Subscribe Twitter Facebook

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

20ª rodada: O campeonato à parte da Fiorentina

Fiorentina derrotou a rival Juventus e apimentou a briga pelo scudetto (Getty)
Ganhar é bom, mas ganhar da Juventus é melhor ainda, diria um Galvão Bueno de Florença. Não há nada mais importante na temporada de um torcedor da Fiorentina que comemorar a vitória viola frente à Velha Senhora, sobretudo se o resultado significar pôr dificuldades em seu caminho. A Juve ainda tem um jogo a menos – contra o fraco Crotone –, mas a vantagem para Roma e Napoli, grandes adversários ao título, caiu três pontos, e a temporada de agouros e mandingas das torcidas contra os bianconeri foi reiniciada. Além do clássico, outros destaques da rodada foram a Inter, que chegou a cinco vitórias consecutivas e está se aproximando do pelotão que briga por vaga na Liga dos Campeões, e o jogaço entre Torino e Milan.

Fiorentina 2-1 Juventus
Kalinic (Bernardeschi) e Badelj | Higuaín

Tops: Chiesa e Sánchez (Fiorentina) | Flops: Dybala e Marchisio (Juventus)

Em mais uma demonstração da sua fragilidade longe do Juventus Stadium, a Velha Senhora caiu em Florença para a rival viola. Esta foi a quarta derrota bianconera no campeonato, todas fora de Turim, sendo três nas últimas cinco partidas – e três para adversários ferrenhos, como a própria viola e os gigantes de Milão. A queda no rendimento dos bianconeri permitiu à Roma voltar a se aproximar da briga pela liderança, agora distante apenas um ponto, ainda que a Juve tenha uma partida a menos, diante do Crotone. No domingo, porém, a festa maior foi da Fiorentina, que contou com grande presença da torcida, sumida nos últimos tempos, e homenagem para o ídolo Giancarlo Antognoni, que voltou ao clube como diretor.

Em campo, o time de Paulo Sousa soube neutralizar bem a equipe de Max Allegri, matando o coração criativo do time: Marchisio e Dybala, sumidos  no Artemio Franchi, e também Alex Sandro, engolido por Chiesa e Sánchez – o volante colombiano foi escalado como zagueiro pela direita. Para isso, trabalho de muito sacrifício desde o ataque, impedindo o domínio territorial adversário. Dessa vez, a Fiorentina não teve tanto a bola como de costume, mas atacou bem, inclusive mais do que os juventinos, e abriu o placar com Kalinic, após assistência de Bernardeschi, no final do primeiro tempo. Pouco depois do intervalo, uma nova desatenção da defesa levou ao gol de Badelj, que lançou o jovem Chiesa em diagonal: o filho de Enrico nem mesmo tocou na bola, mas enganou Buffon e fez questão de apontar para o regista croata na comemoração. Logo na sequência, Higuaín aproveitou raro momento de desatenção da defesa viola e descontou. Um gol que não desestabilizou os anfitriões, que mantiveram o placar até o fim com pouco sofrimento.

Udinese 0-1 Roma
Nainggolan (Strootman)

Tops: De Paul (Udinese) e Nainggolan (Roma) | Flops: Fofana (Udinese) e Dzeko (Roma)

Dzeko perdoa, Nainggolan não. Contra a Udinese, a Roma esteve longe de fazer grande partida, mas encaixou a segunda vitória consecutiva fora da capital, superando a derrota para a Juventus. Os giallorossi fizeram sua parte na tarde, comemoraram o tropeço da rival à noite e agora voltam a sonhar com uma disputa mais apertada pelo título. Em Údine, Dzeko não esteve em grande forma e perdeu grandes chances, além de um pênalti (um dos mais mal batidos dos últimos tempos), mas o meio-campo de Spalletti funcionou muito bem: Paredes, Strootman e, como sempre, Nainggolan, fizeram grande partida e controlaram o setor. Desde a saída de Pjanic, o belga cresceu extraordinariamente e se tornou protagonista não apenas pela energia e dinamismo, mas também pelo poder de decisão.

Não que Szczesny tenha sofrido muito, até porque Manolas e Fazio estiveram seguros, mas o goleiro polonês também foi decisivo: fez intervenções importantes para a manter a vitória, que saiu com gol de Radja logo no início. Depois de boa sequência, a Udinese chegou a duas derrotas seguidas no Friuli, mas o time de Delneri e a torcida friulana não podem perder o pique. A posição segue bastante confortável na tabela, afinal de contas, e a ótima partida do argentino De Paul pode significar crescimento na produção ofensiva, se ele mantiver a forma. O meia-atacante fez péssimas atuações na primeira parte da temporada, mas, neste domingo, se ressentiu da falta de colaboração de Zapata e Théréau.

Inter 3-1 Chievo
Icardi (Candreva), Perisic (Icardi) e Éder (Palacio) | Pellissier (Birsa)

Tops: Icardi (Inter) e Sorrentino (Chievo) | Flops: D'Ambrosio (Inter) e Gobbi (Chievo)

Em que pese o sofrimento até os minutos finais, dessa vez a Inter teve uma grande exibição. Jogando em alto ritmo desde o primeiro minuto, o time de Pioli teve bastante volume do jogo e o veterano Sorrentino acabou sendo o grande protagonista da partida – para o bem e para o mal. Contra a equipe de Maran, bem fechada por dentro, sobrou espaço nas laterais para os donos da casa jogarem, mas outra vez pesou a falta de precisão na construção das jogadas, especialmente nos cruzamentos. Foram 34 somente no primeiro tempo (um recorde na Serie A) e 70 no total. Ainda assim, foi em um cruzamento do contestado Candreva que saiu o gol de empate, completado pelo artilheiro Icardi. Empate porque outro veterano gialloblù já havia atirado um balde de água fria nos interistas. Na metade do primeiro tempo, durante a enorme pressão anfitriã, Pellissier se antecipou a D'Ambrosio na pequena área e completou escanteio de Birsa.

O gol do capitão foi a única chance clara de gol dos visitantes, que ainda acertaram o gol outras três vezes, mas sem perigo para Handanovic. Enquanto o Chievo pouco fazia e Maran mexia mal, Pioli ajeitou o time: Éder, especialmente, e também Banega e Palacio tiveram impacto na virada. Como não poderia deixar de ser, coube a Perisic decidir. Aos 86, o croata recebeu de Icardi, que recuperou bola no meio-campo, e chutou no meio do gol – Sorrentino, autor de mais de dez defesas difíceis no jogo, acabou falhando. Ainda deu tempo para Palacio e Éder criarem o terceiro gol no último lance da partida, aproveitando falha de Gobbi e garantindo a quinta vitória consecutiva dos nerazzurri, que agoram têm 36 pontos. O Chievo, que perdeu pela terceira vez seguida, permanece no meio da tabela.

Torino 2-2 Milan
Belotti (Ljajic), Benassi (Falqué) | Bertolacci, Bacca (pênalti)

Tops: Falqué e Belotti (Torino) | Flops: Ljajic (Torino) e Romagnoli (Milan)

Um dos grandes jogos da rodada. Tal qual na partida da última quinta-feira, pelas oitavas de final da Coppa Italia, o Torino começou colocando o Milan contra as cordas: o ritmo intenso do time de Mihajlovic forçou alguns erros da defesa rossonera e foi o fator principal para a vantagem. Falqué saiu costurando pela direita, deu uma caneta em Romagnoli e cruzou para Ljajic chutar mascado. Belotti, no lugar certo, desviou e fez o primeiro. Quatro minutos depois, em jogada semelhante, foi o artilheiro quem rolou para Falqué bater errado e Benassi, de letra, desviar.

O Toro poderia ter ampliado ainda no primeiro tempo, mas Ljajic foi displicente e Donnarumma defendeu a quarta das sete cobranças de pênaltis que teve contra si na carreira. Um gol que faria falta demais à equipe granata, pois os rossoneri conseguiram buscar o empate. Hart bem que tentou evitar, e fez ótimas defesas contra Suso e Bertolacci, ainda no primeiro tempo, e uma série de intervenções complicadas após o intervalo. No entanto, sucumbiu a falhas seguidas de sua defesa, pouco reativa à presença de Bertolacci na área e, depois, ao erro de Rossettini, que derrubou Paletta na área quando o goleiro já tinha o controle da pelota. A mesma displicência de Ljajic também acometeu o Milan, que poderia ter virado com Niang, no final. O empate não serviu aos times: os rossoneri perderam a chance de encostar no pelotão que incomoda a Juventus e o Toro ficou estacionado na oitava posição.

Outra vez decisivo, Perisic garantiu quinta vitória consecutiva da Inter (LaPresse)
Napoli 3-1 Pescara
Tonelli (Jorginho), Hamsík (Zielinski) e Mertens (Allan) | Caprari (pênalti)

Tops: Hamsík e Tonelli (Napoli) | Flops: Zuparic e Coda (Pescara)

Por incrível que pareça, o Napoli suou para vencer o Pescara e encostou na Juve. Depois do empate no Adriatico na primeira rodada, os golfinhos novamente foram uma pedra no sapato do time napolitano, que demorou para encaixar seu jogo no San Paolo. Quando encaixou, claro, sobrou contra a frágil defesa armada pelo técnico Oddo. O zagueiro-artilheiro Tonelli, pupilo de Sarri no Empoli justamente pelos gols em jogadas de bola parada, abriu o marcador e anotou seu segundo gol em dois jogos na Serie A. Sem tempo para perder, o Napoli ampliou na sequência, quando Zielinski lançou para Hamsík deslocar Bizzarri com um toque de primeira. Tudo isso em dois minutos logo após o intervalo, mostrando rápida reação depois de primeiro tempo fraco. Ainda deu tempo para Mertens guardar o seu aos 85, com passe de Allan, e até da defesa anfitriã conceder pênalti estúpido, convertido por Caprari.

Lazio 2-1 Atalanta
Milinkovic-Savic (Lulic) e Immobile (pênalti) | Petagna (Freuler)

Tops: Milinkovic-Savic e Immobile (Lazio) | Flops: Berisha e Kurtic (Atalanta)

Aproveitando a sequência em casa, a Lazio afastou qualquer possibilidade de queda na tabela depois de terminar o ano perdendo para a Inter: a equipe romana venceu novamente, dessa vez um adversário direto, mantendo vantagem na quarta posição e continuando no encalço do Napoli. No confronto entre duas das equipes mais físicas do campeonato, melhor para o time de Inzaghi, que teve no gigante Milinkovic-Savic seu protagonista. O treinador abriu Felipe Anderson e Lulic nas alas e apostou na presença do sérvio por dentro. O gigante balcânico dominou as áreas por onde pisou e fez o gol de empate laziale, em assistência de Lulic. Petagna abriu o placar aos 21, em uma das poucas oportunidades do time de Gasperini, neutralizado também pela defesa anfitriã. De pênalti, novamente Immobile foi decisivo para virar e garantir a vitória biancoceleste. Curiosamente, os técnicos dos dois times foram expulsos pelo árbitro Pairetto.

Cagliari 4-1 Genoa
Borriello, João Pedro, Borriello e Diego Farias (pênalti) | Simeone (Edenílson)

Tops: Borriello e Rafael (Cagliari) | Flops: Capuano (Cagliari) e Rigoni (Genoa)

No início, as coisas pareciam encaminhadas para mais um tropeço do Cagliari. Na enésima falha defensiva do time de Rastelli, Simeone sobrou para completar cruzamento de Edenílson na metade do primeiro tempo. Mas os anfitriões finalmente reagiram, e a partir de então, massacraram:  acertaram o gol visitante 12 vezes e, em quatro delas, Lamanna foi superado. O ex-grifone Borriello foi protagonista na reação, participando diretamente de todos os gols. No primeiro tempo, marcou o gol de empate, aos 40, e três minutos depois acertou a trave, oferecendo o rebote para João Pedro virar. Na etapa final, o veterano centroavante voltou a marcar e chegou ao seu nono gol no campeonato e, logo depois, deixou Diego Farias bater pênalti para decretar a goleada. Vantagem mantida também por causa de outro brasileiro, o goleiro Rafael, que impediu que as estocadas finais do Genoa pudessem ter resultado.

Sassuolo 4-1 Palermo
Matri (Berardi), Ragusa (Berardi), Matri e Politano (Defrel) | Quaison (Nestorovski)

Tops: Berardi e Matri (Sassuolo) | Flops: Posavec e Vittiello (Palermo)

Uma vitória para extravasar. Depois de sequência negativa e muitos problemas por lesão, o Sassuolo voltou a vencer e como não poderia deixar de ser, Berardi foi o grande protagonista. O jovem não marcou, mas deixou sua marca com duas assistências e outras jogadas de efeito. De qualquer forma, o Sassuolo viu os visitantes que abrirem o placar, depois que Nestorovski ajeitou de letra para Quaison marcar, logo aos nove minutos. Ainda assim, o empate veio a galope e Matri voltou às redes depois de três meses e 12 partidas, em passe de Berardi. Quem também aproveitou ajuda do camisa 25 foi Ragusa, que virou nove minutos depois. Na segunda etapa, Matri marcou novamente e deixou a vida de Di Francesco muito mais tranquila – o substituto de Berardi, Politano, ainda fez o quarto no final. O Palermo segue afundado na zona de rebaixamento, agora com oito de desvantagem para o Empoli, enquanto o Sassuolo aproveitou para se aproximar do meio da tabela.

Sampdoria 0-0 Empoli
Tops: Puggioni e Skriniar (Sampdoria) | Flops: Muriel (Sampdoria) e Marilungo (Empoli)

No único 0 a 0 da rodada, Samp e Empoli protagonizaram um jogo pouco técnico, marcado por muitas perdas de posse e duelos aéreos. Nesse cenário, as defesas foram os destaques, enquanto os atacantes sucumbiram ao domínio físico e imprecisão nas jogadas. O lance mais clamoroso acabou sendo o pênalti de Mchedlidze, defendido por Puggioni no primeiro tempo, enquanto do outro lado Muriel não teve a energia de sempre e ainda perdeu várias chances – em uma delas, Laurini salvou em cima da linha. O empate não muda a situação dos times na tabela: a Sampdoria está estacionada na 13ª posição e o Empoli, primeiro time acima da zona de rebaixamento, mantém boa diferença para o Palermo.

Crotone 0-1 Bologna
Dzemaili (Krejci)

Tops: Mirante e Dzemaili (Bologna) | Flops: Trotta e Rosi (Crotone)

Crotone e Bologna fizeram um jogo que parecia não ter fim. Em mais um exemplo do mau planejamento da Serie A para aproveitar um horário com bastante visibilidade para o mercado asiático, os "gênios" da liga escolheram deixar esta partida isolada na tarde de sábado. Para desgosto de quem queria bom futebol, as equipes da parte de baixo da tabela fizeram tiveram confronto marcado pela baixa qualidade técnica e pelos problemas físicos dos visitantes, que obrigaram Donadoni a fazer duas substituições ainda no primeiro tempo. Ainda assim, o ritmo subiu enquanto os emilianos buscaram o gol e quando os anfitriões buscaram a reação, frustrada por exibição importante de Mirante e da bem postada defesa felsinei. Dzemaili mais uma vez fez gol decisivo, mantendo o Bologna longe da zona de rebaixamento e o novato Crotone desesperançoso, com apenas nove pontos e 14 derrotas em 19 partidas.

*Os nomes entre parênteses nos resultados indicam os responsáveis pelas assistências para os gols

Relembre a 19ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

Seleção da rodada
Sorrentino (Chievo); Sánchez (Fiorentina), Tonelli (Napoli), Fazio (Roma); Berardi (Sassuolo), Gagliardini (Inter), Milinkovic-Savic (Lazio), Nainggolan (Roma), Perisic (Inter); Icardi (Inter), Borriello (Cagliari). Técnico: Stefano Pioli (Inter).

A Liga Serie A disponibiliza os melhores momentos da rodada em seu canal oficial. Veja os melhores momentos dos jogos abaixo.

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário