Subscribe Twitter Facebook

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Os 10 melhores jogos da Serie A 2016-17

Em um dos melhores campeonatos dos últimos anos, os times italianos mostraram que não passa de preconceito achar que a Serie A está abaixo das outras competições europeias em nível técnico e de emoção. O país do catenaccio terminou a temporada 2016-17 como o de melhor média de gols entre as principais ligas da Europa (2,96 gols por jogo, acima dos 2,94 da Liga Espanhola e dos 2,8 do campeonato inglês) e proporcionou jogaços das primeiras até a última rodada, em despedida emocionadíssima de Totti dos gramados. Teve 7 a 3, 5 a 4, 3 a 3, vitória surpreendente de pequeno contra grande e até equipes em dia de Brasil e Alemanha, em um 7 a 1 emblemático. Confira abaixo nossa seleção dos melhores jogos da temporada, em ordem cronológica:

Milan 1-0 Juventus, 9ª rodada


Clássico é clássico e vice-versa, diria Jardel, mas a verdade é que ninguém esperava um Milan dando tanto trabalho para a toda poderosa Juventus logo no início do campeonato. Na 9ª rodada, a expectativa era que a Juve, que tinha acabado de gastar milhões e milhões no mercado de verão, mantivesse o tabu que já durava quatro anos e saísse do San Siro com mais um bom resultado diante de um Milan ainda em reconstrução. O que se viu, porém, foi um show de dois garotos nascidos em 1998 (Locatelli) e 1999 (Donnaruma), que deu a surpreendente vitória aos rossoneri. 

O talento do goleiro Donnarumma já não era novidade para ninguém, mas a maturidade de Manuel Locatelli sim. O clássico contra a Juve foi uma das primeiras grandes partidas do jovem, que terminou a temporada consagrado na nossa lista de revelações do campeonato, publicada quinta-feira (1º de junho), mas que até aquele jogo ainda não tinha feito nada de brilhante. Ele tinha acabado de assumir a titularidade no meio de campo do time, por causa de lesão de Montolivo, e mostrou muita personalidade contra os comandados de Allegri, tendo, inclusive, marcado o golaço que definiu o placar. Donnarumma salvou lá atrás, e Locatelli decidiu na frente, colocando o Milan na vice-liderança e só dois pontos atrás da Juve naquele momento. 

Sassuolo 1-3 Roma, 10ª rodada


Na 10ª rodada, a Roma já mostrava que devia mesmo ser a anti-Juve da temporada. Enquanto os outros rivais - principalmente o Napoli - ainda patinavam em busca de mais solidez, a equipe da capital já tinha o melhor ataque da competição e mostrava força para disputar o título. Eram 26 gols marcados em 10 jogos e Dzeko, que terminaria como artilheiro da competição meses depois, já em estado de graça, com 10 gols em 10 jogos. 

A Roma saiu atrás contra a equipe bem treinada por Di Francesco, mas, concentrada e com mais talento, conseguiu reverter o placar a voltar para casa com três pontos essenciais para não deixar a Juve escapar na liderança. Mais do que os dois gols de Dzeko, a partida serviu para mostrar que Salah e Nainggolan também estavam em grande momento e seriam muito importantes para as ambições giallorossi na temporada.

Milan 1-2 Napoli, 21ª rodada


No início do returno, Juve, Roma e Napoli já tinham se estabelecido como as principais forças do campeonato, mas jogar em Milão nunca foi tarefa fácil para o Napoli - nem mesmo na época de Maradona. O Milan não vinha facilitando, já tinha até vencido a Juve, e, por isso, a expectativa para o jogo era grande. Pois os 70 mil presentes no San Siro viram um dos grandes jogos do campeonato, com muitas chances para os dois lados, correria do início ao fim, grandes defesas e bonitos gols.   

Mertens abusou da sua velocidade e habilidade para infernizar a defesa do Milan e dar duas assistências na primeira parte do jogo, mas depois virou antagonista ao errar gol sozinho contra Donnarumma e deixar que os donos da casa renascessem na partida. A pressão rossonera durou até o fim, mas o grande número de chances desperdiçadas atrapalhou na busca por uma virada. Ali, o time de Sarri mostrou que teria força para caçar Roma e Juve até o fim e ganhou casca ao conseguir, depois de tanto tempo, a segunda vitória seguida no San Siro, algo que não ocorria há três décadas.
  
Juventus 2-0 Lazio, 21ª rodada


Depois de ver os melhores momentos acima, você provavelmente está se perguntando por que esse jogo foi escolhido como um dos melhores da temporada. A Juve decidiu a partida logo no início e depois, como se acostumou em fazer, levou o jogo até o fim sem gastar muita energia e sem ser muito ameaçada. A Lazio não conseguiu reagir hora nenhuma e pouco incomodou Buffon. Não teve reviravolta, saíram poucos gols, os goleiros trabalharam pouco... Por que, então?

Acontece que essa partida marca um momento chave para a equipe do técnico Massimiliano Allegri na temporada. Foi nesse jogo que a Velha Senhora entrou em campo pela primeira vez com Dybala, Higuaín, Mandzukic e Cuadrado, em uma formação chamada de "superofensiva" naquele momento que surpreendeu a todos e acompanhou o time pelo resto da temporada, até chegar à final da Liga dos Campeões, contra o Real Madrid. Foi ali que Allegri se mostrou senhor dessa grande Juventus e achou a melhor opção para sua equipe brilhar também fora dos campos da Itália. Era a solução que o time precisava para chegar longe também na LC e, claro, não era tão "superofensiva" assim. Allegri conseguiu incutir em seus jogadores que a participação defensiva era primordial para que o esquema desse certo e agora não é raro ver o ex-9 Mandzukic voltar para marcar até a linha de fundo, para, em seguida, aparecer para concluir um contra-ataque puxado com muita qualidade e habilidade. 

Napoli 0-2 Atalanta, 26ª rodada


Não podia faltar nessa lista uma grande atuação da principal sensação do campeonato. No nosso guia de início de campeonato, colocamos como objetivo da Atalanta apenas fugir do rebaixamento. Era inimaginável antes do começo da competição que essa equipe faria sua melhor participação da história na Serie A (4ª colocação) e chegaria até a almejar uma vaga na Liga dos Campeões em determinado momento. Mas isso aconteceu exatamente nessa rodada: o time de Gianpiero Gasperini conseguiu superar o fortíssimo Napoli em pleno San Paolo e encostou na briga por uma vaga na LC, ficando apenas três pontos atrás do próprio Napoli.

A diferença aumentou a 14 pontos até o fim do campeonato, mas não apagou a grande temporada dessa equipe que carimbou vaga para a LE, ficando à frente dos tradicionais Lazio, Milan, Inter e Fiorentina. Contra o favorito Napoli, brilhou um dos principais jogadores do campeonato: o jovem zagueiro Mattia Caldara. Extremamente seguro na fase defensiva, ele também foi muito eficiente no ataque, marcando os dois gols em noite que Gomez e Kurtic ficaram devendo. A expulsão de Kessié ainda deu mais emoção ao jogo que acabou com resultado histórico para o lado mais fraco. 

Roma 1-2 Napoli, 27ª rodada


Após a surpreendente derrota para a Atalanta, o Napoli não demorou para mostrar poder de reação e venceu uma de suas principais concorrentes na briga pelas primeiras posições, logo na rodada seguinte. O jogo no Olímpico de Roma colocou frente à frente os dois times mais verticais do campeonato e proporcionou 90 minutos de ótimo futebol e grandes lances. Mertens fez uma de suas melhores partidas na temporada e comandou a vitória napolitana, aproveitando cada espaço deixado pela zaga romana para fazer os dois gols de seu time.

Mesmo com dois gols de desvantagem, a Roma não diminuiu o ritmo e exigiu nível de concentração alto do adversário o tempo todo. Strootman conseguiu descontar e os donos da casa não desistiram do empate até o apito final. Nos acréscimos, Reina fez defesa espetacular e ainda contou com ajuda do travessão para manter a vitória do Napoli. 

Inter 7-1 Atalanta, 28ª rodada


Em março, a Inter de Pioli chegou ao seu auge e coroou o bom momento com atuação impressionante sobre a ótima Atalanta. O 7 a 1 no clássico local foi a maior goleada da Serie A nessa temporada e, naquele momento, deu esperanças à Inter de alcançar até uma vaga na Liga dos Campeões. Enquanto isso, a Atalanta via a briga por uma vaga na Liga Europa ficar mais acirrada e temia perder o prumo após esse dia de Brasil contra a Alemanha.

Banega foi o grande nome do jogo, com três gols - na primeira tripletta da carreira - e duas assistências e viu Icardi e Candreva também em grande dia. O primeiro anotou três gols e o segunddo ajudou com duas assistências. Gagliardini, para a Inter, e Freuler, para a Atalanta, completaram o placar. Depois desse jogo, a torcida interista esperava chegar com força para disputar uma vaga na Liga dos Campeões, mas a equipe não conseguiu manter a consistência e acabou fora até da zona de classificação para a Liga Europa, posto que a Atalanta não deixou escapar. 

Fiorentina 5-4 Inter, 33ª rodada


A 33ª rodada foi histórica para a Serie A: com 48 gols marcados em 10 jogos, alcançou a maior média desde outubro de 1992 e calou a boca de quem ainda pensava que futebol italiano era sinônimo de jogo chato. Fiorentina e Inter fizeram a partida mais frenética da temporada e deixaram sem fôlego os torcedores presentes no Artemio Franchi. Teve virada para os dois lados, tripletta, defesa milagrosa e muito mais.

A Fiorentina saiu na frente logo no início, mas tomou a virada ainda no primeiro tempo. A Inter, em mau momento àquela altura do campeonato, com cinco jogos sem vencer e o sonho de ir para a Liga dos Campeões já impossível, não conseguiu controlar a partida e tomou a virada logo o início da segunda etapa. Vecino, Babacar e Borja valeram estavam em grande dia e comandaram a reação. Os donos da casa chegaram a fazer 5 a 2, mas viram Icardi marcar mais duas vezes, para chegar à sua tripletta, e colocar um 5 a 4 perigoso no placar. No fim, ainda teve tempo para Astori salvar uma bola em cima da linha para evitar o que seria um empate histórico. A vitória viola colocou fogo na disputa pela 6ª colocação, que tinha Milan, Inter e Fiorentina separados por apenas três pontos. 

Lazio 7-3 Sampdoria, 35ª rodada


Na 35ª rodada, a Lazio carimbou sua vaga para a Liga Europa com atuação de gala. O time de Simone Inzaghi já tinha batido o Palermo por 6 a 2 e a rival Roma por 3 a 1 no Olímpico, e aproveitou sua força em casa para aplicar mais uma goleada no campeonato. Com 10 gols, a partida foi de placar mais movimentado da temporada e também dos últimos 12 anos. Só Parma 6-4 Livorno, em 2005, teve tantos gols quando esse 7 a 3 da Lazio para cima da Sampdoria.

E o passeio começou logo cedo: antes dos dois minutos de jogo, Keita já tinha aberto o placar. Immobile ampliou de pênalti e viu a expulsão de Skriniar, logo em seguida, facilitar ainda mais as coisas para os donos da casa. Sem precisar pressionar muito, a Lazio chegou a fazer 7 a 1 e, em relaxada no final, deixou Quagliarella, isolado no ataque da Samp, descontar duas vezes antes do apito final. 

Roma 3-2 Genoa, 38ª rodada


Esse não foi o melhor jogo do campeonato, tecnicamente falando, mas certamente foi o mais emocionante. A despedida do gigante, capitão e ídolo eterno Francesco Totti foi banhada a lágrimas desde antes do apito inicial até após o fim dos 90 minutos. A catarse coletiva desconcentrou jogadores dos dois lados e deixou o jogo aberto do início ao fim.

Nesse turbilhão de emoções, o Genoa quase estragou o final feliz dos romanistas. O jovem Pellegri marcou o primeiro gol de sua carreira para abrir o placar e, assim, tirar a vice-liderança (e vaga direta para a fase de grupos da LC) da Roma. Dzeko marcou de barriga para empatar antes do intervalo e depois deu assistência para De Rossi virar o jogo, já no segundo tempo. Lazovic tentou estragar a festa de novo, em gol de cabeça, mas o artilheiro Dzeko estava empenhado e não deixar estragar a despedida de Totti. O bósnio deu mais uma assistência e Perotti marcou o gol que garantiu o vice-campeonato e a vaga na fase de grupos da LC para a Roma.

Bônus
Três jogos ficaram de fora do top 10, mas merecem algumas linhas de menção honrosa pelos grandes lances que proporcionaram ou pelo que significaram no campeonato.

Milan 2-2 Inter, 13ª rodada


Ainda na primeira parte do campeonato, Milan e Inter fizeram um dos melhores Derby della Madonnina dos últimos anos. Em jogo com grande intensidade, a Inter foi mais perigosa, mas o Milan foi mais efetivo, o que resultou no justo empate no placar. Destaque para os dois belos gols de Suso e o chutaço de Candreva no ângulo de Donnarumma. 

Fiorentina 3-3 Napoli, 18ª rodada


Na 18ª rodada, Fiorentina e Napoli fizeram um jogaço em que ninguém pôde comemorar ao final. Insigne abriu o placar para os visitantes com um chute maravilhoso de fora da área. No segundo tempo, Bernadeschi empatou, em cobrança de falta, mas viu bobeada da zaga deixar Mertens livre para colocar o Napoli de novo na frente. Bernadeschi acertou outro belo chute de fora da área para igualar de novo, e ainda enfiou bola para Zárate marcar outro golaço e virar o jogo. No fim, porém, Salcedo fez pênalti em Merterns e Gabbiadini fechou o placar em 3 a 3. 

Juventus 3-0 Crotone, 37ª rodada


O jogo entre a fortíssima Juve contra o ameaçado ao rebaixamento Crotone pode não ter sido um dos melhores da Serie A, mas marcou o hexacampeonato consecutivo inédito na história do campeonato. A supremacia de uma das maiores equipes da história da Itália ficou clara com a facilidade que os juventinos mataram o jogo. Os gols simbolizaram o que foi a temporada bianconera: Mandzukic mostrando disposição monstra para abrir o placar, Dybala esbanjando habilidade para fazer mais um golaço de falta, e Alex Sandro surpreendendo dentro da área para fechar o placar.

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário