiu na frente e ainda segurou o empate por quase toda a partida. Higuaín vivia jejum no Italiano (desde 29 de outubro, quando marcou contra o Napoli), mas deixou a seca para trás em um momento importantíssimo. A doppietta de Pipita fez a Velha Senhora mostrar seu lado implacável novamente: a pentacampeã venceu e manteve boa vantagem na liderança. O Torino é o 8º colocado.

Já nos primeiros minutos, a Juventus assustou, com Sturaro e Mandzukic, mas foi o Torino que abriu o placar. Baselli se infiltrou pela direita e cruzou na cabeça de Belotti, que não foi páreo para a frágil marcação de Lichtsteiner. Higuaín responderia ainda no primeiro tempo, após uma boa trama juventina e finalização na saída de Hart. Na segunda etapa, o confronto parelho reservou duas claras chances para o Torino, mas Mandzukic afastou um chute de Benassi que ia ultrapassando a linha e uma finalização de Ljajic raspou a trave. Se o Torino levava perigo no ataque, sua defesa não estava bem: Rossettini e Leandro Castán não acertavam a movimentação, mas a Juve não concluía bem. Até que Higuaín recebeu um lançamento longo, se livrou de Barreca e liquidou Hart, com uma bomba. Dybala, que voltou aos gramados após um tempo lesionado, ainda fez uma jogada brilhante nos últimos minutos, que originaria o terceiro gol. Hart tentou impedir, com duas belas defesas, mas a defesa grená ficou olhando Pjanic pegar o rebote e dar números finais ao dérbi.

Roma 1-0 Milan
Nainggolan

Tops: Rüdiger (Roma) e Donnarumma (Milan) | Flops: El Shaarawy (Roma) e Niang (Milan)

E a Roma é mesmo a anti-Juve. Tal qual nos últimos anos, a equipe da capital começa a se isolar na perseguição à pentacampeã italiana, que será sua adversária no próximo sábado. Após a magra vitória sobre o Milan, que caiu para a terceira posição, a Loba giallorossa manteve os quatro pontos de distância para a líder e já pensa em encostar de vez caso vença o confronto direto. Para tal, precisará mostrar um futebol melhor do que o desta segunda.

A equipe treinada por Spalletti chegou ao duelo entre as vice-líderes com 100% de aproveitamento em casa, enquanto o Milan tinha cinco jogos sem perder. Se a Roma foi a única a manter o retrospecto, deve agradecer à sólida partida de seus defensores e a Nainggolan: quando o time da casa parecia distante do gol, o bela fez um golaço. O jovem Donnarumma venceu o duelo contra Dzeko, que passou em branco, mas não conseguiu buscar o precioso chute de canhota do belga: para marcar o gol do jogo, ele colocou uma incrível curva na bola depois de aproveitar uma sobra e avançar praticamente sozinho. Antes de tudo isso, o Milan poderia ter saído na frente, após o pênalti bobo que Szczesny cometeu sobre Lapadula. Niang, no entanto, desperdiçou sua segunda cobrança em menos de 10 dias.

Cagliari 0-5 Napoli
Mertens (Hamsík), Hamsík, Zielinski (Hamsík), Mertens (Insigne), Mertens

Tops: Mertens e Hamsík (Napoli) | Flops: Ceppitelli e Dessena (Cagliari)

As partidas entre Cagliari e Napoli tem um quê especial para os cagliaritanos, pois, na falta de um adversário local de peso, seus torcedores despejam a necessidade de ter um rival sobre os azzurri. Nesta semana, alguns jogadores sardos esquentaram o clima com declarações sobre o jogo, mas queimaram a língua, já que o Napoli teve uma de suas melhores atuações na era Sarri e goleou. A lenta defesa do Cagliari (a mais vazada do campeonato, com 37 gols sofridos) sucumbiu à velocidade de Mertens e Insigne e deixou Storari muito exposto – não fossem alguns milagres do veterano, a goleada teria sido maior ainda. Inclusive, vale salientar um dado importante: em 16 rodadas, o Napoli desta temporada fez cinco gols a mais que no mesmo período no ano anterior, quando tinha Higuaín.

Em um dia de boas atuações de Zielinski, Jorginho, Callejón, Insigne e Hamsík (novo terceiro maior goleador do clube, com 105 gols), os azzurri controlaram a posse de bola e viram Mertens ficar quase inteiramente com o brilho. Jogando como falso nove, o belga anotou uma tripletta e até deu uma caneta em Ceppitelli, na ocasião do terceiro tento. O crescimento físico dos napolitanos nesta etapa da temporada e a assimilação de Mertens à função executada neste domingo serão essenciais para que a equipe consiga resultados positivos até a volta de Milik. A nota negativa para o Napoli, quarto colocado, foi a lesão que Koulibaly sofreu no joelho. O senegalês desfalcará a equipe diante do Torino e só volta aos treinos nos primeiros dias de 2017.

Inter 2-0 Genoa
Brozovic (João Mário), Brozovic (João Mário)

Tops: Brozovic e João Mário (Inter) | Flops: Palacio (Inter) e Laxalt (Genoa)

Em um dia de muita neblina em Milão, a Inter conseguiu enxergar algo bom para o futuro. A equipe nerazzurra foi a campo em um 3-4-3, espelhando o esquema tático do Genoa de Juric, e teve uma atuação pouco brilhante, mas sólida – foi um outro time em relação ao que sofreu 3 a 0 do Napoli na 15ª rodada. O primeiro tempo foi mais equilibrado e teve tentativas de Lazovic, Ocampos e Simeone por parte dos visitantes, mas um discreto domínio interista, que se traduziu em gol no fim da primeira etapa, com Brozovic. O croata, autor de quatro gols nos últimos cinco jogos, compensou as atuações ruins de Éder, Palacio e Icardi e ainda anotou o segundo na reta final do jogo, em nova assistência de João Mário. O português foi bem quando esteve recuado no meio-campo e também como trequartista, função em que criou as melhores oportunidades da Beneamata. Após o 2 a 0, a Inter poderia ter feito mais gols, mas o resultado foi suficiente para colocar o time entre os 10 primeiros novamente. O Genoa é o 13º.

Sampdoria 1-2 Lazio
Schick | Milinkovic-Saivc (Felipe Anderson), Parolo (Felipe Anderson)

Tops: Schick (Sampdoria) e Felipe Anderson (Lazio) | Flops: Regini (Sampdoria) e Immobile (Lazio)

No sábado, Sampdoria e Lazio colocaram frente a frente seus bons retrospectos recentes. Melhor para o time da capital, que dominou quase toda a partida e foi merecedor da vitória, pelo que produziu ao longo dos 90 minutos. A reação que se seguiu à derrota no dérbi contra a Roma interrompeu os cinco jogos de invencibilidade da Sampdoria e teve ótima participação de Felipe Anderson, muito criativo pelo lado direito do meio-campo. O brasileiro deu os passes para os gols de Milinkovic-Savic e Parolo e ainda poderia ter ajudado mais com gol e assistências, não fossem os erros de Immobile: o atacante, que não marca há um mês e meio, perdeu gols e ainda foi fominha em um lance em que o ex-santista tinha o gol aberto. A equipe de Inzaghi, quarta colocada, até foi pressionada pela Samp, mas o goleiro Strakosha (que substituiu o lesionado Marchetti no intervalo) apareceu bem no jogo e só não pegou o potente chute de Schick, já nos acréscimos.

Fiorentina 2-1 Sassuolo
Kalinic (Badelj), Kalinic (Chiesa) | Acerbi

Tops: Kalinic (Fiorentina) e Pellegrini (Sassuolo) | Flops: Bernardeschi (Fiorentina) e Cannavaro (Sassuolo)

A Fiorentina viveu momentos de crise nesta temporada, mas vai subindo na tabela e já é a 7ª colocada, após a importante vitória sobre o Sassuolo (15º) e a derrota do Torino no dérbi piemontês. Nesta segunda, quem foi ao Artemio Franchi assistiu uma partida muito agitada, especialmente no primeiro tempo, com um roteiro de "lá e cá", conduzido pelos muitos jovens em campo. O diferencial foi que, quando chegava com mais perigo, o time florentino marcava – o fez duas vezes, com bonitos gols de Kalinic. Aos 10, o croata aproveitou um balão e o erro na linha de impedimento dos neroverdi para encobrir Consigli, enquanto 30 minutos depois, completou de letra um cruzamento rasteiro de Chiesa e surpreendeu o goleiro  com sua rapidez de raciocínio – o arqueiro raspou na bola, que ainda tocou no pé da trave e entrou mansamente. O Sassuolo respondeu com algumas blitze, mas Defrel e Pellegrini chutaram para fora e, em duas oportunidades, Tatarusanu fez defesaças ante Magnanelli e Ricci. O problema é que o romeno é inconstante e falha demais em saídas de bola – em uma delas, criou caos na área e Acerbi diminuiu.

Atalanta 1-3 Udinese
Kurtic (Gómez) | Zapata, Fofana (Théréau), Théréau (Fofana)

Tops: Karnezis e Fofana (Udinese) | Flops: Caldara (Atalanta) e Badu (Udinese)

O placar sugere que deu tilt na boa Atalanta de Gasperini, mas não foi bem assim. Agora sexta colocada, com 28 pontos, a equipe bergamasca foi a campo com seu estilo habitual de pressão e só não saiu bem sucedida porque o goleiro Karnezis fez cinco defesas importantes – sem falar em uma bola que explodiu no travessão e no corte de Danilo, em cima da linha. Após sofrer em todo o primeiro tempo, a cínica Udinese saiu na frente graças a um gol chorado de Zapata, que saiu trombando com a defesa nerazzurra e aproveitou rebote de Sportiello para anotar. A Atalanta até empatou com Kurtic, mas o jovem Fofana decidiu a partida e aproximou os friulanos da metade de cima da tabela. O francês – revelado pelo Manchester City e de boa passagem pelo Bastia – venceu o duelo com Kessié no meio-campo e participou dos dois gols que decretaram a vitória da Udinese. Além da assistência para Théréau, encobriu Sportiello com um lindo pallonetto.

Palermo 0-2 Chievo
Birsa, Pellissier

Tops: Dainelli e Pellissier (Chievo) | Flops: Goldaniga e Posavec (Palermo)

O lanterna Palermo conseguiu um feito: é a primeira equipe a perder nove jogos consecutivos na história da Serie A. O time rosanero tem sofrido até mesmo contra um dos piores ataques do campeonato – o Chievo é o sexto pior no quesito, com 16 gols marcados – e dificilmente escapará da degola se mantiver este ritmo. O time do técnico Corini, ele próprio ex-jogador e técnico dos veroneses, mal conseguiu dar trabalho ao goleiro Sorrentino, outro ex da partida. O bem postado Chievo de Maran se defendia bem e saía para o jogo em rápidos contra-ataques, como o que abriu o placar: Birsa aproveitou desatenção de Andelkovic e bateu no canto de Posavec. O Chievo não perdeu nenhuma partida em que saiu na frente neste campeonato e confirmou a vitória que o manteve na 10ª posição graças a Pellissier. O veterano aproveitou erro crasso de Goldaniga e chegou aos 100 gols na Serie A. Foi o quinto em atividade (depois de Totti, Gilardino, Cassano e Quagliarella) e o 80º a alcançar a marca.

Crotone 2-1 Pescara
Palladino (pênalti), Ferrari (Stoian) | Campagnaro (Crescenzi)

Tops: Cordaz e Ferrari (Crotone) | Flops: Manaj e Memushaj (Pescara)

O caçula Crotone conseguiu sua segunda vitória na Serie A em um jogo que movimentou a zona de rebaixamento: os calabreses, agora com nove pontos, ultrapassaram o Pescara, que não vence há 10 partidas (só conseguiu os três pontos diante do Sassuolo no tapetão) e está definitivamente em crise. O técnico Oddo ficou possesso quando o capitão Memushaj perdeu um pênalti, defendido por Cordaz, e demonstrou muita raiva ao longo da partida – o mesmo sentimento genuíno que fez o adversário Nicola esmurrar uma porta após o Crotone ceder o empate à Sampdoria, duas semanas atrás, e quebrar um dedo. A partida, que teve dois cartões vermelhos (Capezzi, dos rossoblù, e Aquilani, dos golfinhos) e dois pênaltis para cada lado, foi decidida apenas no final, quando Ferrari desviou cruzamento de Stoian. Foi o último jogo dos tubarões em casa em 2016, já que a partida do dia 22, contra a Juventus, foi adiada devido à participação da pentacampeã na Supercopa Italiana, no dia seguinte.

Bologna 0-0 Empoli
Tops: Krafth (Bologna) e Costa (Empoli) | Flops: Destro (Bologna) e Maccarone (Empoli)

Emoção não foi o forte da partida entre Bologna e Empoli no estádio Renato Dall'Ara. 16º e 17º colocados, os times fizeram uma partida digna da posição em que se encontram e dos números negativos de seus ataques – os bolonheses só marcaram 14 vezes e os toscanos têm a proeza de terem feito somente sete. A baixa qualidade técnica e as poucas chances de gol, justificam-se também pelas boas partidas dos defensores, que conseguiram se antecipar aos atacantes e estavam bem postados. Para se ter uma ideia, o primeiro chute na direção do gol aconteceu apenas aos 40 minutos do primeiro tempo, e a única chance clara surgiu aos 41 do segundo: Krafth cruzou na área, mas Destro cabeceou por cima do gol de Skorupski. O Bologna de Donadoni está oito pontos distante da zona de rebaixamento e o Empoli de Martusciello está fora dela por somente dois pontinhos.

*Os nomes entre parênteses nos resultados indicam os responsáveis pelas assistências para os gols

Relembre a 15ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

Seleção da rodada
Karnezis (Udinese); Ferrari (Crotone), Rüdiger (Roma), De Vrij (Lazio); Felipe Anderson (Lazio), Brozovic (Inter), Hamsík (Napoli), Mertens (Napoli); Higuaín (Juventus), Kalinic (Fiorentina). Técnico: Maurizio Sarri (Napoli).

A Liga Serie A disponibiliza os melhores momentos da rodada em seu canal oficial. Veja os melhores momentos dos jogos abaixo.


1 Comentário:

George Carlos da Siva disse...

16ª Giornata:
Uma rodada em que mais uma vez a Juventus demonstra sua superioridade dentro do campeonato: bate o Torino sem maiores dificuldades, no clássico de turim, e joga a pressão pra cima da Roma e do Milan. Sim, ficou assistindo de camarote esses dois últimos se digladiarem no Olímpico da capital italiana e torcendo fervorosamente por um empate. Isto porque a vantagem já estava bastante elástica, ou seja, de 7 pontos em relação aos time de Spaletti e de Montella. Contudo, num jogo em que os dois times deram uma aula de defesa, a squadra de Spaletti, numa raríssima falha conjunta da defesa milanista, marca e decreta a vitória do time da capital italiana. Além disso, o time de Totti ganha moral para encarar a toda poderosa juve, na próxima rodada, em pleno Juventus stadium. Digo que a juve leva uma leve vantagem. Por sua vez, a Atalanta deixa a zona da europa league, após duas derrotas consecutivas, levando 6 gols em 2 jogos. Assim, com a vitória do nápoli sobre o time que tem a pior defesa do campeonato (Cagliari), Nápoli e lazio ocupam, ambos com 31 pontos e 9 vitórias, as duas vagas que levam á Europa League (4ª e 5ª posições, respectivamente). Lembrando que a lázio só não é terceira colocada isolada porque perdeu para a Roma no clássico de Roma na 15ª Rodada. Já a inconstante Inter não fez mais do que seu dever de casa, batendo o Genoa no Giuseppe Meazza por 2x0. Destaco, ainda, que o Crotone, depois que passou a mandar seus jogos no seu próprio estádio (no Ézio Scida) melhorou tanto, que não só deixou a lanterna da serie A Tim, más, sobretudo, está prestes a deixar a zona de rebaixamento, tendo que para tanto vencer o próximo jogo e torcer por um tropeço do primeiro colocado acima da zona vermelha (o Empoli). Más creio que não vá demorar muito tempo para Empoli fazer companhia ao Pescara e ao Palermo na zona da degola. A inferioridade de Empoli, crotone, pescara e palermo é tão notória que basta ver a distância de 6 pontos para o 16º que é o Bologna (que faz uma campanha muito irregular). Enfim, mantidas as 5 primeiras colocações e as 4 ultimas (sem alterações relevantes), esperemos os próximos capítulos desta maravilhosa novela (a serie A Tim) para vermos se teremos um novo sujeito em um dos blocos (de cima ou debaixo), o que acho muito difícil, exceto a possibilidade de o Empoli substituir o Crotone na zona vermelha. Arrivederci.









Postar um comentário