Subscribe Twitter Facebook

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

21ª rodada: Suor e recompensa

João Mário garantiu a sexta vitória consecutiva da Inter (AP)
Na segunda rodada do returno da Serie A, a Inter voltou a viver um drama, mas venceu e demonstrou que ainda está viva na briga por uma vaga na Liga dos Campeões. Longe do maior torneio europeu desde 2012, a equipe nerazzurra chegou a seis triunfos em sequência e finalmente tem rendido o que se esperava de um elenco tão caro. A 21ª jornada do Campeonato Italiano também teve como destaques o jogaço entre Milan e Napoli e as marcas positivas de Juventus, Roma e Atalanta. Com quase metade do torneio pela frente, os rebaixados para a segundona também estão virtualmente definidos. Confira.

Palermo 0-1 Inter
João Mário (Candreva)

Tops: Murillo e Gagliardini (Inter) | Flops: Goldaniga e Jajalo (Palermo)

Seis vitórias consecutivas na Serie A. A Inter não conseguia tal marca desde outubro de 2012, quando teve um ótimo início de temporada – ainda que a equipe, treinada por Stramaccioni, acabaria o campeonato com a pior colocação do clube neste século. Neste campeonato, apenas a Atalanta tinha conquistado tantos triunfos em sequência, entre setembro e novembro. Com Pioli, a equipe de Milão tem aproveitamento de campeã: segundo levantamento feito pela Gazzetta dello Sport, se projetados para as 21 rodadas disputadas, seus números renderiam 51 pontos e a primeira posição à Beneamata. De qualquer forma, o time de Pioli não tem vivido este bom momento sem que protagonize certo drama: a partida realizada em um vazio Renzo Barbera, contra o pior anfitrião da Serie A, não foi exceção.

Os visitantes ofereceram alguma resistência com Bruno Henrique, Quaison e Nestorovski, mas Miranda e Murillo estiveram firmes na defesa e Handanovic só trabalhou para cortar cruzamentos – não fez uma defesa sequer. Do outro lado, porém, o inexperiente Posavec superou as frequentes falhas e fez defesas importantes para manter o placar zerado por mais de 60 minutos, mesmo com a insistência do ataque interista. Se Icardi, Perisic, Banega e Candreva não estiveram inspirados, João Mário entrou com gás e mais uma vez foi decisivo, completando cruzamento do italiano na pequena área. A vantagem foi mantida, mas a Beneamata ainda teve as expulsões de Ansaldi e Pioli no final do jogo. Com o resultado, a Inter voltou à zona europeia e ocupa a 5ª posição, a um ponto da Lazio. O Palermo, por sua vez, está cada vez mais próximo da Serie B.

Juventus 2-0 Lazio
Dybala (Mandzukic) e Higuaín (Cuadrado)

Tops: Mandzukic e Cuadrado (Juventus) | Flops: Felipe Anderson e De Vrij (Lazio)

Pela primeira vez a Juventus teve Dybala, Higuaín e Mandzukic juntos no time titular, e juntamente com o trio, Cuadrado. A formação super ofensiva de Allegri foi uma surpresa, inclusive para a Lazio: o diretor esportivo laziale, Igli Tare, falou que não esperava o adversário dessa forma. Não à toa, os gols em Turim surgiram dos pés do quarteto, que aproveitaram desatenções da defesa laziale para matar o jogo depois de apenas 17 minutos. Sem jamais reagir de forma competitiva, a Lazio viu seu jejum de vitórias contra os bianconeri, em Turim, aumentar para 14 anos. Por sua vez, a Velha Senhora estendeu sua série de vitórias em casa a incríveis 27 jogos.

Com os gols marcados logo no início, os anfitriões não tiveram qualquer problema para apenas administrar a vantagem pelos mais de 70 minutos restantes, controlando a posse de bola e impedindo o adversário de pisar na sua área. A Lazio até chutou mais, mas a maioria das vezes arriscou de fora da área e Buffon pouco trabalhou. Assim como Marchetti do outro lado: ele viu as finalizações dos argentinos Dybala e Higuaín balançarem as redes e depois não sofreu mais nenhum chute contra sua meta. Tranquila, a Juventus defendeu a primeira posição e manteve a liderança frente às vitórias de Roma e Napoli. Já a Lazio segue em 4º, mas viu os napolitanos abrirem vantagem e a Inter encostar.

Milan 1-2 Napoli
Kucka (Pasalic) | Insigne (Mertens) e Callejón (Mertens)

Tops: Mertens e Insigne (Napoli) | Flops: Gómez (Milan) e Tonelli (Napoli)

Nem mesmo o Napoli de Maradona esteve confortável em San Siro contra o Milan. Mas com Sarri o cenário é outro: domínio total dos napolitanos em Milão. Depois de ficar quase três décadas sem vencer o confronto no norte, os azzurri agora comemoram a segunda vitória seguida e também uma invencibilidade de dez partidas no campeonato, recorde nesta temporada. Números que exaltam a reação do Napoli, sempre na cola de Juventus e Roma. Sarri também foi exaltado, porque seu planejamento funcionou perfeitamente nos primeiros 30 minutos e, em que pese a reação rossonera, a vitória foi mantida. O caminho para os gols foi construído através de recuperações no seu campo e lançamentos para Mertens, que teve facilidade para achar espaços na desfalcada defesa milanista. Após passes longos dos brasileiros Allan e Jorginho, o belga tocou para Insigne e Callejón superarem Donnarumma, tão desatento quanto seus companheiros. Jeito ruim para o ótimo goleiro comemorar os seus 50 jogos na Serie A.

No entanto, o belga virou antagonista e o goleiro de 17 anos começou sua recuperação em um lance que acabou sendo determinante para a sequência da partida. Cara a cara, Mertens perdeu gol inacreditável, e Donnarumma fez uma defesa que devolveu a confiança para si e o restante do time. A equipe de Montella se tornou competitiva ao ofuscar a saída napolitana e criar consecutivas oportunidades, aproveitando erros individuais. Como os de Tonelli, que vacilou em recuo de Jorginho e viu Pasalic passar para Kucka tocar na saída de Reina. O zagueiro italiano ainda deu outro susto ao derrubar Bacca quase no limite da área, nos acréscimos. Após o intervalo, a tônica seguiu a mesma e em dois minutos os anfitriões tiveram duas grandes oportunidades, novamente com Pasalic, que acertou a trave em cabeceio após cruzamento perfeito do Abate, e teve enfiada de bola interceptada por Albiol, que deixaria Bacca na cara do gol. De qualquer forma, assim como o gol perdido por Mertens levou à queda do Napoli, as oportunidades não aproveitadas pelo Milan também tiraram o gás da equipe com os ataques frustrados – somadas à reorganização dos visitantes na defesa. O placar derrubou os rossoneri na tabela: após perderem duas posições, estão em sétimo.

Roma 1-0 Cagliari
Dzeko (Rüdiger)

Tops: Dzeko e Fazio (Roma) | Flops: João Pedro e Diego Farias (Cagliari)

Pela terceira vez seguida, a Roma bateu seu adversário por 1 a 0. Um início de ano sem graça para os giallorossi, que costumam fazer boas partidas, mas também mostram a maturidade de uma equipe que não precisa de grande esforço para conquistar os três pontos. Contra o Cagliari, Fazio ganhou todas as bolas na defesa e Szczesny só tocou na pelota para bater tiro de meta, segurar a posse com seus companheiros ou lançar para o pivô de Dzeko. O bósnio garantiu sua volta às redes, marcando o gol da vitória pouco depois do intervalo, completando cruzamento de Rüdiger, e ainda fez uma grande partida, comandando sozinho o ataque romano – ainda acertou a trave e teve um gol bem anulado. Fechando a rodada, sabendo dos resultados de Juventus e Napoli, o time de Spalletti não teve problemas para defender a segunda posição e manter a distância de um ponto para a liderança. Com o resultado, a Roma igualou sua maior série de vitórias em casa: como em 1930, chegou a 13 consecutivas.

Atalanta 1-0 Sampdoria
Gómez (pênalti)

Tops: Gómez e Bastoni (Atalanta) | Flops: Silvestre e Linetty (Sampdoria)

Tem sido um campeonato fantástico para a Atalanta. Já com a salvezza garantida, o time de Gasperini aproveita para se divertir e, quem sabe, beliscar uma vaga europeia. É um objetivo difícil, mas depois de 21 rodadas os nerazzurri seguem na briga, agora, inclusive, na frente do Milan. Corajoso, o treinador ainda foi responsável por um feito importante: pela primeira vez um time escalou dois ou jogadores nascidos em 1999 na Itália. O zagueiro Bastoni e o volante Melegoni, já titulares no sub-19, não tiveram problemas para estrearem na Serie A como titulares em Bérgamo – o primeiro ainda se destacou, com grande exibição e cortes decisivos para manter a vitória. No ataque, brilharam Spinazzola, Gómez e Petagna, que protagonizaram 19 dos 21 dribles da equipe. Em pênalti duvidoso sofrido pelo centroavante, o argentino converteu com personalidade e colocou a Dea na sexta colocação, além de aumentar a sequência negativa da Sampdoria, que não vence há seis rodadas. Giampaolo já recebeu um recado do presidente Ferrero.

Chievo 0-3 Fiorentina
Tello, Babacar (pênalti) e Chiesa (Vecino)

Tops: Chiesa e Tatarusanu (Fiorentina) | Flops: Dainelli e Pellissier (Chievo)

Depois de bater a rival Juventus, a Fiorentina voltou a superar o Chievo – eliminou os gialloblù na Coppa Italia há duas semanas –, dessa vez no Bentegodi, um dos campos mais complicados da Serie A. Para isso, o time de Paulo Sousa não foi exatamente espetacular e, na verdade, sofreu bastante, por mais que o placar indique o contrário. Os anfitriões tentaram reagir com Castro, Birsa e Meggiorini, mas inacreditavelmente Tatarusanu foi decisivo para manter o clean sheet e afastar qualquer chance de reação adversária. Para tanto, o goleiro também contou com boa participação do trio Sánchez, Rodríguez e Astori. Para espantar a má fase, o espanhol Tello contou com erro clamoroso para abrir o placar aos 18 minutos e o senegalês Babacar, substituto do suspenso Kalinic, marcou em pênalti sofrido por Chiesa, aumentando a vantagem logo após o intervalo. Por fim, o filho do ex-atacante Enrico finalmente conseguiu o gol que não lhe foi atribuído na rodada anterior e marcou pela primeira vez no campeonato. O ponta, tão rápido e habilidoso quanto o pai, vai se mostrando cada vez mais importante para os viola.

Bologna 2-0 Torino
Dzemaili (Krejci) e Dzemaili (Donsah)

Tops: Dzemaili e Mirante (Bologna) | Flops: Falqué e Valdifiori (Torino)

Dando outro indicativo da sua irregularidade, depois de sequência negativa o Bologna venceu pela segunda vez no ano. Agora, a equipe de Donadoni está exatamente no meio da tabela, em décimo. Para isso, Mirante e seus companheiros de defesa estiveram firmes contra um ataque que sentiu a falta de Belotti e não teve grandes atuações de Ljajic e Falqué, sem falar na apatia de seu meio-campo. A vitória dos emilianos veio graças à falha defesa de Mihajlovic e a dois gols de Dzemaili, que superou Hart facilmente em duas oportunidades. Nos últimos jogos, o meia suíço voltou a mostrar o lado artilheiro do início de carreira e foi fundamental para as conquistas dos felsinei. O Toro, por sua vez, parece encontrar seus limites fora de casa e quase não consegue somar pontos longe de Turim – venceu somente duas partidas fora de seus domínios.

Empoli 1-0 Udinese
Mchedlidze (Veseli)

Tops: Mchedlidze e Croce (Empoli) | Flops: Karnezis e Zapata (Udinese)

Depois de encerrar o ano em alta, a Udinese iniciou 2017 com três derrotas – ainda que duas delas tenham sido contra Inter e Roma e com bom desempenho do time de Delneri. Porém, na Itália as coisas funcionam quase como no Brasil: o treinador já levou um puxão de orelha e a diretoria pensa em preparar uma concentração. Isso porque dessa vez a equipe esteve apática fora de casa e caiu para o Empoli no pior jogo da rodada, em confronto marcado por duelos aéreos, muitas perdas de posse de bola e pouco trabalho dos goleiros. O jovem time friulano não teve a mesma disposição no ataque, enquanto os anfitriões também pouco ameaçaram, mas aos 82 minutos, a defesa visitante sucumbiu ao cabeceio de Mchedlidze, que subiu alto para completar cruzamento de Veseli e garantir rara vitória do Empoli, cada vez mais tranquilo na 17ª posição, por incrível que pareça. Afinal de contas, Palermo, Pescara e Crotone não oferecem qualquer resistência e a diferença já aumentou para 11 pontos. Restando 17 rodadas, o cenário parece muito bem definido na parte de baixo da tabela.

Genoa 2-2 Crotone
Simeone (Cofie) e Ocampos (pênalti) | Ceccherini (Barberis) e Ferrari

Tops: Simeone (Genoa) e Ceccherini (Crotone) | Flops: Lamanna (Genoa) e Cordaz (Crotone)

Como a Udinese, o Genoa também caiu de desempenho depois de boa sequência de resultados – ainda que tenha mantido bom futebol com Juric. O treinador, como sempre, acaba sendo o bode expiatório e já foi criticado pelo presidente Preziosi, que tem muita consideração pelo ex-jogador. Contra o novato Crotone, antiga equipe do técnico sérvio, pesaram a deficiência dos grifoni na bola parada e mais uma vez as falhas do goleiro Lamanna, que certamente tem causado desespero nos torcedores desde a lesão do ídolo Perin. Em cobranças de falta de Barberis, os zagueiros Ceccherini e Ferrari responderam aos gols anfitriões, marcados pelos bons Simeone e Ocampos. A equipe genovesa caiu para a 16ª posição, mas olha mais para a parte de cima da tabela do que para a zona de degola. Virtualmente rebaixado, o Crotone aproveitou para somar mais um ponto na sua curta passagem pela Serie A.

Pescara 1-3 Sassuolo
Bahebeck (Biraghi) | Matri (Politano), Pellegrini (Mazzitelli) e Matri (Politano)

Tops: Matri e Consigli (Sassuolo) | Flops: Bizzarri e Fornasier (Pescara)

O calvário do laterna Pescara continua. A diretoria formou boa equipe do meio-campo para frente, mas esqueceu da defesa e o time de Oddo sofre exatamente pela instabilidade na zaga, que agora afetou até mesmo a produção ofensiva, que foi boa nos primeiros meses no retorno à Serie A. Dessa vez, até levou a uma vitória fora de casa do Sassuolo, que chegou a apenas seu segunda triunfo longe da Emília-Romanha, novamente graças aos gols de Matri. O ex-jogador de Juventus, Milan e Lazio ficou três meses sem marcar, mas nas últimas duas partidas guardou quatro vezes contra os quase rebaixados Palermo e Pescara. Depois da ajuda de Berardi, agora contou com os passes de Politano e as falhas do experiente Bizzarri, até então único ponto de resistência na defesa dos golfinhos. Consigli ainda defendeu pênalti no final, tirou onda e comemorou a segunda vitória seguida dos neroverdi, depois de um mês sem vitórias. Longe da zona de rebaixamento, a equipe neroverde agora promete crescer e ficar em posição mais condizente com seu elenco.

*Os nomes entre parênteses nos resultados indicam os responsáveis pelas assistências para os gols

Relembre a 20ª rodada aqui.
Confira estatísticas, escalações, artilharia, além da classificação do campeonato, aqui.

Seleção da rodada
Tatarusanu (Fiorentina); Bastoni (Atalanta), Murillo (Inter), Fazio (Roma); Cuadrado (Juventus), Chiesa (Fiorentina), Dzemaili (Bologna), Spinazzola (Atalanta); Insigne (Napoli); Matri (Sassuolo), Dzeko (Roma). Técnico: Massimiliano Allegri (Juventus).

A Liga Serie A disponibiliza os melhores momentos da rodada em seu canal oficial. Veja os melhores momentos dos jogos abaixo.

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário